Menu
2019-04-17T18:01:37-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Novo Governo

Presidente destaca confiança, livre mercado e eficiência

Bolsonaro reforça importância das reformas e convoca os parlamentares para reconstruir o país

1 de janeiro de 2019
16:29 - atualizado às 18:01
Bolsonaro Congresso
Cerimônia de posse do presidente da República, Jair Bolsonaro - Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O presidente Jair Bolsonaro destacou a confiança, o interesse nacional e o livre mercado na condução da economia em seu discurso de posse no Congresso Nacional. Bolsonaro também ressaltou o compromisso de “não gastar mais do que arrecada”.

Bolsonaro também fez um importante gesto aos parlamentares, lembrando de sua trajetória de 28 anos como deputado e convocando os pares a ajudá-lo na “missão de restaurar e reerguer nossa pátria”.

“Temos, diante de nós, uma oportunidade única de reconstruir nosso país e de resgatar a esperança dos nossos compatriotas”, disse.

Esse aceno ao Congresso é importante, pois o governo tem uma ambiciosa agenda de reformas que precisará ser votada na Câmara e no Senado.

“Realizaremos reformas estruturantes, que serão essenciais para a saúde financeira e sustentabilidade das contas públicas, transformando o cenário econômico e abrindo novas oportunidades”, disse.

Entre as reformas, a principal delas é a da Previdência, que como nos disse em entrevista recente o vice-presidente, Hamilton Mourão, é “urgência, urgentíssima”.

Ainda na área econômica, Bolsonaro falou em criar um ciclo virtuoso que traga a confiança necessária para permitir “abrir nossos mercados para o comércio internacional, estimulando a competição, a produtividade e a eficácia, sem o viés ideológico”.

O segmento agropecuário teve menção especial, relacionando seu papel decisivo “em perfeita harmonia com a preservação do meio ambiente”.

O presidente também pediu um “pacto nacional” entre a sociedade e os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário “na busca de novos caminhos para um novo Brasil”.

Libertação do Socialismo

No parlatório do Palácio do Planalto, após receber a faixa presidencial de Michel Temer, Bolsonaro fez um discurso menos protocolar destacando valores da família, de Deus e da honestidade. A redução do Estado também permeou a fala enquanto os presentes gritavam “o capitão voltou” e “mito”.

O presidente foi ovacionado ao falar que no dia de hoje o povo brasileiro começou a “se libertar do socialismo”, da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto.

“Se trabalharmos juntos essa mudança será possível”, disse.

Entre os desafios, o presidente falou que “não podemos deixar que ideologias nefastas venham a dividir os brasileiros”, destruindo a família, tida como “alicerce da sociedade”. Bolsonaro também convocou a todos a iniciar um movimento para restabelecer “padrões éticos e morais”.

Ainda de acordo com o presidente, corrupção, privilégio e vantagens “precisam acabar” e os “favores políticos” devem ficar no passado para que o governo e a economia sirvam à nação. Ele também destacou que conseguiu montar um governo sem conchavos ou acertos políticos e que seus ministros são técnicos e capazes.

Bolsonaro também disse que temos “o grande desafio de enfrentar a crise econômica” e combater o desemprego. O presidente afirmou que vai propor e implementar as reformas necessárias, ampliar a infraestrutura, desburocratizar e simplificar, tirando o “peso do governo” sobre quem trabalha e produz.

O presidente disse, ainda,  que o brasileiro pode e deve sonhar com uma vida melhor e com melhores condições para “usufruir o fruto do seu trabalho pela meritocracia”, com um governo honesto e eficiente que não crie “barreiras e pedágios”.

O presidente foi bastante ovacionado, novamente, ao falar que tem de se acabar com a ideologia que “defende bandido e criminaliza policiais” e que a preocupação será com as pessoas de bem, garantia da propriedade e legítima defesa.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

QUESTIONAMENTOS

Frente parlamentar aciona STF para suspender reforma administrativa

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a suspensão imediata da tramitação da reforma administrativa. No mandado de segurança, deputados e senadores argumentam que não é possível analisar a proposta por falta de informações técnicas. Segundo os parlamentares, a imposição de sigilo nos documentos que […]

BALANÇO

BC informa que 50 milhões de chaves já foram cadastradas no Pix

O Pix é um sistema que permitirá pagamentos e transferências 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Esse tal de BDR

O mercado financeiro adora usar termos e siglas em inglês, talvez para tornar a coisa mais difícil do que realmente é. Nos últimos dias você já deve ter lido, inclusive aqui no Seu Dinheiro, sobre um tal de BDR. As três letras vêm de Brazilian Depositary Receipts. O quê? Calma, nós chegamos lá. O BDR é […]

As queridinhas

Tesla, Apple e Mercado Livre são os BDRs mais negociados no 1º dia de mercado aberto a todos os investidores

Empresas de tecnologia dominaram o primeiro dia de negociações liberadas a qualquer investidor, que teve volume superior à média

embalou

Ibovespa fica perto dos 102 mil pontos com disparada dos bancos e alta em NY; dólar cai abaixo do R$ 5,60

Papéis de Itaú, Banco do Brasil e Bradesco terminam sessão entre as cinco maiores altas do índice, que fechou perto da máxima; moeda americana recua 0,36% e juros sobem em dia de leilão do Tesouro e à espera de novidades fiscais. Lá fora, expectativa para estímulos alivia bolsas americanas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies