A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2022-07-12T07:57:15-03:00
Ricardo Gozzi
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
ESQUENTA DOS MERCADOS

Esquenta dos mercados: Bolsas estrangeiras recuam e euro flerta paridade com o dólar antes da inflação nos EUA; Ibovespa acompanha PEC dos benefícios

Além da inflação nos Estados Unidos, temores referentes ao fornecimento de gás à Europa ajudam a azedar o humor dos investidores hoje

12 de julho de 2022
6:53 - atualizado às 7:57
grafico-bolsa (1)
Bolsas caem e euro aproxima-se à paridade com o dólar.

Pior do que uma notícia ruim em si muitas vezes é a ansiedade diante da espera. Isso se aplica aos mercados financeiros hoje. Mais uma vez. As bolsas de valores estrangeiras iniciam o dia em queda generalizada diante da expectativa em torno da divulgação dos números da inflação de junho nos Estados Unidos.

Os principais mercados de ações da Europa e os índices futuros de Wall Street amanheceram no vermelho e o euro sustenta-se ligeiramente acima da paridade com o dólar. Trata-se de uma continuidade do movimento de ontem, quando os temores inflacionários já azedavam o humor dos investidores.

A cautela foi tamanha que o Ibovespa encerrou o pregão da última segunda-feira (11) em queda de 2,07%, aos 98.212 pontos. O dólar à vista disparou 1,96%, a R$ 5,3710. No mercado de juros, o dia também foi de pressão. 

Além do aguardo da inflação dos EUA, que, na visão do governo norte-americano, deve vir mais salgada do que o esperado, os investidores acompanham o avanço da covid-19 na China. 

Uma nova sub variante da ômicron é o motivo da nova onda de casos que colocou diversas cidades chinesas em lockdowns. Ainda que Pequim tenha anunciado medidas de contenção de danos à economia, os investidores estão céticos quanto a sua eficácia no momento. 

Confira o que movimenta o dia das bolsas, do dólar e do Ibovespa hoje:

A inflação nos EUA gera tensão nas bolsas

O problema é que os dados da inflação de junho nos EUA só serão conhecidos amanhã. O índice já se encontra nos níveis mais elevados em 40 anos. Em maio, a inflação avançou 8,6% no acumulado em 12 meses nos Estados Unidos.

E a expectativa dos analistas é de que a leitura referente a junho venha ainda mais elevada — e quem garante que todos os tons de pessimismo tomem o mercado é o governo dos Estados Unidos.

A porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, afirmou que o governo norte-americano espera uma leitura "altamente elevada" do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de junho. O índice deve ser impulsionado principalmente pelos preços elevados de combustível no período.

Em julho, os preços da gasolina no país recuam 7% "em relação ao pico de junho".

Europa sem gás

A manutenção programada do gasoduto Nord Stream 1 também pesa. A interrupção do fornecimento de gás para as atividades de manutenção alimenta temores de que a Rússia possa prolongar o trabalho e atrasar ainda mais o fornecimento de gás para a Alemanha.

Por que o euro está próximo da paridade com o dólar?

O euro opera em queda de 0,4% na manhã de hoje, cotado a US$ 1,0004. Trata-se da primeira vez em quase duas décadas em que o euro flerta com a paridade com o dólar.

A moeda comum europeia é afetada pela crise no fornecimento de energia à zona do euro. O temor de uma recessão na Europa aumentou nas últimas semanas devido à crescente incerteza sobre o acesso do bloco a importações de gás natural e petróleo.

Opep e o petróleo em queda

A cautela internacional ganha ainda mais força hoje devido a publicação do relatório de julho da Opep. Os contratos do Brent, utilizados como referência internacional, seguem em queda de mais de 2%, refletindo as preocupações com os lockdowns na China.

Não apenas a baixa demanda projetada pelo cartel pressiona as cotações: é possível que os países exportadores não batam a meta de produção nos próximos meses, o que tem dado alta volatilidade à commodity.

Por volta das 8h, o barril do Brent recuava 2,22%, cotado a US$ 104,72.

PEC dos benefícios e o Ibovespa

Enquanto o exterior não dá maiores sinais de força, por aqui o Ibovespa ainda conta com a face brasileira da crise.

Se os EUA sentem os problemas do petróleo em alta, nós brasileiros sentimos em dobro: além do avanço da commodity, o dólar alto também afeta o poder de compra da população. Isso sem falar no efeito em cadeia da alta dos combustíveis, que impacta diversos outros produtos.

Por isso, a PEC dos benefícios — que também recebe os nomes de PEC Kamikaze e PEC dos Combustíveis — é o destaque do dia. A votação no plenário da Câmara é o grande foco dos investidores. 

Uma mistura de alívio com desespero

A aprovação do texto que instaura uma série de benefícios fora do teto de gastos pode ser o fim de um capítulo do sofrimento dos investidores.

Acontece que a PEC foi inflada e modificada para durar até o final do ano, mas com gastos que, somados, chegam a R$ 38,7 bilhões fora da regra que limita as despesas do governo. Burlar o teto de gastos é extremamente mal visto pelos investidores porque aumenta o chamado risco Brasil. 

De outra perspectiva, a aprovação da proposta traz um alívio porque impede o aumento ainda maior dos gastos públicos.

E na agenda…

A alta dos combustíveis, a disparada do petróleo e a PEC devem entrar no discurso do ministro da Economia, Paulo Guedes, desta terça-feira. 

O chefe da pasta prestará esclarecimentos sobre a política nacional de preços e abastecimento de combustíveis no Senado hoje, às 9h.

Guedes deve abordar as temáticas referentes ao cenário internacional e pedir celeridade no processo de aprovação da PEC, que tem defendido ferrenhamente, apesar do furo no teto de gastos.

Agenda do dia

  • IBGE: Volume de serviços em maio (9h)
  • Congresso Nacional: Comissão de assuntos econômicos do Senado tem audiência pública com ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre esclarecimentos da política nacional de preços e abastecimento de combustíveis (9h)
  • Estados Unidos: Diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva participa de conversa na Devex (10h30)
  • Congresso Nacional: Câmara deve votar PEC dos benefícios (a partir das 14h)
  • Bélgica: Reunião do Eurogrupo e da Ecofin (o dia todo)
  • Áustria: Opep publica relatório mensal sobre petróleo em julho (sem horário marcado)
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) sobe, mas perde o protagonismo para o ethereum (ETH); entenda

12 de agosto de 2022 - 20:29

Além de aproveitar a inflação dos EUA mais branda, o que ajudou as criptomoedas em geral, o ETH se beneficiou dos progressos na direção do The Merge

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magalu (MGLU3) dispara, BC amigo das criptomoedas e outros destaques do dia

12 de agosto de 2022 - 19:07

O mercado financeiro começou a semana olhando aterrorizado para os céus. Já era esperado que os dias fossem marcados pelo avistamento de dragões no ar, mas não se sabia ao certo o tamanho da encrenca que precisaria ser enfrentada.  Com traumas dos episódios recentes, quando a cada mês a ameaça se mostrava maior e mais […]

FECHAMENTO DO DI

Alívio com inflação leva Ibovespa a subir 6% na semana; Magazine Luiza (MGLU3), Hapvida (HAPV3) e Via (VIIA3) disparam após balanço

12 de agosto de 2022 - 18:41

Os indicadores melhores do que o esperado deram um respiro para o Ibovespa nesta semana; dólar caiu quase 2%

SEMANA EM CRIPTO

Ethereum (ETH) rouba a cena e dispara 14%, mas bitcoin (BTC) encerra semana acima dos US$ 24 mil; saiba o que esperar das criptomoedas

12 de agosto de 2022 - 17:56

O otimismo com a atualização do éter, as sanções ao Tornado Cash e o real digital são alguns dos destaque da semana

FEBRABAN TECH 2022

Setor financeiro melhora planos para o metaverso e já fala em criptomoedas como ‘espinha dorsal’ do processo — mas isso vai levar algum tempo; entenda

12 de agosto de 2022 - 17:40

O Febraban Tech 2022 foi realizado entre os dias 9 e 11 de agosto, em São Paulo; confira alguns destaques

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies