Menu
2019-07-08T12:08:10-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Reformas

Vitória na votação da Previdência será construção do Parlamento e não do governo, diz Maia

Em podcast, Rodrigo Maia destaca protagonismo da Câmara em semana decisiva e diz que apesar de ter atrapalhado, governo tem ajudado nas últimas semanas

8 de julho de 2019
12:06 - atualizado às 12:08
Rodrigo Maia concede entrevista à imprensa
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia - Imagem: Gilmar Félix/Câmara dos Deputados

Escrevi tem algumas semanas que “filho feio não tem pai”, em referência à paternidade da reforma da Previdência e, nesta segunda-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, veio dizer que o “filho” é uma construção do Parlamento e não do governo.

Em seu podcast semanal, Maia destacou o protagonismo do Câmara e do Senado em construir e votar uma agenda que represente a modernização do país, que em suas palavras significa garantir um Brasil mais justo, eficiente e com maior competitividade e produtividade ao setor privado.

“É importante entrar nesta semana com essa clareza, que a construção do texto foi uma construção parlamentar e que a construção da vitória, se ela acontecer, será uma construção do Parlamento. Não será uma construção do governo”, disse.

Maia disse, também, que o governo atrapalhou essa construção em alguns momentos, mas que tem ajudado nas últimas semanas. “Mas tem de ficar claro, nesse processo, exatamente para que os deputados tenham conforto para votar, que o resultado dessa semana será o resultado do esforço, do trabalho e da dedicação de cada deputado e deputada”, afirmou.

Agora é no plenário

Vencida a votação na Comissão Especial, a reforma da Previdência será debatida no plenário na Câmara dos Deputados. Segundo Maia, ainda hoje acontecerá uma reunião de líderes. Amanhã, se inicia o debate em torno da proposta e na noite de terça, o presidente da Casa espera construir o processo de votação. Há sessões convocadas para quarta e quinta-feira.

Segundo Maia, é preciso garantir presença em plenário de mais de 490 deputados, dos 513, para “não ter risco no resultado dessa votação”. São necessários, ao menos, 308 votos, ou 3/5 dos deputados. Maia afirma estar no “limite” desses 3/5 e já caminhando para ter mais votos.

Ainda de acordo com o presidente, não há deputado mais ou menos importante e todos os parlamentares que concordam com a tese de que a reforma é a base para a retomada do investimento de longo prazo e que isso é a base para a retomada do emprego “são responsáveis”.

Menos juros e agenda do Executivo

Maia reforça que a Previdência é a base para outras mudanças e disse esperar que o Executivo “retome seu protagonismo”, apresentando uma agenda de recuperação da economia, pois o país precisa, de forma urgente, voltar a gerar empregos.

Rodrigo Maia também disse que a Câmara e o Senado estão "fazendo história" ao construir uma solução para a reestruturação do Estado e que começando pela Previdência, se espera “que possamos ver, no segundo semestre, redução de juros”, pois redução de juros “ativa a economia”.

No mercado, seguem as apostas de que o Comitê de Política Monetária (Copom) pode começar novo ciclo de baixa da Selic na sua reunião do dia 31 de julho, mesmo com o presidente Roberto Campos Neto afirmando e reafirmando que não há relação mecânica entre aprovação da reforma e corte de juros.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

fique de olho

Itaú anuncia pagamento de juros sobre capital próprio

Serão R$ 0,05648 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte; pagamento é uma antecipação aos aos dividendos e JPC do resultado de 2021

mudanças na estatal

Conselheiro recém-eleito da Petrobras renuncia

Marcelo Gasparino da Silva foi eleito no último dia 12; executivo indica medida como “irrevogável”

seu dinheiro na sua noite

B3 Fashion Week

A semana de moda da bolsa brasileira está pegando fogo! Flashes por todos os lados, comentários entusiasmados, queixos caídos a cada novo desfile. As grandes marcas não pouparam esforços para a coleção outono/inverno — e, como era de se esperar, um intenso burburinho toma conta dos bastidores. Essa sexta-feira foi particularmente animada, com a Renner […]

Moradia classe A

Pandemia, juros baixos e dólar caro: combo impulsiona o mercado de imóveis de luxo

Uma combinação que prejudicou boa parte das empresas brasileiras acabou beneficiando o segmento imobiliário de alto padrão

fechamento da semana

Brasília impede Ibovespa de decolar, mas saldo da semana ainda é positivo; dólar vai a R$ 5,58

No Brasil, o que garantiu um bom desempenho do Ibovespa foi a alta das commodities e a recuperação econômica de Estados Unidos e China.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies