Menu
2019-10-24T16:07:36-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
planos para um breve futuro

Janela de aprovação de medidas será no primeiro semestre de 2020, diz secretário de Previdência

Marinho também voltou a falar sobre um programa desenvolvido pelo governo para estimular a empregabilidade entre os jovens e que deverá ser anunciado ainda na primeira semana de novembro

24 de outubro de 2019
16:07
Rogério Marinho
Rogério Marinho - Imagem: Wilson Dias/Agência Brasil

O governo federal vai enviar ao Congresso projetos de novas reformas, como a administrativa, que mira os salários e benefícios de servidores públicos, ainda em 2019, mas trabalha com a janela de aprovação das medidas no primeiro semestre de 2020. A afirmação foi feita na manhã desta quinta-feira, 24, pelo secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, à Globonews.

"Há todo um rito que precisa ser cumprido para as outras reformas. O governo vai apresentar ainda neste ano os projetos que considera como pauta que deverá ser negociada com o Congresso", disse ele. Além da reforma administrativa, Marinho também mencionou a proposta de novo Pacto Federativo, com o objetivo de garantir a transferência de mais recursos para os Estados e municípios.

O secretário também voltou a falar sobre um programa desenvolvido pelo governo para estimular a empregabilidade entre os jovens e que deverá ser anunciado ainda na primeira semana de novembro.

Na quarta-feira, 23, Marinho já havia antecipado a divulgação do programa em entrevista exclusiva ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Segundo Marinho, o objetivo é atacar a situação da desocupação por várias frentes, incluindo incentivos a empreendimentos. "O governo vai fazer uma política forte de microcrédito, porque não existe só o emprego formal, existe também a ocupação."

PL de periculosidade

O secretário reforçou que o acordo entre o governo e o Senado para promulgar a reforma da Previdência é enviar, até a próxima quarta-feira, 30, um projeto de lei complementar regulamentando a aposentadoria especial por periculosidade. O acordo foi costurado na quarta-feira, 23, na reta final da votação do texto no Senado.

Conforme o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) revelou mais cedo, uma mensagem do secretário-geral da Mesa do Senado, Luiz Fernando Bandeira de Mello, enviada a servidores da Casa, informou que a promulgação das mudanças só será feita entre o fim de novembro e o início de dezembro, após votação do projeto. Bandeira afirmou à reportagem que o acordo envolve o envio, e não necessariamente a votação, da proposta e a presença do presidente Jair Bolsonaro na promulgação.

"O governo não tem controle sobre o ritmo legislativo nem do Senado nem da Câmara. O acordo que nós fizemos seria para apresentar o PLP. Na quarta-feira, vamos entregar", disse Marinho após participar de um evento da Federação Nacional de Saúde Suplementar, em Brasília. "A promulgação vai acontecer, o processo legislativo já terminou. Isso é uma cerimônia, é um formalismo."

O impacto fiscal da reforma, calculado em R$ 800,3 bilhões em dez anos, foi projetado para o período a partir de janeiro de 2020, destacou Marinho. "Não há preocupação da nossa parte em que a promulgação seja feita dia 5, 10 ou 15. Eu acho que a promulgação tem que ser feita quando houver conforto do Senado de que possa ser feita uma divulgação adequada para o conjunto da sociedade."

O momento da promulgação, no entanto, vai definir a quantidade de pessoas que passará a se enquadrar nas novas regras, impactando diretamente a extensão da reforma. Servidores do Senado estão repassando a informação porque a medida afeta diretamente seus bolsos. Muitos recebem altos salários, e um mês a menos sob a nova contribuição pode render uma diferença de R$ 2 mil a mais no fim do mês.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Expansão

3R Petroleum fecha parceria com DBO para aquisições de campos offshore

Com a parceria, a DBO se tornará acionista minoritária da OP, que seguirá sob controle da 3R

Boletim médico

Covid-19: mortes ultrapassam 264 mil e casos chegam a quase 11 milhões

Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite deste sábado (6)

ESTRADA DO FUTURO

A mentira envolvendo o Clubhouse e o Tinder que rendeu 400% de valorização

Os mercados estão longe de serem perfeitos, e hoje vou te contar uma história real que envolve duas das empresas mais quentes no setor de mídias sociais: o “Clubhouse” e o “Tinder”.

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

entrevista

‘Episódio Petrobras deu um susto grande nos investidores’, diz economista do Itaú

O economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita, diz também estar preocupado com as incertezas políticas, que ameaçam o crescimento do PIB

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies