Independência do Banco Central vai acabar? Entenda melhor aqui

Cotações por TradingView
2019-03-29T15:56:07-03:00
Estadão Conteúdo
Nova Previdência

Bolsonaro diz que errou ao votar contra reforma da Previdência no passado

Presidente pediu apoio à proposta apresentada ao Congresso no período da manhã

20 de fevereiro de 2019
13:03 - atualizado às 15:56
mcmgo_abr_200220193192
O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e Senado, Davi Alcolumbre - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira, 20, que errou ao ter se posicionado contra a reforma da Previdência quando era deputado federal.

Ao entregar no período da manhã a proposta de seu governo ao Congresso, Bolsonaro pediu apoio para aprovação do texto e afirmou que, se à época em que era parlamentar tivesse o conhecimento de hoje sobre a situação da Previdência, teria avalizado mudanças na aposentadoria.

Além de se mostrar contrário à reforma quando era deputado, Bolsonaro afirmou na campanha eleitoral do ano passado que o desequilíbrio nas contas públicas não tinha qualquer relação com previdência. Chegou a dizer, ainda, que jamais atuaria para levar "miséria" aos aposentados por exigência do mercado financeiro.

"Foi um gesto de humildade do presidente admitir que, no passado, errou sobre a Previdência. Ele disse que, como parlamentar, não compreendeu a importância da reforma", contou Baleia Rossi (SP), líder do MDB na Câmara.

O deputado participou da reunião em que Bolsonaro e os ministros Paulo Guedes (Economia) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil) apresentaram a proposta aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e a líderes partidários.

Na prática, a indefinição sobre o tamanho e a coesão da base de apoio do governo no Congresso preocupa o Palácio do Planalto. Nesta terça-feira, 19, por exemplo, o governo sofreu sua primeira derrota na Câmara, que derrubou o decreto presidencial sobre classificação de documentos ultrassecretos. Foi um revés sofrido pelo Executivo no rastro da crise política provocada pela demissão de Gustavo Bebianno do cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência.

"Nós vamos ter de juntar os cacos", disse a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), para quem Bolsonaro precisa começar a conversar com o Congresso. "Há muitos deputados insatisfeitos, que estão mostrando o descontentamento no plenário", argumentou ela.

Responsável pela articulação política do Planalto com o Congresso, o ministro Onyx afirmou, a portas fechadas, que a hora de consolidar a base de sustentação do governo é agora. "Ainda não há mesmo partidos que se declaram como base do governo, com exceção do PSL (sigla de Bolsonaro), mas isso está em construção", concluiu Baleia Rossi.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

MERCADOS HOJE

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de IPCA e balanço do Bradesco

9 de fevereiro de 2023 - 7:05

RESUMO DO DIA: As bolsas de valores estrangeiras amanheceram no azul. Os investidores reagem a balanços positivos de empresas dos Estados Unidos e da Europa. Por aqui, o mercado prepara-se para o IPCA de janeiro. Também monitora a trégua na queda de braço entre o governo do presidente Lula e o Banco Central.

Lá vem bomba

Com Americanas no radar, analistas se preparam para o pior no balanço do Bradesco (BBDC4) no 4T22

9 de fevereiro de 2023 - 6:21

Bradesco publica resultados do quarto trimestre de 2022 nesta quinta-feira (9), após o fechamento do mercado

LOTERIAS

Mega-Sena sai pela primeira vez em 2023; veja de onde são os novos milionários brasileiros

9 de fevereiro de 2023 - 5:54

Mega-Sena estava acumulada desde o sorteio da virada; Lotofácil saiu para apostadores de 3 diferentes capitais

ESTRADA DO FUTURO

Nem o ChatGPT escapou do cancelamento das redes sociais. Por favor, não seja essa pessoa que discute com a inteligência artificial

9 de fevereiro de 2023 - 5:50

Em várias threads nas redes, vi pessoas obstinadas a vencerem uma discussão criada por elas mesmas contra algumas linhas de código

DIA 39

Cabo de guerra: Lula ganha reforço nas críticas ao BC — e deixa Rui Costa e Haddad do outro lado da corda

8 de fevereiro de 2023 - 20:40

Insatisfeito com o Banco Central, que na semana passada manteve a Selic em 13,75%, Lula tem protagonizado uma ofensiva sobre o presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto — também pelo fato de ver nele um bolsonarista no governo que não pode ser demitido

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies