Menu
2019-04-05T10:40:50-03:00
Estadão Conteúdo
Questões de longa data

S&P afirma que problemas fiscais do Brasil não são fáceis de corrigir em poucos anos

Diretora-executiva da agência de rating, Lisa Schineller, ressaltou que os entraves fiscais do país existem há mais de 20 anos

24 de janeiro de 2019
14:33 - atualizado às 10:40
Punho fechado com a bandeira do Brasil
Para a diretora da S&P, depende do Brasil o momento em que o País voltará ao grau de investimentoImagem: Shutterstock

A diretora-executiva para rating soberano da S&P Global Ratings, Lisa Schineller, afirmou que os problemas fiscais no Brasil não são fáceis de corrigir em poucos anos, pois existem desde antes de 1998, quando a agência começou a analisar a economia do País. "São questões complexas que avançaram ao longo do tempo e acumulam dificuldades para serem resolvidas. Por exemplo, como enfrentar a desoneração de impostos para segmentos de empresas?", destacou. "Temos uma avaliação de que as mudanças ocorrerão de uma forma mais devagar do que outros estimam."

Segundo Lisa, "depende do Brasil o momento em que o País voltará ao grau de investimento", especialmente com a implementação de reformas para gerar uma dinâmica sustentável para as contas públicas.

"O Uruguai levou dez anos para voltar ao grau de investimento. Alguns outros países nem retornaram a esta condição", disse ela. "A privatização deve avançar, mas será uma contribuição em única vez e não é substituto para reformas estruturais", disse.

O rating do Brasil perante a S&P é BB-, com perspectiva estável.

Lisa Schineller fez os comentários em evento promovido pela Brazilian American Chamber of Commerce em Nova York.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

PREÇOS EM ALTA

IGP-M sobe 3,28% em novembro e fica acima das estimativas

Índice referência para reajuste de contratos de aluguel acelera ante leitura de outubro e acumula alta de 21,97% no ano, diz FGV

Esquenta dos mercados

Tensão com vacina e otimismo com dados chineses se chocam; investidores locais monitoram IGP-M

O cenário de cautela e otimismo se chocam no exterior. De um lado, a China parece se recuperar do coronavírus, de outro, a pandemia ainda parece longe de um fim. Com feriado nos Estados Unidos, liquidez deve seguir baixa

capítulo final

Acionistas da Klabin aprovam acordo para encerrar pagamentos para uso da marca

Dona da marca que dá nome à empresa, Sogemar será incorporada, em acordo que envolve repasse de ações

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil tem 171 mil mortes e 6,2 milhões de casos acumulados

Nas últimas 24 horas foram apurados 37.614 diagnósticos positivos para a doença e 691 óbitos, diz Ministério da Saúde

setor em crescimento

Magalu, Via Varejo ou B2W: quem ganha na disputa pelas vendas na Black Friday?

As três gigantes do comércio eletrônico devem crescer forte na Black Friday da quarentena, depois de um ano marcado pelo avanço do online

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies