Menu
2020-08-29T17:01:06-03:00
Centrão informa

Bolsonaro anunciará prorrogação de auxílio na 3ª, diz deputado

Afirmação foi feita em postagem do líder do Centrão em suas redes sociais

29 de agosto de 2020
16:56 - atualizado às 17:01
img20190219123822516MED
Dep. Arthur Lira (PP - AL) - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O Líder do Centrão e aliado do presidente Jair Bolsonaro, deputado Arthur Lira (Progressistas-AL), informou há pouco nas redes sociais que o governo irá anunciar na terça-feira (1º) a prorrogação do auxílio emergencial pago a informais e desempregados durante a pandemia do novo coronavírus. Na postagem, o deputado não faz referência ao valor das próximas parcelas do benefício.

"Na terça feira vamos ao Palácio do Alvorada anunciar, junto com o presidente @jairbolsonaro, a prorrogação do auxílio emergencial, benefício tão importante para milhões de brasileiros que precisam dessa ajuda para enfrentar esse período da pandemia", escreveu Lira.

Mais cedo, em evento na cidade goiana de Caldas Novas, o presidente Bolsonaro reafirmou que estenderá o pagamento do auxílio emergencial até dezembro deste ano, sem também especificar um valor.

"Ele é pouco para quem recebe e muito para quem paga. Vocês gastam por mês R$ 50 bilhões neste auxílio. Nós pretendemos, com um valor menor, que obviamente não será R$ 600, mas também não será R$ 200, prorrogá-lo até o final do ano e com isso fazer com que a economia volte à sua normalidade", disse Bolsonaro ao inaugurar usina de energia solar do Grupo DiRoma, de propriedade da deputada do Centrão Magda Mofatto (PL-GO).

Nesta semana, o presidente teve reuniões com ministros, incluindo o da Economia, Paulo Guedes, para tratar da prorrogação do auxílio. Conforme o Broadcast/Estadão já informou, o governo deve prorrogar o auxílio emergencial até o fim do ano, com quatro parcelas de R$ 300, que é o valor defendido por Bolsonaro.

A ideia do governo é que a extensão do auxílio seja uma transição para um "pouso suave" no Renda Brasil, que substituirá o Bolsa Família e ainda está em estudo pela equipe econômica, que tenta encontrar fontes de recursos para o novo programa.

O anúncio do Renda Brasil ficará para um segundo momento para que Guedes tenha mais tempo para encontrar espaço para acomodar o novo gasto dentro do teto, que limita o avanço das despesas à inflação. O presidente quer um plano que não inclua a revisão ou a extinção de outros benefícios, como o abono salarial, por exemplo.

O auxílio emergencial foi criado originalmente para durar três meses - tendo como base os meses de abril, maio e junho. Depois, o governo prorrogou o benefício por duas parcelas - julho e agosto - por meio de decreto. O valor de R$ 600 foi mantido durante todo esse período. Para alterar o valor, será preciso a edição de uma medida provisória, que tem vigência imediata.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

mudança de casa

Após 23 anos com Alpargatas, Mizuno se une à Vulcabrás no País

Ao assumir a marca famosa pelos tênis de corrida, o grupo gaúcho reforça seu portfólio na área, que já inclui a Olympikus e a Under Armour

NOVATA DA BOLSA

Truxt atinge 12,2% de participação no capital da Plano & Plano após IPO

Gestora de fundos passou a deter 24.900.000 de suas ações ordinárias, o equivalente a 12,2% do capital social.

balanço da doença

Brasil acumula 4,55 milhões de casos e 137,2 mil mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 377 mortes por covid-19, segundo o Ministério da Saúde

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Razão e Sensibilidade no mercado financeiro: a recente pressão de preços e possíveis alternativas

De todos os romances de Jane Austen, prefiro “Razão e Sensibilidade” — talvez pelo fato de estar em um ambiente tão atrelado à ambivalência: os mercados financeiros

Disputa com a Stone

Linx se recusa a assinar protocolo de oferta da Totvs, que sobe tom contra conselheiros da empresa

Totvs ainda não desistiu do negócio, mas disse que os conselheiros independentes da Linx trataram a oferta da companhia de forma desigual em relação à proposta feita pela Stone

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements