Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-02-05T12:03:38-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Banco

Itaú diz que pode voltar a mirar aquisições no exterior com reforma tributária

Proposta de reforma tributária, que prevê a taxação de dividendos pagos aos acionistas, deve levar a uma tendência de reinvestimento maior dos lucros pelas empresas, afirmou o presidente do banco, Candido Bracher

5 de fevereiro de 2019
10:37 - atualizado às 12:03
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco - Imagem: Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

O Itaú Unibanco pode voltar a mirar aquisições no exterior caso o governo leve adiante a proposta de mudança na tributação que reduza a carga de impostos sobre as empresas, afirmou o presidente do banco, Candido Bracher.

Pelo sistema tributário atual, as empresas nacionais levam desvantagem sobre as de outros países em processos de aquisição em razão do imposto mais alto - a alíquota para bancos é de 40%. No Chile, por exemplo, a alíquota é de 27%.

"Se imposto fosse menor, não só o banco como todas as empresas brasileiras estariam em igualdade de condições em processos de aquisição", afirmou Bracher, que participou hoje de entrevista coletiva para comentar o balanço anual.

O presidente do maior banco privado brasileiro disse ver com "interesse" a proposta de reforma tributária em estudo pelo governo Bolsonaro. Para ele, haveria uma tendência maior de reinvestimento dos lucros das empresas com a mudança.

"Nada muito grande"

Questionado sobre o processo de privatizações que deve ser conduzido pelo governo Bolsonaro, Bracher disse que o Itaú pretende atuar na assessoria financeira das operações.

O banco também pretende analisar as oportunidades que vierem a mercado "com interesse", segundo o executivo. "Mas sabendo que nós não podemos fazer nada de muito grande", acrescentou, lembrando das dificuldades da aprovação da compra da participação de 49,9% no capital da XP Investimentos.

Conservador, não

Bracher negou que o Itaú tenha sido conservador ao traçar as projeções para o desempenho do banco neste ano.

A expectativa da instituição é de um avanço de 8% a 11% no crédito, menos que o Bradesco, que espera avançar de 9% a 13% nos financiamentos em 2019.

"Nossa projeção aponta para uma rentabilidade de 24% no consolidado deste ano", ressaltou. No ano passado, o banco registrou um retorno de 21,9%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

no prelo

Biografia: autor de livro sobre Steve Jobs escreverá sobre Elon Musk

Segundo o bilionário, o autor Walter Isaacson o seguiu por vários dias para recolher material para o novo livro

ONDE INVESTIR EM AGOSTO

Onde investir em agosto de 2021: ações de tecnologia, o coração do bitcoin e um combo de ‘retorno absoluto’; veja recomendações

O CIO da Vitreo, Jojo Wachsmann, separou as três melhores pedidas para investidores no mês de agosto; Confira

fique por dentro

Selic hoje está em 5,25% ao ano; entenda em 5 pontos a alta dos juros

Banco Central está subindo a taxa básica de juros a quatro reuniões; a autoridade monetária já contratou mais um ajuste; entenda as razões e como ela afeta sua vida

Privatização dos correios

Câmara dá início à sessão que discute privatização dos Correios; acompanhe

A venda da estatal está prevista no Projeto de Lei 591/21, do Poder Executivo; a proposta permite a transformação dos Correios em empresa de economia mista

Alta (segura) dos papéis

Parceria com o Grupo Caoa faz ações da seguradora Wiz (WIZS3) subirem mais de 5%; confira detalhes do acordo

A empresa celebrou uma parceria comercial contratual com prazo de vigência de 12 meses com a Caoa Corretora de Seguros, por meio de sua controlada Wiz Conseg

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies