Menu
2019-07-25T11:23:29-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Bancos

Presidente do Bradesco vê espaço para manter ou até aumentar rentabilidade

Com um retorno de 20,6% no trimestre, o patrimônio líquido do Bradesco foi remunerado a uma taxa três vezes superior à da taxa básica de juros (Selic). Crédito deve voltar a acelerar no segundo semestre com aprovação da reforma da Previdência

25 de julho de 2019
11:22 - atualizado às 11:23
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco - Imagem: Divulgação CIAB

Tem que manter isso, viu? Ou até aumentar. Depois de alcançar a maior rentabilidade em 16 trimestres, o Bradesco vê espaço para sustentar ou melhorar esse número nos próximos balanços.

Eu participei hoje da teleconferência com jornalistas promovida pelo banco para comentar os resultados do segundo trimestre. O Bradesco registrou lucro líquido de R$ 6,462 bilhões, um crescimento de 25,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

Com uma rentabilidade de 20,6%, o patrimônio líquido do banco foi remunerado a uma taxa três vezes superior à da taxa básica de juros (Selic), atualmente em 6,5% ao ano. Mas o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari, deu a entender que o banco ainda pode mais.

"Acreditamos que podemos manter ou até evoluir um pouquinho mais o retorno", afirmou aos jornalistas.

Mesmo com o lucro acima do esperado, as ações do Bradesco reagem em queda ao balanço. Por volta das 11h00, os papéis PN (BBDC4) recuavam 4,54%, cotados a R$ 37,20. Confira também nossa cobertura completa de mercados hoje.

Apesar da melhora no resultado, o crescimento da carteira de crédito desacelerou para 8,7% nos últimos 12 meses, abaixo do piso da estimativa do banco - que varia de 9% a 13%.

Lazari espera uma reação nos financiamentos ao longo do segundo semestre. Além das linhas para pessoas físicas, que já vêm crescendo, a demanda por crédito por parte das empresas deve reagir com a aprovação da reforma da Previdência.

"Os empresários vão voltar a pensar no longo prazo sem a nuvem da incerteza fiscal, o que deve levar a uma retomada dos investimentos", disse.

Efeito da CSLL

Pelo projeto aprovado em primeiro turno na Câmara, parte do ganho esperado com a reforma virá com o aumento da CSLL cobrada dos bancos. A nova alíquota passa a valer 90 dias após a entrada em vigor da lei.

Pode parecer estranho, mas em um primeiro momento os bancos vão registrar um ganho contábil com o imposto maior. Isso porque os as instituições contam com créditos tributários, que passam a ser contabilizados com a nova alíquota. No Bradesco, esse efeito é estimado em R$ 6,4 bilhões.

Mais clientes

Outro ponto que trouxe certa preocupação entre os investidores foi o fraco resultado das receitas com prestação de serviços, que subiram apenas 1,3% na comparação com igual período do ano passado. Ou seja, abaixo do piso da estimativa do banco para o ano, que varia de 3% a 7%.

O desempenho mais fraco reflete linhas de negócio com a de cartões, que sofre a pressão da concorrência no mercado de maquininhas, e de administração de fundos.

O presidente do Bradesco manteve as projeções para o avanço das receitas com serviços para o ano e espera uma recuperação ainda maior nessa linha a partir do ano que vem.

Esse otimismo vem do aumento da base de clientes. O banco abriu 1,1 milhão de novas contas nos últimos 12 meses, sendo 400 mil apenas no segundo trimestre.

FGTS

Sobre a liberação dos recursos do FGTS anunciada ontem pelo governo, o presidente do Bradesco disse a medida ajuda a reanimar a economia. Mas espera que o efeito para o banco seja marginal.

Lazari disse ainda que espera a regulamentação da medida que vai possibilitar o uso dos recursos do fundo de garantia como garantia em financiamentos. Mas afirmou que, em tese, o FGTS pode representar uma garantia ainda melhor do que, por exemplo, uma operação de crédito consignado. Com isso, as taxas de juros dessa nova linha tendem a ser menores.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NOVIDADES

BC anuncia o Pix Cobrança, para emissão de QR Code com juros, multas e descontos

Função permitirá que lojistas, fornecedores, prestadores de serviços e outros empreendedores possam emitir um QR Code para operações de pagamento imediato ou em data futura

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes

Ministério da Saúde informou também que casos por semana voltaram a crescer no país, enquanto mortes seguem trajetória de queda

Sextou com o Ruy

Bilionários como Warren Buffett gostam de ver a bolsa cair, não subir

Se você é dos que ficam felizes em ver os preços caindo, saiba que tem o que é necessário para se tornar um grande investidor em ações

varejo online

B2W tem alta de 56% nas vendas e diminui prejuízo, que chega a R$ 43,8 milhões

Linha final do balanço é 57% melhor do que há um ano, enquanto mercado falava em prejuízo de R$ 60 milhões no terceiro trimestre; receita teve alta de 58,5% no período

cardápio de balanços

Suzano, Fleury e Totvs: os balanços que mexem com o mercado nesta sexta

São empresas cujas ações fazem parte da carteira teórica do Ibovespa – ou seja, os resultados das companhias ajudam a calibrar o índice

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies