Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-21T15:03:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Clima pesou

Presidente da CCJ faz alerta e diz que governo precisa chamar a base e montar estratégia para Previdência

“Tenho ouvido de todos os membros e líderes que eles querem decantar os últimos acontecimentos políticos, a vinda da reforma dos militares. Isso gerou expectativas a mais e, agora, eles querem analisar o texto”, afirmou

21 de março de 2019
15:03
Felipe Francischini, presidente da CCJ
Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O clima pesou na CCJ. Após cancelar o anúncio do relator da Nova Previdência, o presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), Felipe Francischini, afirmou que o início da discussão da proposta na Casa depende do governo se organizar para montar uma estratégia de atuação na Câmara. Francischini disse ainda que a vinda do ministro da Economia, Paulo Guedes, na terça-feira (26) às 14h, deve ajudar esclarecer dúvidas existentes entre os membros da CCJ.

"Tenho ouvido de todos os membros e líderes que eles querem decantar os últimos acontecimentos políticos, a vinda da reforma dos militares. Isso gerou expectativas a mais e, agora, eles querem analisar o texto", afirmou.

Dentro da CCJ ainda não há um líder do governo indicado para conduzir as negociações com a base, oposição e independentes. "Então, é uma série de fatores que os membros têm me pedido para que possamos analisar o projeto, debater mais um pouco, até mesmo porque eles, o governo, têm falado muito da questão da celeridade. Não parece que há hoje um indício de o governo querer essa celeridade tão grande, falta debater com os deputados e essa questão tem de ser feita até semana que vem. Há uma série de coisas que precisam ocorrer para termos estabilidade política dentro da CCJ. Eu acredito que essa semana tanto governo como a oposição possam se organizar e montar realmente suas estratégicas dentro da comissão."

Questionado se o cronograma poderia ser afetado, o presidente da CCJ afirmou que não. "Tudo é possível, agora depende muito do governo. Eles precisam chamar os deputados de sua base para montar uma estratégia na CCJ. Eu sou presidente e vou pautar tudo o que estiver ao meu alcance. Me cabe presidir, não sou líder do governo, não tenho essa função, e vou agir institucionalmente".

Na quarta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou a interlocução do governo com o Congresso. Nas últimas semanas, os principais líderes da Casa têm demonstrado insatisfação pública com a atual articulação no legislativo. Entre os membros da CCJ, o clima é de paralisia. De acordo com parlamentares governistas ouvidos pelo Estadão/Broadcast, não há como iniciar a tramitação da pauta econômica enquanto o governo não organizar a base.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

próximos anos

Eletrobras aprova em conselho plano de negócios com desinvestimentos de R$ 41 milhões

Entre as medidas previstas está a avaliação de oportunidades para efetuar a gestão dos passivos provenientes de dívidas do Sistema Eletrobras

temporada de resultados

Lucro da Alpargatas, dona da marca Havaianas, cresce 228,7%, R$ 111 milhões

Receita líquida da companhia saltou 71,4% sobre igual intervalo de 2020, para R$ 1,095 bilhão, ao mesmo tempo em que os volumes registraram crescimento de 57%

seu dinheiro na sua noite

As corridas da bolsa e do dólar — e a frustração dos investidores na linha de chegada de julho

Nove em cada dez operadores do mercado financeiro juram, de pés juntos, que o último pregão do mês costuma ser positivo. Ora essas, é a data limite para o fechamento das lâminas de desempenho mensal dos fundos e das carteiras de investimento — e é claro que todo mundo quer estampar o melhor resultado possível. […]

decisão temporária

CVM suspende oferta de recebíveis que financiaria cooperativas do MST

Decisão da autarquia vale por 30 dias; CVM diz que a oferta não apresenta informações consideradas essenciais para os investidores

FECHAMENTO DA SEMANA

Ameaça ao teto de gastos e derretimento do minério de ferro afundam o Ibovespa em mais de 3%; dólar vai a R$ 5,20

Com a pressão das ameaças político-fiscais e a queda brusca do minério de erro, a bolsa brasileira amargou uma queda de mais de 3%. Já o dólar voltou a ser negociado na casa dos R$ 5,20

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies