Menu
2020-07-28T15:50:36-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
credibilidade em jogo

Após escândalos, IRB Brasil anuncia Ellen Gracie, ex-ministra do STF, para chefiar comitê de ética

O anúncio de Gracie no controle do comitê é uma tentativa da resseguradora de recuperar a credibilidade frente ao mercado após escândalos que envolveram maquiagem de resultados e “fake news” sobre Warren Buffett

28 de julho de 2020
15:50
Ex-ministra do STF, Ellen Gracie
Ex-ministra do STF, Ellen Gracie - Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O IRB Brasil anunciou Ellen Gracie, ex-ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), para assumir o Comitê de Ética, Sustentabilidade e Governança da resseguradora.

Segundo comunicado da empresa, a ex-juíza do STF terá o papel de liderar o comitê na definição e proposição de práticas de governança corporativa em todas as esferas do IRB.

A iniciativa visa à "otimização do desempenho e ampliação de forma sustentável do valor econômico e social da companhia", diz o documento.

As ações ordinárias do IRB Brasil sobem 1,22%, para R$ 8,27, por volta das 15h50. Ao mesmo horário, o Ibovespa opera estável, aos 104.475,53 pontos. Confira nossa cobertura completa de mercados.

O anúncio de Gracie no controle do comitê é uma tentativa da resseguradora de recuperar a credibilidade frente ao mercado.

A companhia teve dois escândalos durante o 1º semestre do ano que afetaram a sua imagem e que ajudaram as ações perderem 77,14% do seu valor no acumulado de 2020.

O primeiro surgiu de embate com a gestora Squadra, que, em fevereiro, disse que os balanços do IRB estavam maquiados e turbinados por itens extraordinários.

A empresa admitiu a manobra em junho, quando a nova diretoria da empresa colocou a culpa do malfeito na diretoria antiga. Na ocasião, foi apresentado um lucro líquido R$ 670 milhões menor do que o originalmente demonstrado nos anos de 2018 e 2019.

Menos de duas semanas depois da primeiro polêmica sobre os resultados, a companhia voltou ao noticiário de maneira negativa. No início de março, a holding do bilionário Warren Buffet, a Berkshire Hathaway, negou que tivesse ações do IRB — e afirmou ainda por cima que não estava planejando comprá-las.

A informação de que a holding havia se tornado acionista da resseguradora surgiu sem confirmação de fonte na imprensa e foi reforçada pela empresa, que indicou para o conselho fiscal a advogada Márcia Cicarelli, que atua como procuradora da Berkshire no país.

No dia seguinte, os dois principais executivos do IRB renunciaram aos seus postos em meio ao vexame de dimensões internacionais.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Números da pandemia

Número de óbitos por covid-19 passa de 435 mil; casos passam de 15,6 milhões

Mais de mil mortes e 40 mil novos casos foram registrados nas últimas 24 horas

Cripto

Musk dá a entender que Tesla pode se desfazer de Bitcoins que já recebeu

Comentário sobre a criptomeda foi feito em interação em rede social.

Trilhões em jogo

Ao defender pacote, Biden diz que EUA precisam de infraestrutura confiável

O projeto sofre oposição, entretanto, até mesmo de alguns meses do partido do presidente

Força-maior

Com morte de Covas, Ricardo Nunes assume definitivamente a prefeitura de São Paulo

Vice estava no cargo desde que Covas licenciou-se no início de maio; ele decretou luto oficial de 7 dias pela morte do prefeito

Ainda no papel

Queiroga diz que ministério estuda campanha de testagem contra covid-19

Botucatu abriu hoje vacinação em massa da população para pesquisa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies