Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-12-06T18:33:27-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
ESVAZIANDO O COFRINHO

O rendimento da poupança está em alta, mas os saques já superam os depósitos pelo quarto mês consecutivo; veja por quê

As coisas não estão fáceis para a caderneta: esse também foi o terceiro recorde negativo seguido para um mês na série histórica, iniciada em 1995

6 de dezembro de 2021
16:40 - atualizado às 18:33
Cofrinho rosa em formato de porco quebrado, com moedas e um martelo ao seu redor
Imagem: Shutterstock

Mesmo em meio ao novo ciclo de alta da taxa Selic, os saques superaram os depósitos na poupança pelo quarto mês seguido, com uma retirada líquida de R$ 12,4 bilhões em novembro, informou nesta segunda-feira (6) o Banco Central.

Esse também foi o terceiro recorde negativo seguido para um mês na série histórica, iniciada em 1995. Os volumes de saídas em setembro (R$ 7,7 bilhões) e outubro (R$ 7,4 bilhões) também haviam sido inéditos para os respectivos meses.

A diferença entre entradas e retiradas por trás do recorde ficou negativa graças aos R$ 294 bilhões em saques em novembro, contra R$ 281,7 bilhões de aportes na caderneta. Considerando o rendimento de R$ 3,648 bilhões da caderneta, o saldo total das contas ficou em R$ 1,018 trilhão.

No acumulado deste ano, a população retirou R$ 43,15 bilhões líquidos da caderneta. Em 2020, em meio à pandemia do novo coronavírus, a poupança chegou a registrar dez meses consecutivos de depósitos líquidos (de março a dezembro).

Além da poupança, veja cinco aplicações que são isentas de Imposto de Renda neste vídeo exclusivo e inscreva-se no canal do Seu Dinheiro no YouTube para outros conteúdos sobre investimentos:

Apenas entre abril e julho houve depósitos líquidos nas cadernetas, influenciados pela volta do pagamento do auxílio emergencial para uma parcela da população. Os pagamentos começaram a ser feitos em 6 de abril. Desde agosto, porém, em meio à alta da inflação, a poupança voltou a registrar mais retiradas que aportes.

A poupança é remunerada atualmente pela taxa referencial (TR), que está em zero, mais 70% da Selic (a taxa básica de juros), hoje em 7,75% ao ano.

Na prática, a remuneração atual da poupança é de 5,425% ao ano. O porcentual não cobre necessariamente a inflação. Os economistas preveem que a alta dos preços chegue a 10,18% no final de 2021.

Esta regra de remuneração da poupança vale sempre que a Selic estiver abaixo dos 8,50% ao ano. Quando estiver acima disso - o que deve ocorrer a partir desta semana - a poupança passa a ser atualizada pela TR mais uma taxa fixa de 0,5% ao mês (6,17% ao ano).

Tempos de glória ficaram para trás?

Novembro foi o sétimo mês de 2021 em que os saques superaram os depósitos na poupança. Nos meses de janeiro, fevereiro, março e agosto, setembro e outubro os brasileiros também retiraram recursos da caderneta.

No ano passado, a aplicação havia sido favorecida pelo pagamento do auxílio emergencial e chegou a registrar dez meses seguidos de depósitos líquidos. Mas, com a interrupção do benefício, o primeiro trimestre de 2021 foi marcado pela retirada de recursos.

Pesaram também as tradicionais despesas de início de ano — IPTU, IPVA, matrículas de filhos e gastos com material escolar —, e o brasileiro recorreu à poupança para fechar as contas.

De abril a agosto, porém, o resultado positivo foi influenciado pela volta do pagamento do auxílio emergencial para uma parcela da população. Os depósitos começaram a ser feitos em 6 de abril.

Inflação provoca baixas entre os "poupanceiros"

Agora, em meio à alta da inflação, a poupança voltou a registrar mais retiradas que aportes. Mesmo com a remuneração subindo, a aplicação não consegue acompanhar a alta dos preços.

Vale lembrar que o rendimento dos depósitos é definido pela taxa básica de juros brasileira. Em sua última reunião, o Banco Central elevou a Selic pela sexta vez consecutiva, para 7,75% ao ano, indicando um novo aumento da mesma magnitude no próximo encontro.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

PRECAUÇÃO EXTRA

Cautela demais atrapalha os negócios? Não para o Bradesco (BBDC4): banco cria nova vice-presidência focada na gestão de riscos

A nova vertical abrangerá as áreas de compliance, conduta, ética e demais setores ligados à gestão de ameaças corporativas

FECHAMENTO DOS MERCADOS

Ibovespa ignora tensão pré-Fed e sobe mais de 2%, fechando no melhor nível desde outubro; dólar volta aos R$ 5,43

O dia tinha tudo para ser como ontem, mas o Ibovespa encontrou forças para voltar aos 110 mil pontos e recuperar as perdas da semana

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) sobe forte e apaga parte da queda brusca na semana; veja como operam as principais criptomoedas do mercado

Como outros ativos do risco, a moeda digital também foi afetada pelas tensões entre entre Ucrânia e Rússia nos últimos dias, mas encontrou fôlego para avançar hoje

INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA

Banco Central suspende sistema para consulta de dinheiro ‘esquecido’ em bancos; veja o que está por trás do bloqueio

O BC precisou interromper o funcionamento do sistema lançado ontem após enfrentar instabilidades geradas pelo grande volume de acessos

NOVA DEBANDADA?

Mais um técnico da área de Orçamento da Economia deixa cargo e expõe novo desgaste na equipe de Paulo Guedes

O movimento de saída é comum no último ano de governo, mas agora tem ocorrido mais cedo, ainda no primeiro mês de 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies