Menu
2020-06-12T08:14:47-03:00
Estadão Conteúdo
Investigação sobre ministro

Justiça quebra sigilo de escritório de Ricardo Salles

A Justiça de São Paulo decretou a quebra do sigilo bancário do escritório de advocacia do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da mãe dele, Diva Carvalho de Aquino

12 de junho de 2020
8:14
09/07/2019 Visita ao Ministério do Meio Ambiente
Presidente da República, Jair Bolsonaro acompanhado do Ministro de Estado do Meio Ambiente, Ricardo Salles. - Imagem: Marcos Corrêa/PR

A Justiça de São Paulo decretou a quebra do sigilo bancário do escritório de advocacia do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da mãe dele, Diva Carvalho de Aquino.

Em decisão proferida na segunda-feira passada, o juiz Marcos de Lima Porta, da 5ª Vara da Fazenda Pública, atendeu a pedido do Ministério Público de São Paulo, que solicitou acesso aos documentos no âmbito de uma investigação, aberta em julho do ano passado, sobre suposto enriquecimento ilícito de Salles. O ministro nega irregularidades em suas contas.

Os sigilos fiscal e bancário do próprio Salles já haviam sido quebrados em novembro, após recurso do Ministério Público apresentado junto ao Tribunal de Justiça paulista.

A investigação apura como o patrimônio do ministro saltou de R$ 1,4 milhão para R$ 8,8 milhões entre 2012 e 2018. Nesse período, Salles foi secretário particular do então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e chefiou a Secretaria de Meio Ambiente no governo do tucano.

Em uma declaração feita à Justiça Eleitoral em 2012, quando foi candidato a vereador, Salles informou possuir R$ 1,4 milhão em bens, que consistiam em aplicações financeiras, 10% de um apartamento, um carro e uma moto.

Em 2018, o então candidato a deputado federal pelo partido Novo, informou à Justiça possuir dois apartamentos de R$ 3 milhões cada, R$ 2,3 milhões em aplicações e um barco de R$ 500 mil - alta de 335% em cinco anos, corrigidos os valores pela inflação.

Procurado, Salles afirmou que "todos os dados estão à disposição da Justiça". "A apuração irá mostrar que não há nada irregular."

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

o melhor do seu dinheiro

A bolsa não é a Serra Pelada

Sebastião Salgado se consagrou no mundo da fotografia com uma série de retratos que fez sobre a Serra Pelada. Na década de 1980, milhares de pessoas invadiram a região de Curionópolis, no sudeste do Pará, em busca de enriquecimento rápido através do garimpo do ouro.  Leia também: LUPA DOS FUNDOS: Um pente-fino nas melhores gestoras […]

Piorou

FGV: confiança da indústria cai 3,5 pontos em janeiro ante dezembro, diz prévia

Houve redução da satisfação em relação ao momento presente, mas também piora das expectativas sobre os próximos meses, apontou a FGV.

Briga de peixe grande

BTG Pactual capta mais R$ 2,6 bilhões com oferta de ações e entra de vez na disputa dos bancos digitais

O preço por unit (certificado de ações) do banco foi definido em R$ 92,52, o que representa um pequeno desconto de 0,32% em relação ao fechamento dos papéis ontem na B3

Prazo de 60 dias

TCU cobra crédito dado a bancos públicos

A devolução envolve também os aportes feitos nas instituições por meio de um instrumento híbrido de capital e dívida, chamado de IHCD.

Agora vai?

Reforma tributária deve sair este ano, diz Bolsonaro

A reforma tributária é uma das apostas do governo para a retomada da economia após a pandemia da covid-19.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies