Menu
2019-06-24T16:51:36-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Vídeo

Como investidor, eu devo me preocupar com o Brexit?

No próximo domingo (23), a escolha pelo Brexit completa três anos, mas o processo ainda se arrasta, e a saída do Reino Unido da Unidão Europeia foi adiada para outubro; mas qual o impacto que isso pode ter no seu bolso?

24 de junho de 2019
5:30 - atualizado às 16:51

No próximo domingo, 23 de junho, e escolha dos britânicos pela saída do Reino Unido da União Europeia completará três anos. O Brexit, como o processo foi apelidado, é um dos atuais fatores de risco para a economia mundial e põe em xeque ideais da UE.

A questão vem se arrastando devido à dificuldade de os britânicos chegarem a um consenso de como a saída deve ser executada, e já custou o cargo da primeira-ministra Theresa May. Mas será que o Brexit pode afetar de alguma forma os seus investimentos? Eu falo disso no vídeo a seguir:

Confira a transcrição do texto do vídeo sobre o Brexit

A saída do Reino Unido da União Europeia, mais conhecida como Brexit, foi aprovada em 23 de junho de 2016, mas três anos depois ainda causa incertezas. Independentemente dos termos do divórcio, o esperado é que ele tenha impactos negativos para a economia mundial, pelo menos num primeiro momento. Mas será que você, investidor brasileiro, precisa se preocupar? Saída do Reino Unido da União Europeia: e eu com isso?

O processo de separação do Reino Unido da União Europeia vem se arrastando por falta de acordo no Parlamento Britânico. As sucessivas derrotas sofridas pela primeira-ministra Theresa May na tentativa de aprovação de um acordo para o Brexit levaram a adiamentos na data de saída e também à renúncia da premiê. Inicialmente programado para o dia 29 de março de 2019, o Brexit agora foi adiado para 31 de outubro. May deixou o cargo de líder do Partido Conservador no dia 7 de junho, mas permanece como primeira-ministra até que o novo representante seja eleito pelo parlamento.

A questão relativa à fronteira entre as Irlandas é o principal pomo da discórdia, já que a Irlanda do Norte faz parte do Reino Unido, mas a Irlanda não. A Escócia também pode ser fonte de dor de cabeça. Apesar de a maioria dos escoceses ser a favor de permanecer no Reino Unido, eles também prefeririam ficar na União Europeia.

O imbróglio em si já é suficiente para causar tensão nos mercados, porque é fonte de muita incerteza a respeito do que pode acontecer com a economia da Europa. O impacto econômico do Brexit tende a ser negativo de qualquer forma, contribuindo para a temida desaceleração no crescimento mundial prevista para esse ano.

Mas o tamanho do impacto pode variar. Existe a possibilidade de uma saída branda, no caso da aprovação de um acordo que manteria o Reino Unido próximo da União Europeia em termos comerciais, ou de uma saída dura, sem acordo, que imporia barreiras comerciais à terra da Rainha. Os britânicos precisariam, nesse caso, renegociar todos os seus acordos internacionais individualmente. Esse seria o pior cenário.

E quais consequências o Brexit pode trazer para os seus investimentos? Inicialmente, as empresas exportadoras brasileiras tendem a ser prejudicadas, principalmente as do setor agrícola. Também pode haver um incremento no desemprego por aqui. Só num segundo momento é que o Brasil talvez conseguiria negociar acordos comerciais favoráveis com o Reino Unido, principalmente no caso de um Brexit duro, beneficiando essas empresas.

Mas como o Reino Unido não está na lista dos principais parceiros comerciais do Brasil, o maior impacto tende a ser no cenário internacional. O Brexit é um dos fatores que levam os investidores a temerem uma desaceleração econômica, e se não houver acordo, seu peso é maior ainda. Num primeiro momento, é de se esperar que o dólar se valorize, e que as bolsas fiquem mais voláteis. Mas, não havendo pressão inflacionária à vista, os juros devem permanecer baixos, mantendo os ativos de risco atrativos em um prazo mais longo.

Gostou do vídeo? Então se inscreve no canal do Seu Dinheiro no YouTube e clica aí no sininho pra receber as notificações. E não se esqueça de deixar dúvidas e ideias pros próximos vídeos no campo de comentários. Um beijo e até a próxima!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Decisão em plenário

Toffoli marca julgamento sobre inquérito das fake news para semana que vem

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, marcou para a próxima quarta, 10, o julgamento sobre a continuidade ou não das apurações do inquérito das fake news

Ministério atualiza dados

Brasil chega a 526,4 mil casos e 29,9 mil mortes por coronavírus

Até o momento, 211.080 pacientes estão recuperados da doença

seu dinheiro na sua noite

O mundo em ebulição

Caro leitor, Não bastasse uma pandemia mundial que paralisou a economia, tensões políticas no Brasil e o retorno da troca de farpas entre Estados Unidos e China, temos assistido também, nos últimos dias, a intensos protestos nos EUA contra o racismo. No último fim de semana, às já habituais manifestações em apoio ao governo aqui […]

Cresceu 3,7% em 2019

Vendas de festa junina nos supermercados devem crescer 0,6% em SP, diz associação

A perspectiva do avanço de vendas em supermercados é bem menor do que a registrada no ano passado, um crescimento de 3,7%

Queda no tráfego

Movimento em rodovias da Triunfo cai 13,9% na quarta semana de maio

O movimento de veículos leves recuou 77,3%, enquanto o tráfego de veículos pesados caiu 36,6%. Os dados se referem à Concebra, Concer, Transbrasiliana e Econorte

Termo de compromisso

BC multa Bradesco em R$ 92,2 milhões e solicita aprimoramento em operações de câmbio

A autarquia aplicou ainda multas de R$ 350 mil em oito funcionários do Bradesco. Os valores devem ser pagos em até 30 dias

Otimismo na bolsa

Ibovespa ignora tensões sociais e sobe mais de 1%, amparado na agenda econômica

O Ibovespa abriu o mês no campo positivo e foi às máximas desde 10 de março, sustentado pelos indicadores econômicos mais fortes na China e nos EUA. O dólar, por outro lado, teve um dia mais pressionado, colocando na conta as manifestações nos EUA e no Brasil

Pesquisa energética

Consumo de energia cai 6,6% em abril, diz EPE

O setor comercial foi o mais atingido, com queda de 17,9%, seguido pela indústria, com perda de 12,4% no consumo. Já o setor residencial subiu 6%, sinalizando aumento da demanda trazida pelo isolamento social, que obrigou as pessoas a ficarem mais em casa

LIÇÕES SOBRE INVESTIMENTOS

Senna, o barbeiro de Mônaco, já tocou minha campainha

Mesmo os tricampeões mundiais cometem erros de vez em quando. Neste texto, Felipe Paletta mostra como a inteligência emocional pode contribuir com você para tomar melhores decisões de investimentos. Dimensionando o risco, você pode ir mais longe.

Impacto do coronavírus

Balança comercial tem superávit de US$ 4,548 bilhões em maio, queda de 19,1%

Com queda nas exportações e, em menor volume, nas importações, a balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 4,548 bilhões em maio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements