Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-27T14:45:20-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Hora de virar a página

Janaína Paschoal faz críticas a Bolsonaro e diz que ele precisa trocar o “deputado temático” pelo “presidente”

Deputada estadual defendeu que o momento é de abandono das pautas que não importam e atenção aos desafios contemporâneos

27 de março de 2019
14:45
Janaína Paschoal
Janaína Paschoal - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) criticou a condução política do governo Jair Bolsonaro (PSL) e disse que é "hora de virar a página" com relação às discussões sobre o golpe de 1964. Para a parlamentar, o momento pede que o governo abandone debates que não importam e se atenha aos desafios contemporâneos.

A deputada ainda disse que uma "mudança de mentalidade" se faz necessária para Bolsonaro e pediu que ele abandone a postura de "deputado temático" e a substitua pela de presidente da República.

Janaina publicou uma sequência de tuítes na qual reclamou da ênfase do presidente e de seus apoiadores na defesa do golpe de 1964, que instaurou no País um regime militar com a duração de 21 anos. "Dilma ficou parada em 64 e deu no que deu! Agora, ao que parece, Bolsonaro também não consegue sair de 64 e as coisas não caminham bem". A deputada disse que não quer entrar na discussão entre diferentes convicções a respeito do fato histórico porque "isso não importa!"

"Apoiadores de Bolsonaro, acordem! Vocês estão querendo que o presidente paute suas ações no PT? O PT fez tudo errado, não vamos acertar só invertendo", tuitou, alertando na sequência que "se o governo e seus apoiadores não saírem de 64, não pararem de se pautar pelo que fez, falou e fala o pessoal do PT, o país estará fadado ao fracasso".

A deputada então analisou a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Orçamento ocorrida na Câmara na noite de terça-feira como uma "derrota perigosíssima" do governo. A PEC vinculou ainda mais o orçamento da União, ampliando o engessamento das contas federais de 93% para 97%. A proposta, que agora segue para o Senado, é vista como manifestação do descontentamento do Legislativo com a falta de negociação entre o governo e os partidos.

Janaina argumentou que suas reclamações são prova de sua fidelidade ao que disse Bolsonaro durante a campanha. "Meu compromisso é com o Brasil", escreveu. Para a parlamentar, Bolsonaro "vai precisar mudar a mentalidade", com a ressalva de que isso não incluiria "aceitar qualquer tipo de ilícito".

"Não estou falando de abandono de convicções. Estou falando sobre a necessidade de entender que ser presidente é muito diferente de ser um deputado temático, com todo respeito aos parlamentares que se limitam a um único tema", encerrou Janaina.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O futuro está no céu

A acirrada corrida pelo ‘carro voador’

Além de chamar a atenção no mercado de capitais, as startups de “carros voadores” estão atraindo talentos e parceiros de setores mais tradicionais da economia

XP anuncia investimento na edtech Resilia

A Resilia é uma edtech que combina tecnologias que potencializam o aprendizado individualizado e em comunidade com um método de ensino que capacita potenciais talentos de uma forma mais rápida para o mercado digital

Análise

Investir em ações de banco ainda é uma boa? Veja 3 motivos que deixam a XP Investimentos cautelosa

Se no ano passado a postura era otimista, agora os analistas do setor financeiro da XP estão mais cautelosos, já que o cenário é de preços elevados dos ativos e uma concorrência e intervenções regulatórias preocupantes.

REFORMA TRIBUTÁRIA

PIB pode crescer 1,6% com redução de IR para empresas, indica estudo

O cálculo de 20% teve como base comportamento das empresas depois de um dos maiores aumentos na alíquota do imposto sobre dividendos no mundo – na França, em 2013, de 15,5% para 46%

ESG

‘Equidade racial se tornou prioridade dentro da Vivo’, diz presidente

Dentro da extensa agenda ESG, que concentra ações ambientais, sociais e de governança, a Vivo aposta na equidade racial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies