Menu
2019-05-03T09:55:26-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Guerra das maquininhas

Itaú diz que Rede continua lucrativa mesmo com taxa zero em recebíveis de cartão

Candido Bracher, presidente do maior banco privado brasileiro, negou que o Itaú esteja se valendo do seu poder de fogo na disputa pelo cada vez mais acirrado mercado das maquininhas de cartão

3 de maio de 2019
9:40 - atualizado às 9:55
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco - Imagem: Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

A Rede, empresa de maquininhas de cartão do Itaú Unibanco, vai perder receita com a decisão de zerar a taxa nas operações de antecipação de recebíveis aos lojistas, mas continua sendo "muito lucrativa". A afirmação é do presidente do banco, Candido Bracher.

Ele negou que o Itaú esteja se valendo do seu poder de fogo na disputa pelo cada vez mais acirrado mercado das maquininhas de cartão. "Nós apenas antecipamos uma tendência que nos parece inexorável", afirmou Bracher, em teleconferência com a imprensa para comentar o resultado do primeiro trimestre do banco.

Para você entender o que está em jogo, os lojistas que fazem vendas no cartão de crédito só recebem o dinheiro em um prazo de 30 dias. Para quem deseja antecipar esses recursos, as empresas de maquininhas oferecem linhas de crédito, cobrando uma taxa de juros.

O que a Rede fez foi zerar essa taxa para os clientes com faturamento abaixo de R$ 30 milhões e que tenham conta no Itaú. As novas regras entraram em vigor ontem.

Bracher disse que a prática de realizar os pagamentos das vendas no cartão em dois dias (D+2) é comum no resto do mundo, mas que no Brasil ainda não acontecia em razão das altas taxas de juros.

O presidente do Itaú negou que o banco irá compensar essa perda de receita com a antecipação de recebíveis em outras linhas do banco. "Se houvesse grandes compensações, não teria sido necessário alterarmos o nosso guidance [projeção]", disse aos jornalistas.

Junto com o balanço, o Itaú reduziu ontem a projeção de crescimento nas receitas com serviços e tarifas, de um aumento de 3% a 6% para uma expansão de 2% a 5%. O banco também diminuiu a expectativa para o crescimento da margem financeira com clientes, que inclui as receitas com crédito, para um intervalo de 9% a 12%. A estimativa anterior variava de 9,5% a 12,5%.

Sobre a exigência do domicílio bancário no Itaú para o benefício da taxa zero na antecipação de recebíveis, o executivo afirmou que o banco zerou a tarifa para quem quiser transferir os recursos para outra instituição financeira.

Bracher disse ainda que vê "com muito bons olhos" a proposta lançada pela Cielo de criação de um custo efetivo total (CET) das taxas cobradas dos lojistas pelas empresas de maquininhas.

"Se a sugestão do nosso concorrente for levada à frente terá o nosso apoio."

A Cielo, controlada pelo Banco do Brasil e pelo Bradesco, também anunciou que vai zerar a taxa de antecipação no crédito à vista e do aluguel da maquininha (para os lojistas com faturamento acima de R$ 5 mil por mês) no plano "Cielo Livre".

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Pressão para todo lado

Comissão inicia discussões sobre a Reforma Administrativa; relator afirma que Bolsonaro precisa manifestar seu apoio

A comissão especial formada na Câmara dá hoje o pontapé inicial na discussão da reforma administrativa. A primeira reunião é cercada de forte pressão para definir a lista das categorias de Estado a serem incluídas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC). O crescimento desse movimento é uma das preocupações do relator do projeto, deputado […]

Matéria-prima salgada

Commodities vão inflacionar o mercado de carros, diz presidente de consórcio que reúne Fiat, Jeep, Peugeot e Citroën

Além da pandemia e da falta de chips, o executivo vê com preocupação o movimento inflacionário das commodities usadas pelo setor

MERCADOS HOJE

Dólar fica abaixo dos R$ 5 pela primeira vez em um ano; confira as razões para a queda da moeda

Entrada de fluxo estrangeiro no país é acompanhada de alguns critérios técnicos e uma melhora na percepção de risco.

Ampliando investimentos

GM amplia em 75% investimentos em carros elétricos e automáticos até 2025

A projeção da empresa é de que seu Ebit fique entre US$ 8,5 bilhões e US$ 9,5 bilhões na primeira metade do ano

Análise do presidente

Para Bolsonaro, derrubada ou perda da validade da MP da Eletrobras provocará caos

A MP não tem consenso entre líderes e corre o risco de ser derrubada ou ter a votação adiada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies