🔴 AÇÃO QUE JÁ DISPAROU 1.200% E AINDA ESTÁ BARATA – VEJA QUAL

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
pouco mudou

Vendas do varejo ficam estáveis em junho; no semestre, comércio perde ritmo

Volume de vendas teve crescimento de 0,1% em junho; no primeiro semestre a alta foi de 0,6%, segundo IBGE.

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
7 de agosto de 2019
13:14 - atualizado às 15:28
Imagem: Fotos Públicas

O volume de vendas no varejo ficou estável em junho, com leve crescimento de 0,1%, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio divulgada nesta quarta-feira, 7, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com junho de 2018, o setor caiu 0,3%.

Embora o primeiro semestre tenha registrado alta de 0,6%, desde fevereiro o comércio mostra perda de ritmo, com o acumulado em 12 meses caindo de 2,4%, naquele mês, para 1,1% em junho.

O índice de junho, em relação a maio, foi influenciado pela estabilidade de hipermercados (0,0%) e de outros artigos (0,1%), que juntos respondem por cerca de 60% do resultado no mês.

No entanto, as vendas nessas atividades têm tido comportamentos diferentes. Enquanto hipermercados apresentam perda de ritmo, com -0,3% no primeiro semestre, outros artigos mostram crescimento de 4,4% nesse período.

De acordo com a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, o resultado do varejo reflete a conjuntura de baixo dinamismo econômico, o grande nível de pessoas desempregadas, e o elevado endividamento das famílias, que é o maior desde abril 2016, segundo dados do Banco Central.
“As famílias estão fugindo das prestações na aquisição de bens duráveis como móveis e eletrodomésticos, e estão direcionando o consumo para alimentos. Então, a queda em hipermercados não significa que as famílias estejam deixando de comprar, mas estão optando por marcas mais baratas. Na farmácia, não dá para fazer isso”, explica Isabella.

O resultado semestral sinaliza desaceleração no volume de vendas. Mesmo com a quarta comparação semestral positiva consecutiva, de 0,6% no primeiro semestre, o setor mostra queda no ritmo na comparação a semestres anteriores, quando cresceu 4,2% no segundo semestre de 2017, 2,9% no primeiro semestre de 2018 e 1,7% no segundo semestre de 2018.

Varejo ampliado também perde ritmo

Já o comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e materiais de construção, após avançar por três meses, também apontou perda de ritmo nas vendas, ficando estável em junho, na comparação com maio.

Frente a junho de 2018, o setor expandiu 1,7% e acumulou 3,2% de ganho nos primeiros seis meses do ano de 2019. O indicador acumulado nos últimos doze meses, caiu de 3,9% até maio para 3,7% até junho.

“Ainda que o mercado de trabalho tenha mostrado aumento de população ocupada, esse aumento se deu no emprego informal, que tem um rendimento mais baixo, além de não ter benefícios e nem acesso a crédito, por isso não se refletiu no setor do comércio”, concluiu Isabella Nunes.

Falta dinamismo

Na avaliação de Nunes, o varejo tem mostrado baixo ritmo de crescimento no ano de 2019, em linha com a falta de dinamismo da recuperação econômica.

"A recuperação no mercado de trabalho vem se dando de forma lenta e com um perfil que não ajuda muito ao comércio. São vagas informais, com renda mais baixa. A renda disponível na economia se mantém estável". "É sempre um conjunto de fatores, nunca é isolado", completou.

Outro fator por trás das dificuldades enfrentadas pelo varejo é o endividamento das famílias. "Se a maior parte das famílias está endividada, antes de consumo, elas vão estar primeiro tentando resolver esse problema do endividamento", opinou.

"O varejo tem dois meses de estabilidade na série com ajuste sazonal", resumiu Isabella.

Em junho, o comércio varejista está apenas 0,4% acima do patamar que encerrou 2018. O desempenho em 2019 tem sido prejudicado pelo setor de supermercados, que opera 1,3% abaixo do patamar de dezembro de 2018.

"Não quer dizer que esteja deixando de vender. O supermercado é uma atividade que tem grande poder de substituição. Ao se alimentar, você pode estar optando por um produto com preço menor. As pessoas não deixam de comer. Elas podem substituir", explicou Isabella.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o volume vendido está em melhor posição, 2,5% acima do patamar de dezembro, alavancado pelo segmento de veículos, que opera em nível 14,9% superior ao do fim de 2018.

"O varejo ampliado mostra dinamismo maior puxado por veículos", confirmou Isabella.

*Com Estadão Conteúdo.

Compartilhe

Rublo em disparada

Apesar de sanções, o rublo está no seu maior patamar em sete anos — mas isso não é uma boa notícia para Putin

23 de junho de 2022 - 11:55

Moeda russa se valorizou quase 250% desde março; entenda o que isso representa para a economia do país

Dias difíceis para o varejo

Westwing (WEST3) perde diretor financeiro e RI; ações da varejista online de móveis e decoração caem mais de 80% desde IPO

20 de junho de 2022 - 11:45

Thiago Deiab renunciou ao cargo após pouco mais de um ano na cadeira de diretor financeiro e de relações com investidores da Westwing; ações reagem em queda

DIMINUINDO A VELOCIDADE

Luz amarela no e-commerce: XP corta preço-alvo de Americanas (AMER3), Magalu (MGLU3), Via (VIIA3) e Enjoei (ENJU3)

9 de fevereiro de 2022 - 14:04

Inflação e juros altos são motivos de tensão para essas empresas, que podem ter na Copa do Mundo e na competição mais racional o ponto de virada para o desempenho deste ano

BATALHA PELO CLIQUE

Mercado Livre lidera, mas Shopee avança em ranking de sites de comércio eletrônico mais acessados em dezembro; confira a lista

18 de janeiro de 2022 - 17:19

Americanas e Amazon completam o pódio dos sites com maior acesso. Site de viagens Booking ganhou oito posições e é o único do setor de turismo na lista

GUERRA DO E-COMMERCE

Shopee ultrapassa Mercado Livre e se torna a queridinha dos clientes brasileiros; Magazine Luiza e Via ficam para trás

12 de janeiro de 2022 - 18:50

Empresa asiática que veio disputar as vendas pela internet no país aparece com o maior índice de satisfação dos clientes, segundo pesquisa do Bank of America; Magazine Luiza e Via patinam

BIG DATA

Inteligência artificial a serviço do consumidor: Infracommerce (IFCM3) compra Tevec e dá mais um passo para disputar espaço com MagaLu, Mercado Livre e Amazon

3 de janeiro de 2022 - 12:01

Com aquisição revelada hoje, Infracommerce reforça sua posição para enfrentar gigantes do comércio eletrônico

A BOLSA COMO ELA É

Black Friday decepciona varejo e é hora de jogar na defensiva na bolsa; veja como começar 2022

30 de novembro de 2021 - 10:58

Resultado fraco de vendas induz revisão das expectativas para o varejo brasileiro no futuro próximo; o momento é de defesa

SEU DINHEIRO CONVIDA

Fortalecimento do e-commerce exige aliar o que há de melhor em mercadorias, abastecimento e informações

11 de novembro de 2021 - 5:55

Empresas devem refletir sobre como podem otimizar seus processos, comparando e gerenciando dados para melhorar significativamente a experiência de compra dos consumidores online

E-Commerce

Amazon acelera atração de lojistas brasileiros

10 de outubro de 2021 - 8:50

Empresa lança plataforma que coletará produtos no endereço dos vendedores; a gigante americana também vai abrir espaço em seu estoque para mercadorias de terceiros

Reflexo da retomada

Demanda em alta: Energisa (ENGI11) registra alta na venda de energia em julho – Veja os números

27 de agosto de 2021 - 7:23

Segundo boletim mensal da companhia, desempenho foi impulsionado principalmente pelos clientes dos segmentos de comércio e indústria

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar