Menu
2020-08-12T06:50:51-03:00
Estadão Conteúdo
atentos

Maia, Guedes e Arthur Lira se unem para defender manutenção de teto de gastos

Presidente da Câmara disse que o governo e o Congresso devem encontrar caminhos para a economia voltar a crescer, sem furar o teto

12 de agosto de 2020
6:50
img20200722122119383-768×512
Rodrigo Maia - Imagem: Najara Araujo/Câmara dos Deputados Fonte: Agência Câmara de Notícias

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o líder do Centrão, Arthur Lira (PP-AL), se reuniram nessa terça-feira, 11, para fechar juntos uma defesa pela manutenção do teto de gastos. Depois de mais de uma hora de reunião, no Ministério, os três concederam juntos uma entrevista a jornalistas.

"Conversado com ministro e líder, sobre essa preocupação de todo mundo dar um jeitinho para conseguir resolver seus projetos, sejam investimentos entre outras áreas, a gente veio aqui deixar claro qual a posição da presidência da Câmara, posição de parte dos líderes, que primeiro, de forma nenhuma vamos pautar, e eu espero que o governo não encaminhe, nenhuma prorrogação do estado de calamidade", disse Maia. Segundo ele, a medida é para que a prorrogação não seja usada para furar o teto.

Ele disse ainda que deve ser retomado o debate sobre gastos públicos. "As três PECs que o ministro Paulo Guedes encaminhou no ano passado para o Senado, que tratam como o todo do pacto federativo", afirmou o deputado.

"Precisamos voltar a discutir primeiro a questão do teto dos gatos e seus gatilhos, eu acho que se nós conseguirmos avançar rápido nesse tema, nós vamos abrir espaço no momento em que de fato o Brasil precisa de investimentos privados, principalmente, mas também públicos, ninguém tá negando isso", disse.

Maia disse que o governo e o Congresso devem encontrar caminhos para a economia voltar a crescer, sem furar o teto. "Não tem saída fácil, não é um momento simples", disse. "Não tem jeitinho, não tem esperteza. O que tem é uma realidade", disse.

O parlamentar afirmou ainda que o decreto de calamidade e a PEC da Guerra acabam no fim do ano.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Números da pandemia

Número de óbitos por covid-19 passa de 435 mil; casos passam de 15,6 milhões

Mais de mil mortes e 40 mil novos casos foram registrados nas últimas 24 horas

Cripto

Musk dá a entender que Tesla pode se desfazer de Bitcoins que já recebeu

Comentário sobre a criptomeda foi feito em interação em rede social.

Trilhões em jogo

Ao defender pacote, Biden diz que EUA precisam de infraestrutura confiável

O projeto sofre oposição, entretanto, até mesmo de alguns meses do partido do presidente

Força-maior

Com morte de Covas, Ricardo Nunes assume definitivamente a prefeitura de São Paulo

Vice estava no cargo desde que Covas licenciou-se no início de maio; ele decretou luto oficial de 7 dias pela morte do prefeito

Ainda no papel

Queiroga diz que ministério estuda campanha de testagem contra covid-19

Botucatu abriu hoje vacinação em massa da população para pesquisa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies