Menu
2019-12-30T12:09:58-03:00
Resultado fiscal

Setor público tem déficit primário de R$ 15,312 bilhões em novembro

No ano até novembro, o gasto com juros somou US$ 342,361 bilhões, o que representa 5,18% do PIB. Em 12 meses até novembro, as despesas com juros atingiram R$ 369,270 bilhões (5,12% do PIB)

30 de dezembro de 2019
12:09
Grupo de pessoas amontoadas forma cifra de dinheiro
Imagem: Shutterstock

O setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras) apresentou déficit primário de R$ 15,312 bilhões em novembro, informou nesta segunda-feira, 30, o Banco Central (BC). Em outubro, havia sido registrado superávit de R$ 9,444 bilhões.

O resultado primário consolidado do mês passado ficou dentro do intervalo das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de déficit de R$ 21,5 bilhões a R$ 14,3 bilhões, e inferior à mediana negativa de R$ 17,3 bilhões.

Em novembro do ano passado, houve resultado negativo de R$ 15,602 bilhões.

O resultado fiscal de novembro foi composto por um déficit de R$ 18,177 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Já os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 2,903 bilhões no mês. Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 2,970 bilhões, os municípios tiveram resultado negativo de R$ 66 milhões. As empresas estatais registraram déficit primário de R$ 39 milhões.

A meta de déficit primário do setor público consolidado considerada pelo governo é de R$ 132,0 bilhões para 2019. No caso do governo central, a meta é um déficit de R$ 139,0 bilhões.

No ano

As contas do setor público acumularam um déficit primário de R$ 48,359 bilhões no ano até novembro, o equivalente a 0,73% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central.

O cálculo leva em conta o resultado do governo central, além de Estados, municípios e estatais (com exceção de Petrobras e Eletrobras).

O déficit fiscal no ano até novembro ocorreu principalmente em função do rombo de R$ 72,799 bilhões do Governo Central (1,10% do PIB).

Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um superávit de R$ 22,332 bilhões (0,34% do PIB) no período. Enquanto os Estados registraram saldo positivo de R$ 20,361 bilhões, os municípios tiveram uma economia de R$ 1,972 bilhão.

As empresas estatais registraram um resultado negativo de R$ 2,107 bilhões no período.

12 meses

As contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 89,492 bilhões em 12 meses até novembro, o equivalente a 1,24% do PIB.

O déficit fiscal nos 12 meses encerrados em novembro pode ser atribuído ao rombo de R$ 105,553 bilhões do Governo Central (1,46% do PIB). Os governos regionais apresentaram um superávit de R$ 12,951 bilhões (0,18% do PIB) em 12 meses até novembro. Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 14,089 bilhões, os municípios tiveram um saldo negativo de R$ 1,138 bilhão. As empresas estatais registraram um resultado positivo de R$ 3,110 bilhões no período.

Gastos com juros

O setor público consolidado teve gasto de R$ 37,844 bilhões com juros em novembro, após esta despesa ter atingido R$ 20,330 bilhões em outubro, informou o Banco Central.

O governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) teve no mês passado despesas na conta de juros de R$ 32,656 bilhões. Os governos regionais registraram gasto de R$ 4,596 bilhões e as empresas estatais, de R$ 592 milhões.

No ano até novembro, o gasto com juros somou US$ 342,361 bilhões, o que representa 5,18% do PIB. Em 12 meses até novembro, as despesas com juros atingiram R$ 369,270 bilhões (5,12% do PIB).

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

MEDO DE PERDER DINHEIRO FAZ BEM

As vantagens de ser um investidor covarde

Você tem que ter medo. O excesso de confiança é muito perigoso. O Bobby Axelrod fala isso em um episódio do Billions: ‘eu sinto o gosto do medo na garganta, eu não quero ficar pobre

de olho nos números

Cemig registra lucro líquido de R$ 1 bilhão no 2º tri, queda de 50,6% em um ano

A receita líquida caiu para R$ 5,93 bilhões, de R$ 7,0 bilhões no mesmo trimestre do ano anterior.

balanço do coronavírus

Covid-19: Brasil registra 106.523 mortes e 3,27 milhões de casos

Nas últimas 24 horas, foram notificados 1.060 novos óbitos pela doença

seu dinheiro na sua noite

Quatro passos para escolher uma ação na bolsa

Os detratores da bolsa gostam de comparar o investimento em ações a um cassino, com apostas viciadas em favor da banca (ou dos bancos). Eu mesmo faço essa referência em tom de ironia no meu livro Os Jogadores — já fica a dica de leitura. Não há como negar que muitos investidores realmente encaram o mercado como […]

Sob nova direção

Banco do Brasil confirma indicação de André Brandão para presidência

O Banco do Brasil confirmou agora à noite a indicação de André Brandão para assumir o cargo de presidente da instituição financeira. Após a comunicação formal, via ofício do Ministério da Economia, iniciou-se no âmbito do BB os procedimentos de governança necessários à confirmação da elegibilidade do executivo para o cargo. Brandão faz parte do […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements