Menu
2019-11-01T19:55:15-03:00
Estadão Conteúdo
No velho continente

Bancos europeus cortam custos e taxam depósitos, em cenário de juros baixos

Bancos vivem um dilema: cortar custos rapidamente ou correr o risco de ficar ainda mais atrás de seus concorrentes nos Estados Unidos

1 de novembro de 2019
19:55
Zona do Euro
Imagem: shutterstock

As taxas de juros muito baixas e a incerteza política e econômica estão forçando os bancos europeus a enfrentar um imperativo ao qual eles têm demorado a responder: cortar custos rapidamente ou correr o risco de ficar ainda mais atrás de seus concorrentes nos Estados Unidos.

O Deutsche Bank está passando por mudanças profundas, eliminando muitas de suas ambições globais para focar mais em empresas alemãs. Outros bancos na Alemanha, Suíça e Espanha começaram a cobrar clientes ricos e corporativos por seus depósitos. O Credit Suisse começará em breve a cobrar clientes com mais de US$ 2 milhões em depósitos a uma taxa de juros de 0,75%.

As taxas de juros estão baixas na Europa há anos, à medida que o Banco Central Europeu (BCE) tenta usar a ferramenta para incentivar empresas e famílias a gastar. Mas as economias no continente começaram a mostras sinais de desaceleração e o BCE foi forçado a dobrar a aposta na estratégia, preparando o cenário para um ambiente de taxas baixas nos próximos anos.

Embora cobrar dos clientes ajude, não é suficiente. Por isso, os bancos estão buscando também formas de atrair depositantes para fazer investimentos que gerem taxas. O ING, por exemplo, fez uma parceria com a seguradora francesa AXA para oferecer produtos de seguros aos clientes.

"Bancos estão analisando mais a eficiência de custos e buscando encontrar um novo modelo de negócios que permita melhores oportunidades de vendas cruzadas", diz o vice-chefe da equipe de bancos da agência de classificação Scope Ratings, Marco Troiano.

*Com informações da Dow Jones Newswires.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

O melhor do seu dinheiro

Stuhlberger blindado no dólar

Com alta de quase 10% em 2021, o dólar tem sido, até agora, um dos melhores investimentos do ano. Pode até parecer estranho, tendo em vista a quantidade de estímulos fiscais e monetários nos Estados Unidos. Mas parte dessa valorização não vem exatamente do fortalecimento da moeda americana, mas do enfraquecimento do real. É no […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Ufa! Ibovespa avança quase 5% em semana de alta volatilidade, mas dólar vai a R$ 5,68

A PEC emergencial e a disparada dos títulos públicos norte-americanos monopolizaram o noticiário, pressionando o câmbio e a bolsa

Regime especial

STF forma maioria para manter sigilo das informações do programa de repatriação

A análise tem origem em uma ação proposta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em 2017.

Algo não agradou

Guedes vê perda estrutural em PEC do auxílio

O sentimento na equipe de Guedes foi de perda da possibilidade de acionamento dos gatilhos em caso de calamidade por mais dois anos seguintes

DIÁRIO DE BORDO

À procura de um porto seguro para seu dinheiro em tempos turbulentos no Brasil? Veja onde investir

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies