Menu
2019-07-15T20:41:17-03:00
De olho no pacto

Proposta sobre pacto federativo começará no Senado, diz presidente da CCJ

Ainda segundo a senadora, o governo já está trabalhando com o tema. “Não poderia ser diferente (o fato de começar pelo Senado), essa é a Casa da Federação. Eles já estão mexendo no pacto”, afirmou a presidente da CCJ

15 de julho de 2019
20:41
senado
Senado - Imagem: Alessandro Dantas/Fotos Públicas

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no Senado, Simone Tebet (MDB-MS), disse nessa segunda-feira, 15, que uma proposta do governo federal que faça alterações no Pacto Federativo começará a tramitar pelo Senado, e não pela Câmara dos Deputados. Tebet afirmou a jornalistas que a informação foi dita a ela pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Ainda segundo a senadora, o governo já está trabalhando com o tema. "Não poderia ser diferente (o fato de começar pelo Senado), essa é a Casa da Federação. Eles já estão mexendo no pacto", afirmou a presidente da CCJ.

Apesar de aprovar a ideia de que os debates se iniciem no Senado, a declaração de Tebet sobre o pacto federativo foi dada em contexto de insatisfação da parlamentar sobre as relações do governo com a Casa.

"Eu acho que o governo usou pouco o Senado Federal, acho que foi um erro de análise, e havia mesmo dúvidas se não poderíamos estar tramitando duas reformas ao mesmo tempo. O Brasil tem pressa, e a pauta do presidente é uma pauta única", criticou a senadora.

Tebet disse ainda que o presidente Jair Bolsonaro é "bem intencionado", mas que falta a ele uma "visão maior" de País, já que Bolsonaro, em sua visão, estaria administrando "a varejo" enquanto que o Brasil precisa de uma condução no "atacado". "Muito preocupado com a questão ideológica", disse. "A impressão que tenho é que ele está administrando no varejo, quando Brasil precisa de atacado, ele precisa administrar no atacado", comentou a senadora, que citou as reformas tributárias, do pacto federativo e de desburocratização como exemplos de pautas importantes que já poderiam ter caminhado no Congresso.

Sobre a reforma tributária, Tebet avaliou que o "esqueleto" do texto será definido pelo o que o governo federal enviar ao Parlamento, apesar das outras propostas que já tramitam na Câmara e o Senado. "Eu acho que o esqueleto vai ser a reforma do Executivo, e as demais propostas vão servir para rechear essa reforma, elas vem como complementar a esse eixo, sob pena de não sair nenhuma reforma", comentou a senadora.

A presidente da CCJ também afirmou que não irá pautar nada de reforma tributária na comissão em agosto - a não ser audiências públicas que aconteçam em dias além da quarta-feira -, para não atrapalhar a tramitação da reforma da Previdência. No Senado, a reforma tributária que tramita é do ex-deputado Luiz Carlos Hauly. "A gente pode muito bem avançar alguma coisa em setembro, mas vai depender de que forma vem a reforma do governo", avaliou Tebet.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

1252 mortes em 24h

País tem 61,8 mil mortes e 1,49 milhão de casos confirmados do coronavírus

Nas últimas 24 horas, 1.252 óbitos e 48.195 casos confirmados foram agregados às estatísticas

presidente do senado

Alcolumbre avisa STF sobre ‘manobra’ do governo para vender ativos da Petrobras

Segundo ele, a estatal estaria criando novas subsidiárias para burlar decisão da Corte

seu dinheiro na sua noite

Depois da pedra no meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho. Acredito que o marcante poema de Carlos Drummond de Andrade ainda seja objeto de estudo nas escolas. Pelo menos era assim na minha época de colegial — o atual ensino médio. Que raios o poeta queria dizer com tais versos? Eu […]

Juliana Coelho foi a escolhida

Fiat tem primeira mulher no comando de uma fábrica no Brasil

A fábrica, inaugurada em 2015, é considerada uma das mais modernas da FCA no mundo. Produz atualmente os utilitários-esportivos Renegade e Compass, da Jeep, e picape Fiat Toro

Contendo a animação

Uma dose de otimismo, outra de cautela: Ibovespa perde força e fecha estável, acompanhando Wall Street

Dados mais fortes que o esperado no mercado de trabalho dos EUA pelo segundo mês consecutivo injetaram confiança nos investidores durante a manhã. Mas, considerando que Wall Street estará fechada nesta sexta, um tom mais prudente tomou conta do Ibovespa e das bolsas americanas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements