Menu
2020-02-03T18:39:57-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Aposta na queda

IRB turbinou lucro em R$ 1,5 bilhão com itens extraordinários, diz Squadra

Empresa de resseguros teria prejuízo antes de impostos de R$ 112 milhões entre janeiro e setembro de 2019 sem itens que não devem se repetir nos próximos trimestres, segundo a gestora

3 de fevereiro de 2020
16:51 - atualizado às 18:39
Tela mostra cotações de bolsa de valores e gráficos de mercado
Imagem: Shutterstock

A empresa de resseguros IRB-Brasil registrou um lucro líquido antes de impostos de R$ 1,390 bilhão de janeiro a setembro de 2019. Mas sem a ajuda de itens considerados extraordinários, ou seja, que não devem se repetir nos resultados seguintes, a companhia na verdade teria um prejuízo de R$ 112 milhões no período.

Os cálculos são da gestora de fundos Squadra, que tem uma grande posição vendida em ações do IRB e publicou uma carta com uma análise sobre os resultados da empresa.

Os papéis do IRB (IRBR3) chegaram a cair 15% no pregão desta segunda-feira em reação ao documento, mas reduziram parte das perdas e fecharam o dia em queda de 9,06%, cotados a R$ 40,77. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

A diferença de R$ 1,5 bilhão entre o resultado contábil e o que seria o recorrente na visão da Squadra é atribuída a cinco itens. O principal deles é a contabilização de recebimentos de compensações por sinistros que ainda não foram pagos. Essa expectativa de ganho futuro contribuiu com R$ 605 milhões para o resultado dos nove primeiros meses de 2019.

De acordo com a gestora, apenas uma resseguradora local além do IRB reconhece esse ajuste, no valor equivalente a 2% das provisões. No IRB, esse percentual estaria em 30% e começou a ser contabilizado no ano passado.

Outros R$ 282 milhões do resultado da resseguradora em 2019 vieram da reversão de provisões de sinistros referentes a anos de subscrição anteriores a 2014. Como a empresa não divulga o efeito de reavaliações de reservas de anos anteriores, esse número se trata apenas de uma estimativa da Squadra, que no entanto diz ter sido conservadora.

A gestora também avalia que a avaliação considerada otimista da sinistralidade de contratos subscritos em 2019 rendeu outros R$ 292 milhões à companhia. A projeção de pagamento de indenizações pelo IRB estaria em apenas 30% dos prêmios, contra uma sinistralidade estimada em 71% para o acumulado dos contratos dos cinco anos imediatamente anteriores.

Os outros dois itens extraordinários reconhecidos nos resultados do IRB se referem à participação da companhia em shopping centers. A empresa obteve R$ 119 milhões com a venda do Minas Shopping e reavaliou as demais participações por um valor R$ 204 milhões maior.

Ou seja, caso a empresa venha a se desfazer desses outros shoppings, parte desse ganho de capital já foi contabilizado, de acordo com a Squadra.

Ainda de acordo com a gestora, a companhia deveria ter gerado cerca de R$ 1,6 bilhão de caixa diante do alto crescimento e do lucro reportado nos primeiros nove meses do ano.

"No entanto, o panorama que se observou foi bem diferente: o IRB consumiu mais de R$ 300 milhões de caixa", escreveu a Squadra.

Eu procurei o IRB, mas a assessoria de imprensa me informou que a companhia está em período de silêncio e não comentaria o assunto. A divulgação do balanço do quarto trimestre e de 2019 está marcada para o dia 18 de fevereiro.

Mais cedo, a empresa divulgou um comunicado informando que os balanços seguem as normas contábeis e atuariais vigentes no Brasil "com absoluta precisão, passando por um rigoroso processo de governança" e que avalia a possibilidade de tomar medidas legais contra a gestora.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Números atualizados

Brasil tem 553 mortes e 12 mil casos confirmados do novo coronavírus

Brasil chegou a 553 mortes em razão da pandemia do coronavírus, segundo atualizaçãodo Ministério da Saúde. Número representa um aumento de 13%

Fundos

Comprada em bolsa nos EUA, Verde Asset diz que volta de preços ocorrerá “mais rápido do que muitos imaginam”

Mercado já colocou nos preços uma brutal queda de lucratividade das empresas, que será revertida ao longo dos próximos anos, segundo a gestora

Não tem pra todo mundo

‘Não há como ajudar todos os setores’, diz presidente do Santander

Presidente do Santander Brasil, Sergio Rial afirmou que deve-se evitar que mais setores venham buscar dinheiro no governo por conta da crise

Premiê com covid-19

Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, dá entrada em UTI

Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deu entrada em uma unidade de terapia intensiva após a piora no seu quadro médico, disse a BBC

Tensão em Brasília e na bolsa

Ibovespa perde força após jornal afirmar que Bolsonaro vai demitir Mandetta ainda hoje

O Ibovespa se distanciou das máximas após as primeiras notícias quanto à demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Dinheiro guardado

Poupança volta a captar em meio à crise do coronavírus

Os depósitos na poupança superaram os saques em R$ 12,168 bilhões no mês passado. Com isso, a captação líquida de março foi a maior da série histórica para o mês

Jogo franco

Não há condições para fazer com segurança nova projeção para 2020, diz Anfavea

Anfavea critica restrição de bancos em relação a crédito e cobra atuação do governo federal

efeito coronavírus

PIB do Brasil deve cair 2% em 2020, diz Fitch; América Latina deve encolher 2,6%

Projeção de queda para o PIB da América Latina é maior do que a observada durante a crise financeira global de 2008/2009

medida de prevenção

Doria estende em 15 dias quarentena em São Paulo

Segundo o governo, contágio já chegou a cem cidades paulistas; recomendação é que as pessoas fiquem em casa; serviços considerados essenciais continuam em funcionamento

país contra o coronavírus

Plano contra coronavírus não inclui socorro a grandes empresas e bancos no México

Programa do governo é calcado na ampliação de programas sociais e em investimento público para fomentar o emprego.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements