Menu
2019-12-01T08:49:09-03:00
Estadão Conteúdo
cada um com seu caminho

PSL busca guinada política sem Bolsonaro

Para ampliar sua base nas eleições de 2020, o partido fala agora em se aproximar de governadores e formar alianças que antes esbarravam na resistência dos antigos aliados

1 de dezembro de 2019
8:49
22/07/2019 Almoço com os Oficiais-Generais da Aeronáuticar
(Brasília - DF, 22/07/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro, participa de almoço com os Oficiais-Generais da Aeronáutica.rFoto: Marcos Corrêa/PR -

Abrigo da família Bolsonaro nas eleições do ano passado, o PSL prepara um reposicionamento político e estratégico após a anunciada saída do presidente da República, que pretende criar uma nova legenda. Para ampliar sua base nas eleições de 2020, o partido fala agora em se aproximar de governadores e formar alianças que antes esbarravam na resistência dos bolsonaristas.

A expectativa entre os aliados do deputado Luciano Bivar (PSL-PE), presidente e fundador do partido, é que a dissidência deve reduzir a bancada de 53 deputados para um número entre 27 e 30 parlamentares. Isso não afetaria, porém, o tempo de TV no horário eleitoral nem os R$ 358 milhões que o PSL terá para gastar no pleito de 2020 - R$ 245 milhões do Fundo Eleitoral e R$ 113 milhões do Fundo Partidário. O cálculo é com base na bancada eleita em 2018.

Com esse ativo o partido se tornou um aliado cobiçado. Em São Paulo, a sigla tem conversado com o governador João Doria e pode formar uma chapa com o PSDB na disputa pela prefeitura da capital. A ideia de reunir Bruno Covas e a deputada federal Joice Hasselmann é defendida abertamente por Doria, que é visto como adversário político por Bolsonaro.

A aproximação com o PSDB também acontece no Rio Grande do Sul, onde a parte da legenda ligada a Bivar discute alianças com o governador do Estado, Eduardo Leite (PSDB). O movimento existe a despeito de o presidente do partido no Estado, deputado federal Nereu Crispim - aliado de Bolsonaro -, ter anunciado anteontem a saída da legenda da base de Leite.

Conversas também são conduzidas na Bahia, onde o PSL constrói pontes com DEM para disputar a prefeitura de Salvador. No Rio, após romper com Wilson Witzel (PSC), o PSL pós-Bolsonaro se reaproximou do governador e articula uma aliança para a disputa pela capital fluminense.

"O PSL pode somar com seu tempo de TV e fechar com o Republicanos e o PSDB, por exemplo. O partido pode compor a vice (nos Estados)", disse o deputado federal Junior Bozzella (SP), um dos mais próximos aliados de Bivar.

A cúpula do PSL ambiciona conquistar entre 300 e 500 prefeituras em 2020. Entre as capitais, estão colocadas as pré-candidaturas de Joice em São Paulo, do deputado estadual Fernando Francischini em Curitiba e do radialista Nilvan Ferreira em João Pessoa.

O movimento de se abrir para alianças é alvo de críticas do grupo leal a Bolsonaro. "Depois da janela partidária, o PSL vai virar um partido fisiológico. O partido não existe sem os Bolsonaro", disse o deputado estadual Douglas Diniz (PSL-SP), que pretende migrar para o novo partido do presidente.

Discurso

Além de adotar uma linha mais pragmática, o "novo" PSL planeja repaginar o discurso para atrair o eleitor de direita que rejeita o estilo beligerante e a agenda militarista de Bolsonaro. O partido deve manter o mote conservador nos costumes e liberal na economia, mas vai abandonar a agenda ideológica representada pelo escritor Olavo de Carvalho.

"O PSL será realmente alinhado com as bandeiras liberais na economia e não um partido nacionalista travestido de liberal. A parte do partido que está saindo é militarista, nacionalista e não liberal de fato", disse Joice, ex-líder do Governo no Congresso. Segundo ela, os dissidentes bolsonaristas não são "PSL raiz". "São xiitas que desrespeitam a democracia e atacam as instituições", disse.

Para Bozzella, sem os Bolsonaro o PSL pretende deixar de lado o tom radical no discurso e se contrapor aos extremos. "Há um extremismo autoritário no 'olavismo' que é extremamente ideológico. A postura entre as pessoas que cercam esse grupo é beligerante. Usam um tom ríspido, desrespeitoso, agressivo e próximo ao que vemos o Olavo de Carvalho fazer nas redes sociais", disse o deputado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Vêm proventos por aí

B3 anuncia quase R$ 2 bi em dividendos, além de recompra e desdobramento de ações

Conselho de administração da companhia aprovou pagamento de dividendos do quarto trimestre e dividendos extraordinários referentes a 2020

Cenário pandêmico

B3 lucra R$ 4,2 bilhões em 2020, alta de 53%, com volatilidade dos mercados, ofertas de ações e juros baixos no Brasil

Cenário pandêmico acabou beneficiando os resultados da companhia, resultando em volatilidade e juros baixos que impulsionaram investidores e empresas a recorrerem ao mercado de capitais

O melhor do seu dinheiro

A semana que vem, enfim, chegou

Depois de uma série de adiamentos, a PEC Emergencial enfim foi aprovada em dois turnos pelo Senado. A medida permitirá o retorno do auxílio emergencial, que ficará limitado ao teto de R$ 44 bilhões, que quase foi derrubado, mas acabou ficando. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados. O avanço foi comemorado pelo […]

FECHAMENTO

Aprovação da PEC emergencial garante recuperação do Ibovespa enquanto NY amarga perdas

A fala de Powell fez o Ibovespa reduzir os ganhos, mas ainda assim o principal índice da bolsa avançou 1,35%; dólar teve queda de 0,11%, a R$ 5,6582

Petróleo

Evitar volatilidade nos preços serve a consumidores e produtores, afirma ministro árabe na Opep+

Quanto aos elementos que vêm sendo observados na demanda para as decisões do grupo, o saudita apontou o retorno da mobilidade como uma prioridade.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies