Menu
2019-06-26T18:40:04-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Dinheiro na mão

BC libera mais R$ 16 bilhões em depósitos compulsórios

Banco Central (BC) anuncia redução na alíquota de depósitos compulsórios a prazo. Mudança tem efeito a partir do dia 15 de julho

26 de junho de 2019
18:40
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) anunciou uma redução na alíquota de depósito compulsório, dinheiro que os bancos são obrigados a deixar parado no próprio BC, que incide sobre os depósitos a prazo. O efeito será uma injeção de R$ 16,1 bilhões no sistema financeiro.

O percentual dos depósitos a prazo, como CDBs, que terão de ficar retidos no BC cairá de 33% para 31%. Em nota, a instituição diz que a “alteração aproxima mais a alíquota dessa modalidade de recolhimento aos níveis históricos praticados nos anos anteriores à crise de 2008”.

A mudança entrar em vigor no dia 1º de julho, com efeitos financeiros a partir do dia 15 de julho.

Em 23 de maio, o BC tinha promovido uma simplificação nas regras de compulsório que envolviam debêntures emitidas por empresas de leasing de conglomerados financeiros. O efeito prático foi a liberação de R$ 8,2 bilhões, que também chegarão ao sistema em 15 de julho.

Em tese, teremos mais R$ 24,3 bilhões para os bancos ofertarem ao público, mas em um momento de demanda nada exuberante por crédito, esse dinheiro deve engrossar as operações compromissadas.

Uma agenda de simplificação e redução estrutural dos compulsórios está em marcha desde a gestão de Ilan Goldfajn, e o atual presidente do BC, Roberto Campos Neto, também tem destacado os esforços da instituição nesse sentido, mas sempre ressalvando que essa é uma agenda de longo prazo e que compulsório não é ferramenta para estimular a economia, embora a liberação de recursos tenha esse efeito.

Em recente apresentação, Campos Neto afirmou que as medidas já tomadas para simplificar as intrincadas regras que regem os compulsórios já promoveram uma redução no estoque da casa de R$ 500 bilhões para cerca de R$ 400 bilhões. Mas classificou tal redução de “tímida” e disse que “tem espaço para otimização disso”.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

DE OLHO NAS CONTAS PÚBLICAS

Publicado sem alarde, relatório do governo prevê déficit de R$ 861 bi no Orçamento em 2020

Expectativa do Ministério da Economia para receitas em 2020 piorou em R$ 9,7 bilhões

Lupa dos Fundos - SD Premium

Contrate uma tesouraria para trabalhar por você com este fundo multimercado

Com um objetivo de retorno de 7% acima do CDI, o fundo desta edição da Lupa é de uma gestora formada por ex-profissionais da tesouraria de um grande banco

pandemia no país

Brasil tem 33,5 mil novos casos de coronavírus e 836 mortes em 24 horas

O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de ontem, quando o painel do ministério marcava 137.272 falecimentos. Ainda há 2.423 mortes em investigação

seu dinheiro na sua noite

Um novo flerte do dólar a R$ 5,50

“Nunca aposte contra a América”, alertou Warren Buffett no tradicional encontro de acionistas de sua holding de investimentos em maio deste ano. O bilionário não falava especificamente da moeda dos Estados Unidos, mas toda vez que o dólar mostra sinais de força, alguém (como eu) acaba trazendo a frase à tona. Afinal, é para as […]

aquisição à vista

Stone vai lançar BDRs na bolsa brasileira e pretende usar papéis na compra da Linx

Aprovação pelos acionistas da Linx e da Stone e prévia autorização do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) estão entre as condições para finalizar a operação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements