Menu
2018-12-09T09:37:47-02:00
Estadão Conteúdo
Técnico de carreira do Tesouro

Marcelo Guaranys será o número 2 de Guedes no Ministério da Economia

Com formação nas áreas de Economia e Direito, ele foi escolhido pelo futuro ministro como secretário executivo da pasta

9 de dezembro de 2018
9:37
Marcelo Guaranys
Guaranys hoje responsável pela análise de conteúdo das propostas de políticas públicas que chegam ao Planalto - Imagem: Ed Ferreira/Estadão Conteúdo

Escolhido para comandar um verdadeiro latifúndio na Esplanada dos Ministérios a partir de 2019 e sem conhecimento do cotidiano da máquina administrativa federal, o futuro titular da Economia, Paulo Guedes, reforçou seu time com técnicos de carreira. De seis nomes anunciados no sábado, 8, quatro já atuam hoje em postos importantes do governo de Michel Temer. Os nomes foram antecipados pelo jornal O Estado de São Paulo.

Para o posto número dois da pasta, o de secretário executivo, Guedes escalou Marcelo Pacheco dos Guaranys, um técnico de carreira do Tesouro Nacional que já foi diretor-geral da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de 2011 a 2013 e atualmente é subchefe de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais da Casa Civil da Presidência da República.

Com formação nas áreas de Economia e Direito, Guaranys é hoje responsável pela análise de conteúdo de todas as propostas de políticas públicas que chegam ao Palácio do Planalto. Ele vinha também atuando nos trabalhos para o cumprimento, pelo Brasil, das condições necessárias para o País poder ingressar como membro da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Ao que tudo indica, esse será um projeto importante também do futuro governo do Brasil.

Guaranys teve forte atuação nos entendimentos em torno do projeto da Lei Geral das Agências Reguladoras. A matéria já foi aprovada pelo Senado e atualmente está em análise na Câmara dos Deputados.

Indicações

Para comandar a Secretaria de Fazenda, Guedes escolheu Waldery Rodrigues Júnior, que há dois anos integra a assessoria especial do Ministério da Fazenda. Também tem longa experiência no setor público, tendo trabalhado no Instituto de Pesquisa Econômica Avançada (Ipea) e no Senado Federal. Waldery terá como adjunto Esteves Colnago, funcionário de carreira do Banco Central, e que atualmente é ministro do Planejamento.

O atual secretário executivo do Planejamento, Gleisson Rubin, também funcionário de carreira do governo federal, será adjunto da nova Secretaria de Desburocratização, Gestão e Governo Digital. O número um dessa secretaria será Paulo Uebel, que foi diretor executivo do Instituto Millenium, criado por Guedes.

Atuando desde o início na equipe de transição, o economista Carlos Costa foi confirmado como secretário-geral de Produtividade e Competitividade. Ele foi diretor de Planejamento, Crédito e Tecnologia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e diretor do Ibmec em São Paulo.

A formação da equipe de Guedes ainda não está completa. O jornal O Estado de São Paulo informou em sua edição de ontem que ele avalia a criação de uma Secretaria de Previdência, a ser entregue ao relator da reforma trabalhista, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN). A ideia continua em análise.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Ano de eleição

Promessas de Bolsonaro estouram “folga” do Orçamento em 2022

A ampliação do Bolsa Família e um eventual aumento de 5% nos salários do funcionalismo público já superam o espaço adicional de R$ 25 bilhões para o próximo ano

Nova esperança?

Estados Unidos planejam investir US$ 3,2 bilhões em antivirais para tratar covid-19 e outras doenças

Segundo o Dr. Fauci, principal conselheiro do presidente Joe Biden no combate à pandemia, novo programa vai acelerar o que já está em andamento

PODCAST MESA QUADRADA

De pintor de parede a chef renomado, Alex Atala diz que competitividade foi empurrão: ‘se não fosse provocado, seria um bundão’

Chef de cozinha fala sobre sua trajetória e comenta crises e investimentos bem sucedidos

Amor e presentes

Demanda por crédito no País sobe 13% em maio, impulsionada por Dia das Mães

Índice Neurotech revela que o aumento das vendas no varejo, especialmente nas lojas de departamento e vestuário durante a data comemorativa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies