Menu
2020-06-15T09:52:59-03:00
Estadão Conteúdo
agenda

Bolsonaro tem reuniões com Guedes e Weintraub nesta segunda

No domingo, o chefe da pasta da Educação também chamou a atenção por participar de ato pró-governo na Esplanada dos Ministérios

15 de junho de 2020
9:52
22/07/2019 Almoço com os Oficiais-Generais da Aeronáuticar
(Brasília - DF, 22/07/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro, participa de almoço com os Oficiais-Generais da Aeronáutica.rFoto: Marcos Corrêa/PR -

O presidente Jair Bolsonaro se reúne com o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta segunda-feira (15) à tarde. A reunião já estava prevista na agenda pública do chefe do Executivo desde a semana passada e ocorre no dia seguinte à confirmação da saída do governo de Mansueto Almeida, secretário do Tesouro Nacional.

Mansueto confirmou no domingo em entrevista ao Broadcast/Estadão que está de saída do governo. O secretário assumiu o cargo em abril de 2018 e é a primeira grande baixa da equipe econômica de Guedes.

Bolsonaro também tem encontro nesta segunda com Abraham Weintraub, ministro da Educação. O ministro foi afetado pela devolução e revogação da medida provisória sobre a escolha temporária de reitores de universidades federais durante a pandemia do coronavírus. Depois de repercussão negativa, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidiu devolver o texto do governo, que, pressionado, revogou a MP.

A medida autorizava Weintraub a escolher livremente reitores de universidades federais temporários durante a pandemia da covid-19. O texto, contudo, foi criticado e considerado antidemocrático por parlamentares.

No domingo, o chefe da pasta da Educação também chamou a atenção por participar de ato pró-governo na Esplanada dos Ministérios, que estava fechada por decisão do governo do Distrito Federal. Weintraub se encontrou com cerca de 15 manifestantes bolsonaristas ignorando a ordem do governo do DF.

O ministro discursou para o grupo em frente ao Ministério da Agricultura. Em vídeos divulgados nas redes sociais, o ministro diz na conversa: "Eu já falei a minha opinião, o que faria com esses vagabundos". Não é possível, contudo, ouvir o restante da fala do ministro, encoberta por causa de aplausos dos manifestantes.

Em reunião ministerial no dia 22 de abril, Weintraub usou o termo "vagabundos" para se referir aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). "Por mim eu botava esses vagabundos todos na cadeia, começando pelo STF", disse ele na ocasião. Weintraub responde a processo por causa da afirmação e, desde então, apoiadores o defendem nas redes socais, com a hashtag #WeintraubTemRazão.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

prévias

Eztec tem queda de 48% nas vendas no quarto trimestre

Lançamentos da empresa atingiram R$ 380,8 milhões, chegando a R$ 1,150 bilhão no ano – 85% a mais do que no terceiro trimestre

seu dinheiro na sua noite

2 milhões de mortos, 2 trilhões em estímulos e uma queda de mais de 2%

Se a primeira semana de 2021 nos mercados refletiu o otimismo geral com o novo ano que se iniciava, com perspectivas de vacinação contra o coronavírus e recuperação econômica, na segunda semana do ano, os investidores optaram pela cautela. Por ora, 2020, o ano do qual todos queríamos nos livrar, ainda não ficou para trás. […]

FECHAMENTO

Atritos políticos e covid-19 voltam para assombrar o mercado e Ibovespa recua mais de 2%; dólar sobe forte

Existe uma certa desconfiança de que o plano de US$ 1,9 trilhão apresentado por Biden encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas. No Brasil, situação do coronavírus reacende a pressão sobre o cenário fiscal

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

pandemia

Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país de mais de 1,3 bilhão de habitantes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies