Menu
2019-04-25T17:50:08-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Vai acelerar?

Governo promete intensificar reuniões com partidos para discutir a reforma da Previdência

Líder do governo na Câmara ignora críticas à articulação na votação da reforma e diz que comentários são um sinal de busca por diálogo

24 de abril de 2019
15:18 - atualizado às 17:50
Major Vitor Hugo
Ideia do governo também é permitir que parlamentares recebam o crédito pelos recursos que estão sendo direcionados para obras nas suas regiões - Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Depois da aprovação da proposta de reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), disse que está aberto ao diálogo com os partidos nas negociações que vão começar na comissão especial que vai analisar o mérito da proposta.

Em entrevista ao Broadcast/Estadão, o líder avaliou que as críticas à articulação do governo na votação da reforma são um sinal de busca desse diálogo. "É um sinal de fumaça, é o deputado dizendo 'eu existo, sou importante e quero abertura com você'", disse.

Ele ressaltou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, está com a "calculadora na mão" para manter a espinha dorsal da Proposta de Emenda à Constitucional (PEC).

O líder esteve nesta quarta-feira de manhã com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e cerca de 10 deputados do PSL.

A estratégia da articulação é intensificar não só reuniões mais "intimistas" com os com grupos menores, mas também dar espaço para que os parlamentares recebam o crédito nas suas bases nos recursos que estão sendo direcionados para obras nas suas regiões. Novos grupos serão organizados para reuniões com o presidente.

"O governo sabe que o parlamentar tem responsabilidade de levar melhorias às suas bases", ressaltou. A ideia é intensificar também o canal de diálogo direto entre os deputados e os ministros setoriais.

Além da reunião nesta quarta pela manhã com deputados do PSL, o presidente vai se reunir à tarde com os líderes do PTB, PSC, Cidadania e Patriota. "Queremos fazer com que todos os canais de diálogo se alinhem", afirmou, destacando que a articulação vai dar os subsídios aos deputados para que eles defendam da reforma da Previdência.

No radar do governo está a reclamação de parlamentares que votaram a favor da reforma do governo Michel Temer e acabaram virando alvo em suas bases eleitorais. A ideia é trabalhar para fornecer dados e informações que ajudem a blindá-los dessas críticas.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Azul, Gol, Vale e Petrobras: os destaques (negativos) da bolsa nesta quarta-feira

As ações da Azul e da Gol despencam mais de 10% e têm os piores desempenhos do Ibovespa, em meio às incertezas quanto aos impactos do coronavírus ao setor aéreo e à disparada do dólar

Climão em Brasília

Bolsonaro deu mais um passo para frear agenda de reformas, diz cientista político

Presidente divulgou vídeo em que convoca manifestações contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal

EXILE ON WALL STREET

Não tente se matar, pelo menos esta noite, não

Veja o seguinte: se até um ato grave como o suicídio depende de um método e de um contexto particular, o que dizer da decisão de compra e venda de ativos financeiros?

Hotéis respiram

Depois de quatro anos de queda, diária de hotéis volta a registrar alta em 2019

Após quatro anos seguidos de perdas, em 2019 os hotéis tiveram aumento real médio de 5,5% nos valores das diárias em 11 capitais brasileiras

impasse

TCU quer que governo comprove necessidade da retomada de obras em Angra 3

Órgão cobra transparência da União e questiona as justificativas para concluir um empreendimento que deve demandar outros R$ 15,5 bilhões, além dos R$ 8,3 bilhões já gastos,

Dia caótico

Ibovespa desaba mais de 5% e dólar sobe a R$ 4,43, ajustando-se à cautela com o coronavírus

O Ibovespa volta a operar sob intensa pressão e já marca as mínimas em 2020. A tensão global com o coronavírus, somada à cautela com o cenário político doméstico, desencadeiam um movimento forte de correção nos ativos domésticos

PIB menor

Mercado reduz projeção de alta do PIB para 2,20% em 2020, mostra Focus

Foi a segunda semana consecutiva de queda nas expectativas de analistas para o crescimento da economia, em meio à tensão que o novo coronavírus gerou nos mercados

atritos em brasília

Bolsonaro divulga vídeo para ato contra o Congresso; especialista vê crime de responsabilidade

Manifestações estão marcadas para dia 15 de março; na semana passada, o general Augusto Heleno acusou o Congresso de ‘chantagear’ governo, deflagrando uma crise

Esquenta dos mercados

Pré-abertura: bolsa brasileira volta do Carnaval sob intensa pressão do coronavírus

Enquanto a bolsa brasileira estava fechados por causa do Carnaval, os mercados acionários globais tiveram dias de forte queda, em meio ao avanço do coronavírus no mundo. Assim, é de se esperar uma forte correção no Ibovespa e nas ações domésticas nesta quarta-feira — a bolsa reabre às 13h.

Coronavírus chega ao Brasil

Brasil confirma primeiro caso do novo coronavírus

Trata-se de um paciente de 61 anos, de São Paulo, que esteve recentemente na Itália

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements