Menu
2019-08-01T17:35:32-03:00
Estadão Conteúdo
Próximos passos

Guedes diz que prioridades são o pacto federativo e a reforma tributária

Ministro também comemorou a aprovação da reforma da Previdência em primeiro turno na Câmara dos Deputados.

1 de agosto de 2019
17:35
Paulo Guedes ministro da economia na CCJ
Ministro da Economia, Paulo Guedes. -

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira, 1, que as prioridades da equipe econômica para o próximo semestre são o pacto federativo e a reforma tributária.

Durante evento em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, ele ponderou, contudo, que uma nova forma de relacionamento com os Estados e municípios deve demorar, no mínimo, entre seis meses e um ano.

Ele afirmou que já tem conversado com senadores, deputados, com o Tribunal de Contas da União (TCU) e com o Supremo Tribunal Federal (STF) sobre um novo pacto federativo e tem tido boa disposição por parte dessas instituições.

Mais cedo, ele já havia dito que pretende desvincular todas as receitas para que os Estados, que hoje vivem uma situação financeira muito complicada, não acabem em uma situação em que possuem recursos em fundos que não podem ser utilizados para suas necessidades reais, por estarem "carimbados", ou seja, têm vinculação específica.

Ele comemorou ainda a aprovação da reforma da Previdência em primeiro turno na Câmara dos Deputados. "Apesar da turbulência política, saiu uma reforma duas vezes maior do que o que seria no sistema anterior (governo Temer)", disse, ponderando, contudo, que não considera os recursos que virão de aumento de CSLL para bancos - incluído na reforma no Congresso - no bojo do impacto. Guedes destacou ainda que a aprovação da reforma no primeiro turno "foi um ato de racionalidade do Congresso em relação à premência do problema fiscal".

Guedes também comemorou o acordo comercial firmado com a União Europeia e afirmou que, após a assinatura do entendimento com os europeus, os americanos despertaram para o assunto. Nessa semana, o governo recebeu o secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, que falou em livre comércio. "Quando assinamos acordo com a UE, os americanos chegaram e disseram e eu?", disse.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

EXPANDINDO

BTG Pactual fecha acordo para adquirir Necton Investimentos, dizem sites

Aquisição, se confirmada, vai de encontro com o objetivo do banco de acelerar suas iniciativas estratégicas e expandir sua plataforma de varejo digital

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19

País registrou 13.493 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo Ministério da Saúde

Entrevista exclusiva

Líder no Nordeste, Moura Dubeux quer manter foco na região e na rentabilidade

Em entrevista exclusiva, o CEO da incorporadora de Recife fala sobre a vida da empresa antes e depois do IPO, diz que por ora não vê sentido em sair do Nordeste e que prioriza rentabilidade a crescimento

PRÉVIA DOS BALANÇOS

Os grandões vêm aí: Petrobras e Vale divulgam os resultados; veja o que esperar

Semana será marcada pela apresentação dos resultados de algumas das principais companhias da B3

agenda lotada

Os segredos da bolsa: balanços de pesos-pesados podem manter Ibovespa em alta em semana de Copom

Lá fora, resultados do terceiro trimestre de Amazon, Apple, Facebook, Google e Microsoft são destaques, além de decisões de bancos centrais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies