Menu
2019-07-31T09:20:56-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
as tais NRs

Governo anuncia mudanças em normas trabalhistas

A NR 1 e a NR 12 tiveram a redação revisada. Já a NR 2 foi revogada; demais alterações, segundo o governo federal, serão anunciadas durante os próximos meses; economia pode chegar a R$ 68 bilhões em 10 anos

30 de julho de 2019
20:33 - atualizado às 9:20
30/07/2019 Cerimônia de Revisão e Modernização das Normas Re
Presidente da República, Jair Bolsonaro -

O governo federal anunciou nesta terça-feira, 30, a revisão de 36 normas reguladoras (NRs) de proteção da saúde e da segurança de trabalhadores. O objetivo é gerar uma economia que deve chegar a pelo menos R$ 68 bilhões nos próximos dez anos, considerando as primeiras mudanças, segundo a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia.

A NR 1, que trata das disposições gerais sobre saúde e segurança no trabalho, e a NR 12, que dispõe sobre a segurança na operação de máquinas e equipamentos, tiveram a redação revisada. Já a NR 2, que previa inspeções prévias, foi revogada.

As demais alterações, segundo o governo federal, serão anunciadas durante os próximos meses.

Segundo o secretário especial de Trabalho e Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho, as 36 NRs  somam mais de 6 mil linhas distintas de autuação que têm impacto direto na produtividade das empresas.

“Não podemos conviver com regras anacrônicas que nos atrasam, atrapalham e nos inibem. O empreendedor brasileiro tem uma âncora nos pés na hora de competir com os chineses”, discursou em evento no Planalto.

Mudanças

A NR 1 terá tratamento diferenciado para os pequenos empregadores, flexibilizando as regras de segurança e de saúde. As micro e pequenas empresas serão dispensadas de elaborar programas de prevenção de riscos ambientais, de controle médico e de saúde ocupacional, caso não atuem em atividades com riscos químicos, físicos ou biológicos.

O novo texto da NR 1 também muda as regras de capacitação. O tema que, estava disperso em 232 itens, subitens, alíneas ou incisos de outras NRs, agora terá um capítulo exclusivo dentro da norma. Será permitido o aproveitamento total ou parcial de treinamentos quando um trabalhador muda de emprego dentro da mesma atividade. Segundo a SPE, essas medidas devem gerar economia de R$ 25 bilhões em dez anos.

Criada na década de 1970 e revisada em 2010, a NR 12, conforme a comissão tripartite, era considerada de difícil execução, pois não estava alinhada com normas internacionais de proteção de máquinas e trazia insegurança jurídica por dúvidas sobre a correta aplicação. De acordo com a SPE, a atualização reduzirá os custos para a indústria em R$ 43,2 bilhões nos próximos dez anos, resultando em aumento de 0,5% a 1% da produção industrial.

Com redação de 1983, a NR 2 exigia uma inspeção do trabalho prévia para abrir pequenos negócios, como lojas em shopping. De acordo com o Ministério da Economia, a revogação diminui a burocracia e reduz a intervenção estatal na iniciativa privada.

Consolidação

O governo também anunciou a consolidação de cerca de 160 decretos sobre normas de trabalho em quatro textos. Um primeiro grupo de decretos abrange 19 textos que tratam de direitos trabalhistas dispostos em várias leis, como gratificação natalina, vale-transporte e autorização para desconto em folha de pagamento, entre outros. O segundo texto agrupa 51 decretos que regulamentam 36 profissões. Oito decretos que tratavam de legislações antigas, sem efeitos nos dias atuais, foram revogados.

O terceiro texto agrupa os decretos relativos às convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Até o momento, o Brasil ratificou 97 convenções, das quais 77 estão em vigor. Os textos originais dos decretos e a ordem cronológica em que foram adotadas no país foram mantidos.

Por fim, a Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia propõe a edição de decreto para regulamentar o Conselho Nacional do Trabalho e a Comissão Tripartite Paritária Permanente. De acordo com o governo, o texto pretende viabilizar o diálogo social relativo às relações de trabalho e às normas de segurança e saúde no trabalho.

*Com Agência Brasil

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Não agora

Havan protocola desistência de IPO junto à CVM

Notícia de que a varejista poderia adiar IPO já corria o mercado; Havan entrou com pedido de abertura de capital no fim de agosto

Atritos

Maia critica obstrução de base do governo e cobra interesse para votar reformas

Para o presidente da Câmara, o acordo firmado em fevereiro que garantiria a presidência da CMO ao deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) é o válido.

Tesouro Nacional

Dívida Pública Federal sobe 2,59% e fecha setembro em R$ 4,526 tri

Em agosto, o estoque estava em R$ 4,412 trilhões.

Vai comprar?

BB Investimentos eleva preço-alvo da Unidas após resultados positivos no trimestre

A companhia teve um volume recorde na venda de carros e uma alta de 65,4% na receita líquida de seminovos, comparando com 2019.

alta forte

Mercado de juros futuros tem dia tenso e aumenta pressão sobre BC na véspera da decisão do Copom

Selic atualmente está em 2% ao ano; mercado presta atenção em postura que será adotada pelo Copom em meio à alta da inflação e ao risco fiscal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies