Menu
2019-08-06T17:15:46+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Balanço

Itaú tem lucro de R$ 25,7 bilhões em 2018, mas deve crescer menos que o Bradesco neste ano

O resultado ficou levemente abaixo das projeções dos analistas, mas foi suficiente para manter os concorrentes atrás no retrovisor em rentabilidade

4 de fevereiro de 2019
19:38 - atualizado às 17:15
Itaú_Paulista
Itaú: maior banco privado brasileiro teve lucro de R$ 25,7 bilhões em 2018 - Imagem: Wikimedia Commons

Depois da divulgação dos balanços dos concorrentes na semana passada, a expectativa para o balanço do Itaú Unibanco hoje à noite só aumentou. O maior banco privado brasileiro registrou um lucro líquido de R$ 25,7 bilhões em 2018, o que representa um avanço de 3,4%.

O resultado ficou levemente abaixo das projeções dos analistas, que apontavam para um lucro de R$ 25,9 bilhões, de acordo com dados da Bloomberg.

Foi o suficiente para manter os concorrentes atrás no retrovisor em rentabilidade, embora o Santander tenha se aproximado no quarto trimestre.

Nos últimos três meses de 2018, o Itaú teve lucro de R$ 6,5 bilhões, alta de 3,1% frente ao mesmo período de 2017, com um retorno de 21,8% – contra 21,1% do banco espanhol.

No ano como um todo, a rentabilidade do Itaú subiu de 21,8% para 21,9%.

Crescimento menor no crédito

Assim como o Bradesco, o Itaú também aposta no crédito para se manter os resultados nas alturas. Mas foi um pouco mais conservador do que o concorrente nas projeções para este ano.

Enquanto o Bradesco espera um aumento de 9% a 13% no saldo de financiamentos, a expectativa do Itaú é de um crescimento entre 8% e 11% no saldo de financiamentos neste ano. O Santander não divulga projeções.

A carteira de crédito do banco encerrou o ano passado em R$ 636,9 bilhões, um avanço de 0,1% no trimestre e de 6,1% em 12 meses - dentro da estimativa que variava de 4% a 7%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Superdividendo

Sem ter o que fazer com tanto dinheiro agora que não tem nenhuma perspectiva de grandes aquisições no Brasil, o Itaú adotou uma política de distribuição de dividendos aos acionistas de todo o lucro que exceder o capital mínimo estipulado pelo banco para operar.

Neste ano, 87,2% do resultado será pago em dividendos, o equivalente a R$ 22,4 bilhões. Incluindo as recompras de ações, o percentual do resultado que vai parar no bolso dos acionistas sobe para 89,2%.

Bom para as famílias Vilela, Setubal e Moreira Salles, que controlam o banco, mas também para quem é acionista minoritário na bolsa.

Crédito e inadimplência

Bem, e de onde veio o lucro multibilionário do Itaú em 2018? A margem financeira, que contabiliza o resultado com as operações com crédito e tesouraria, registrou um pequeno aumento de 0,8% e somou R$ 69 bilhões.

Se a receita com crédito ainda não brilha, a redução nas despesas com provisões contra calotes mais uma vez ajudou a melhorar os resultados. Em 2018, o custo do crédito ficou em R$ 14,1 bilhões, uma queda de 21,9%.

A melhora na inadimplência contribuiu para a menor despesa com provisões. O índice de atrasos acima de 90 dias na carteira do Itaú ficou em 2,9%, estável no trimestre e uma queda de 0,2 ponto percentual em relação a dezembro de 2017.

Para este ano, o custo do crédito não deve mais contribuir com os resultados, já que a instituição projeta uma despesa de R$ 14,5 bilhões a R$ 17,5 bilhões - ou seja, acima do valor registrado neste ano.

Despesa mais alta

A cobrança de tarifas dos clientes também ajudou a engordar o lucro do Itaú. As receitas com prestação de serviços e seguros atingiram R$ 41,4 bilhões no ano passado, um crescimento de 5,5%.

Por outro lado, as despesas operacionais do maior banco privado brasileiro aumentaram 5% no ano passado, para R$ 49,4 bilhões. O crescimento ficou acima do previsto pelo Itaú, que estimava um avanço entre 0,5% e 3,5%.

Amanhã pela manhã o Itaú concede uma entrevista coletiva para comentar o balanço de 2018 e as perspectivas para este ano. Confira aqui no Seu Dinheiro ou lá no meu Twitter o que vai rolar na entrevista.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Cálculos da Firjan

Reforma tributária pode gerar 300 mil vagas por ano

Cálculos efetuados pela Firjan também mostram que a reforma nos impostos do país pode incrementar o consumo em até R$ 122,7 bilhões

De volta à velha política

Governo se rende às indicações políticas para aumentar base

Presidente foi convencido por ministros da área política de que premiar partidos leais a suas propostas seria a única forma de aprovar reformas

Grandes planos

“Vamos lançar nosso banco digital em mil lojas antes da Black Friday”, diz CEO da Via Varejo

Roberto Fulcherberguer tem trabalhado para que o sistema de vendas pela web esteja tinindo para a próxima Black Friday

Passou!

Centauro aprova plano de outorga para opção de compra de ações neste ano

Plano prevê que a quantidade máxima de ações vinculadas será de 7.943.848

Seu Dinheiro no domingo

Quanto rendeu o Seu Dinheiro em um ano?

Você sabe quanto o Seu Dinheiro rendeu em um ano? Não estou falando aqui do montante que você tem aplicado no banco. Mas do Seu Dinheiro mesmo, esse projeto independente de jornalismo e educação financeira que eu coordeno junto com a Olivia Alonso e que tem um time de feras como o Vinícius Pinheiro, o […]

Olhe e copie

5 coisas inteligentes que pessoas com consultores financeiros fazem com o próprio dinheiro que lhes dão uma vantagem

Nem todos querem ou podem pagar um planejador financeiro próprio. Mas que tal dar uma espiada no que eles andam aconselhando?

Enquanto isso, na Assembleia da ONU...

Promessa de ‘afagos’ teria convencido Bolsonaro a aceitar jantar com Trump

No pacote de gestos, a expectativa de auxiliares do Planalto é que Bolsonaro sente-se próximo de Trump

Poucos amigos

Major Olímpio diz que há estratégia no Congresso para desgastar Bolsonaro

Senador afirmou que parlamentares “votam projetos absurdos e depois jogam no colo do presidente a questão de vetar ou não esses dispositivos”

Série: os mais ricos do Brasil

Abilio Diniz: um bilionário bom de briga

Ele transformou a pequena doceria do pai na maior rede varejista do país e aos 82 anos continua na ativa

Papo de poder

Maia conversa com Bolsonaro sobre pauta de votações da Câmara para próxima semana

Entre os itens da pauta está o projeto de lei que trata do registro, posse e comercialização de armas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements