Menu
2019-06-07T18:56:47-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Pauta caminha na Câmara

Segundo Baleia Rossi, presidente da CCJ deve designar relator da reforma tributária nas próximas semanas

No momento, a CCJ discute a constitucionalidade do texto e Felipe Francichini deve designar um relator para a pauta nas próximas semanas

6 de maio de 2019
11:55 - atualizado às 18:56
baleia-rossi
Baleia Rossi, líder do MDB na Câmara - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), afirmou nesta segunda-feira, 6, que há um acordo com o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Felipe Francischini, para que o relator para a PEC da reforma tributária seja designado nesta ou na próxima semana.

Segundo ele, o ideal seria um nome que domine o tema e que tenha bom trânsito dentro do Parlamento. Questionado sobre o deputado do Novo Alexis Fonteyne (SP), que é cotado para o posto, ele se limitou a dizer que "seria um bom nome".

Rossi é o autor da proposta apresentada na Câmara, que busca simplificar o sistema tributário atual. No momento, a CCJ discute a constitucionalidade do texto. Segundo o deputado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se comprometeu a criar uma comissão especial para análise da propostas assim que o texto sair da CCJ.

À jato

Rossi demonstrou otimismo ao dizer que, uma vez escolhido o relator na CCJ, o texto terá condições de tramitar em um mês. O deputado afirmou que não está interessado em correr com a tramitação porque o acordo político é para que a reforma tributária fique sempre um passo atrás da Previdência, de forma a não atrapalhar a tramitação da reforma prioritária do governo.

Complicadores

Para Baleia Rossi, a discussão em torno da Zona Franca de Manaus pode se tornar um complicador político durante as discussões na comissão especial. Segundo ele, o importante é garantir a criação e unidade do imposto único sobre bens e serviços (IBS) proposto pela reforma. "Essa discussão vai acontecer na comissão, temos que estar preparados, ams temos que buscar alternativas para garantir a unidade desse imposto", completou.

Para o deputado, não há razões para fatiar a reforma tributária, separando os tributos federais e regionais, como sinalizado pelo secretário da Receita, Marcos Cintra. "Se houver clima político, porque separar a reforma?".

Um texto para chamar de meu

Quando o assunto é mudanças nos impostos, o governo também está de olho aberto. O secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, ressaltou nesta segunda-feira que a equipe econômica vai apoiar a reforma tributária do deputado Baleia Rossi, mas também vai enviar ao Congresso uma proposta só para tributos federais, "quando a reforma da Previdência caminhar um pouquinho mais".

Para ele, a reforma de Rossi é a que "mais empolga a sociedade", porque propõe a criação de um "grande IVA nacional", com a conjugação de tributos federais, estaduais e municipais. No entanto, o fato de a reforma envolver essas três esferas será um complicador nas discussões no Congresso. "Essas dificuldades políticas podem demorar a viabilizar (a reforma de Rossi)", disse, em evento na Fiesp.

Para Cintra, a discussão da reforma de Rossi pode levar de três a quatro anos para amadurecer, em razão das dificuldades políticas. Além disso, afirmou que a proposta só seria suficiente para 10 anos. "Daqui a 10 anos teremos que fazer outra", afirmou, sem explicar as razões.

O secretário disse que o País não pode esperar tanto tempo e que, por isso, afirmou que o governo vai enviar ao Congresso a própria reforma, voltada só para tributos federais.

Ele reiterou que a proposta vai se basear em três pilares: zerar a oneração da folha de salários e compensar com a tributação de pagamentos; criar um IVA federal, que seria um piloto para o nacional; e reduzir imposto de renda para empresas e aumentar isenção para pessoa física.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Realização brusca?

Com uma alta de mais de 800% no ano, ações da Fertilizantes Heringer recuam 40% em um único dia

A companhia, que se encontra em recuperação judicial, já subiu mais de 800% só neste ano

Oscar do jornalismo

Victor Aguiar, repórter do Seu Dinheiro, é indicado ao prêmio Comunique-se; saiba como votar

O repórter Victor Aguiar, do Seu Dinheiro, é um dos dez indicados na categoria “Economia- mídia escrita” do prêmio Comunique-se

Nova rodada

Auxílio emergencial será prorrogado por mais três meses, afirma Guedes

O benefício será estendido até outubro nos mesmos valores atuais, com parcelas de R$ 150 a R$ 375 que contemplam cerca de 39 milhões de brasileiros

MERCADOS HOJE

De olho na vacinação, Ibovespa reduz alta e perde os 130 mil pontos, mas dólar segue em queda de 1%

Aceleração da vacinação é bem recebida pelo mercado, que aposta em uma recuperação econômica mais robusta

Ajudanda externa

Banco Centroamericano de Integração Econômica irá ajudar El Salvador a implementar bitcoin

Em entrevista coletiva, Mossi acrescentou que o banco também trabalhará com o ministério das finanças e o banco central de El Salvador para selecionar uma equipe para trabalhar na implementação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies