Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-14T14:30:20-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Fica como está

PSL não alcança acordo sobre mudanças para categorias da segurança na reforma da Previdência

Partido de Bolsonaro pedia que o relator incluísse mudanças em seu voto complementar para que a legenda não apresentasse destaques na comissão

1 de julho de 2019
20:45 - atualizado às 14:30
Precatórios
Congresso Nacional em Brasília - Imagem: Shutterstock

O PSL não chegou a um acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com o relator da reforma, Samuel Moreira (PSDB-SP), sobre alterar regras para categorias da segurança pública no texto da reforma da Previdência.

Com muitos deputados ligados à área, o partido de Jair Bolsonaro pedia que o relator incluísse mudanças em seu voto complementar para que a legenda não apresentasse destaques na comissão.

Depois de reunião na residência de Maia nesta segunda-feira (1), o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), disse que os diálogos vão continuar e que as reuniões devem se estender por toda a noite e amanhã. “A reunião foi muito boa conseguimos perceber abertura para o diálogo. Os deputados do PSL ligados à segurança pública apresentaram suas demandas”, disse. “Ainda estamos formulando o acordo, a intenção não é embaralhar todo processo de negociação”, afirmou.

Vitor Hugo não deixou claro se o partido ainda deve apresentar destaque ou não e não quis dar detalhes sobre quais pontos específicos estão sendo negociados.

O partido, por sua vez, estudava apresentar um destaque que pedia mudanças para policiais legislativos da Câmara e Senado, Polícia Federal, Rodoviária Federal e Ferroviária Federal (sem fazer menção a agentes penitenciários e agentes socioeducativos). Entre as mudanças pedidas, por exemplo, idade mínima de 55 para homens e 52 para mulheres, ao invés de 55 para ambos os sexos como está no texto do relator.

“Se houver desidratação vai ser algo pequeno”, disse Vitor Hugo. A emenda do PSL reduziria a economia esperada com as mudanças para as categorias de R$ 5,65 bilhões para cerca de R$ 3,02 bilhões.

Vitor Hugo disse ainda que a tendência nesse momento é que Estados e municípios fiquem de fora da reforma da Previdência.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Dia da Marmota

Feitiço do tempo: Após Evergrande, China acorda com nova chance de calote da Kaisa; conheça a empresa

As negociações das ações do grupo chinês foram suspensas hoje em Hong Kong após o vencimento de um título de US$ 400 milhões

O poder do roxinho

Maior que o Itaú (ITUB4)? Nubank descobre hoje se será ou não o banco mais valioso da América Latina

O tamanho da abertura de capital será revelado hoje, com a definição do preço das ações no mercado norte-americano

GÁS NA TRAMITAÇÃO

Projeto de lei pode conter alta dos combustíveis, mas precisa ser aprovado ainda este ano, defende relator

A medida, que cria um programa de estabilização do valor do petróleo e derivados, foi a forma encontrada para amenizar a alta dos preços sem interferir na política da Petrobras

CARNE FORTE

Marfrig sobe mais de 5% hoje, mas ainda deve saltar 60% nos próximos meses, projeta Bank of America

O Bank of America recalculou as projeções financeiras para o próximo ano e vê a empresa lucrando muito mais do que o previsto no cálculo anterior

DESTAQUES DO DIA

Varejo abaixo do esperado derruba Magazine Luiza (MGLU3), mas companhias aéreas sobem forte com vacinas eficazes contra a ômicron

Enquanto o Magalu recua mais de 8%, as empresas do setor aéreo aproveitam para engatar uma recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies