2018-12-18T09:50:18-02:00
Sesi, Senai e Sebrae na mira

Guedes volta a defender capitalização na Previdência e fala em “passar a faca” no “Sistema S”

Para o futuro ministro da Economia, empresários também devem ceder e fazer sacrifícios

17 de dezembro de 2018
18:12 - atualizado às 9:50
Guedes: "estamos prontos para ajudar. Acabou o toma-lá-dá-cá. Vamos fazer bonito" - Imagem: Nilon Fukuda/Estadão Conteúdo

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, alfinetou empresários nesta segunda-feira, 17, ao defender cortes no chamado "Sistema S", um conjunto de nove instituições do sistema produtivo que inclui Sesi, Senai, Sebrae e Sesc.

"Tem que meter a faca no Sistema S também. Estão achando que a CUT perde o sindicato, mas aqui fica tudo igual? Como vamos pedir sacrifício para os outros e não contribuir com o nosso?", afirmou Guedes.

O futuro ministro acrescentou que os empresários parceiros sofrerão menos cortes que os demais. "Se tiver a visão [parceira] do Eduardo Eugênio corta 30%, se não tiver, corta 50%".

Guedes apontou ainda para a necessidade de formar um pacto federativo envolvendo políticos das esferas Estaduais e municipais. "Estamos prontos para ajudar. Acabou o toma-lá-dá-cá. Vamos fazer bonito". O "posto Ipiranga" de Bolsonaro também cobrou a realização de reformas nos Estados.

"Se não apoiar vai lá pagar sua folha. Como ajudar quem não está me ajudando? Quero que dinheiro vá para Estados e municípios, mas me dê reforma primeiro", Paulo Guedes.

Corte já!

Horas depois das declarações de Guedes, o economista Marcos Cintra, que vai comandar a secretaria especial da Receita Federal, confirmou o projeto do novo governo para o "Sistema S". Ele foi além ao dizer que a implantação deste será gradual e começará "imediatamente".

"Muito do que o Sistema S faz pode ser feito pelo mercado de forma competitiva. Preservaremos as atividades com características de bens públicos (...) o resto das atividades, como capacitação, o mercado atende bem", afirmou Cintra.

O futuro secretário avaliou que tudo está aberto à reavaliação pelo futuro governo e que, no "Sistema S", a equipe vai desonerar a folha de salários das empresas para estimular empregos.

E a Previdência?

Voltando para Guedes, o futuro ministro aproveitou sua fala no evento com empresário para defender o sistema de capitalização como o melhor para a Previdência, mas admitiu que já não é possível fazer uma transição que inclua todos os trabalhadores. Por isso, a saída é reformar o atual sistema de repartição, "geneticamente condenado", deixando o sistema de capitalização para gerações futuras. Guedes não fez menção à atual proposta de reforma da Previdência que está no Congresso.

O "posto Ipiranga" voltou a usar a metáfora do avião que vai cair e criticou as regras atuais, que, como em todo sistema de repartição, "tem uma bomba demográfica". Segundo ele, com o agravante de ter elevados encargos, o que faz com que a economia para criar um emprego leve à destruição de outros.

"Temos que transitar para um sistema de capitalização. Demoramos tanto tempo que não dá mais para ser disponível para todo mundo. Temos que proteger, agora, as gerações futuras. Então vamos tentar acertar esse sistema que está aí. E, depois, a gente aprofunda e faz a libertação das gerações futuras com um sistema de capitalização que democratize o ato de poupança e liberte as empresas dos encargos trabalhistas, na direção de um choque de criação de empregos", disse.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

ACIONISTAS FELIZES

‘Sextou’ com dividendos: Raia Drogasil (RADL3) e MRS Logística (MRSA3B) anunciam R$ 201 milhões em proventos

Ambas as companhias detalharam o valor por ação, a data de corte para receber os proventos e quando o dinheiro deverá cair na conta dos acionistas

FECHAMENTO DA SEMANA

Em semana de alta volatilidade, Ibovespa pega carona com PEC dos precatórios e sobe 2,78%; dólar também avança, mas juros passam por alívio

Variante ômicron, PEC dos precatórios e o futuro da política monetária americana dominaram a semana do Ibovespa

Evergrande vende parte de suas ações de empresa de tecnologia e obtém US$ 145 mi

O grupo chinês da Evergrande levantou cerca de US$ 145 milhões nos últimos dias com a venda de parte de suas ações em uma produtora de filmes e empresa de mídia na internet, a HengTen Networks. Assim, a gigante imobiliária vendeu cerca de 5,7% das ações da HengTen Networks e junta mais dinheiro à medida […]

Aperto monetário

Copom deve elevar Selic para 9,25% ao ano na próxima semana, aposta JP Morgan

Para o banco, a queda de 0,1% do PIB do terceiro trimestre e o avanço da PEC dos precatórios no Congresso fizeram com que as estimativas convergissem para a manutenção do ritmo de alta de 1,5 ponto

Intervenção estatal

Sob risco de novo calote, governo chinês envia ‘socorro administrativo’ para Evergrande

O movimento ocorre após a gigante imobiliária alertar que corria o risco de não cumprir mais uma grande obrigação financeira