Menu
2019-03-20T16:24:30-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Juros

Fed mantém taxa de juros e reforça que será “paciente”. Mercado reage positivamente

Banco Central americano deixa taxa entre 2,25% e 2,5% e diz que atividade segue firme, mas em ritmo menor que o visto no fim de 2018.

20 de março de 2019
15:13 - atualizado às 16:24
Jerome Powell, presidente do Federal Reserve
Jerome Powell, presidente do Federal Reserve -

O Federal Reserve (Fed), banco central americano, manteve a taxa de juros entre 2,25% e 2,5%. No comunicado apresentado após a reunião, o colegiado comandando por Jerome Powell refirma que será “paciente” na condução da política monetária para garantir a expansão da economia, fortes condições no mercado de trabalho e inflação na meta de 2%.

A decisão veio dentro do esperado, mas teve impacto positivo no mercado, pois o conhecido "gráfico de pontos", que capta a expectativas do membro do colegiado não projeta mais elevação de juros agora em 2019. As bolsas americanas operavam em baixa e mudaram de rumo após a decisão. O Dow Jones caia 0,62% antes do anúncio e, há pouco, subia 0,11%. O S&P 500 saiu de baixa de 0,46% para alta de 0,33%.

Na avaliação sobre o ambiente econômico, o Fed reconhece que o mercado de trabalho permanece forte, mas que o crescimento da atividade está menor se comparado ao fim do ano passado.

Além disso, dados recentes sugerem menor crescimento do consumo e dos investimentos no primeiro trimestre. Algo que era visto como “crescendo solidamente” na reunião realizada no fim de janeiro.

Segundo o Fed, a inflação, medida em 12 meses, recuou captando, basicamente, o comportamento dos preços de energia e alimentos. Tirando esses itens, a inflação segue ao redor dos 2%.

O Fed também anunciou uma nova estratégia envolvendo seu balanço de ativos. Entre as ações está a redução no ritmo mensal de diminuição de US$ 30 bilhões para US$ 15 bilhões. A partir de outubro, o Fed também passará a reinvestir em títulos do Tesouro os pagamentos de juros e principal que recebe de outros ativos, até o limite de US$ 20 bilhões.

Em apresentação, o presidente Jerome Powell, explicou que a redução na expectativa de crescimento e aperto nas condições financeira, no fim de 2018, estão entre os fatores que garantem essa “paciência” do Fed na definição da política monetária. Outros fatores citados foram a redução do crescimento em outros países, o Brexit e as disputas comerciais globais. A projeção de crescimento, que estava na linha de 2,5% em setembro, caiu para a casa de 2,1% agora. Apesar disso, ele afirma que as perspectivas ainda são positivas para o ano. "É um bom momento para sermos pacientes", disse Powell, em conversa com jornalistas.

 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

prévias

Eztec tem queda de 48% nas vendas no quarto trimestre

Lançamentos da empresa atingiram R$ 380,8 milhões, chegando a R$ 1,150 bilhão no ano – 85% a mais do que no terceiro trimestre

seu dinheiro na sua noite

2 milhões de mortos, 2 trilhões em estímulos e uma queda de mais de 2%

Se a primeira semana de 2021 nos mercados refletiu o otimismo geral com o novo ano que se iniciava, com perspectivas de vacinação contra o coronavírus e recuperação econômica, na segunda semana do ano, os investidores optaram pela cautela. Por ora, 2020, o ano do qual todos queríamos nos livrar, ainda não ficou para trás. […]

FECHAMENTO

Atritos políticos e covid-19 voltam para assombrar o mercado e Ibovespa recua mais de 2%; dólar sobe forte

Existe uma certa desconfiança de que o plano de US$ 1,9 trilhão apresentado por Biden encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas. No Brasil, situação do coronavírus reacende a pressão sobre o cenário fiscal

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

pandemia

Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país de mais de 1,3 bilhão de habitantes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies