🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Presidente do BC

Ilan reforça que reformas são ‘fundamentais’ para juros baixos e inflação controlada

Durante evento na Febraban Presidente do Banco Central cobrou realização de reformas para reequilíbrio das contas públicas

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
4 de dezembro de 2018
14:07 - atualizado às 13:41
Ex-presidente do BC, Ilan Goldfajn
O ex-presidente do BC, Ilan Goldfajn. - Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, ressaltou que a economia brasileira, embora se recupere de maneira gradual, tem crescido continuamente. Ele participou de evento na Federação Brasileiro de Bancos (Febraban) nesta terça-feira, 4.

"O PIB cresceu 0,8% no terceiro trimestre. Foi a sétima variação positiva seguida a cada semestre. Isso não acontecia desde 2011. O cenário é desafiador, mas na margem vemos estabilidade", observou.

Goldfajn disse ainda que a recuperação econômica foi possível graças à queda dos juros e ao controle da inflação. Segundo ele, a inflação está ancorada e a expectativa é que isso se mantenha em 2019 e 2020.

O presidente do BC aproveitou o discurso para mais uma vez cobrar a realização de reformas que reequilibrem as contas públicas.

"A aprovação e implementação de reformas e ajustes são fundamentais para sustentabilidade desse ambiente [de juros baixos e inflação controlada]. Temos enfatizado que a conquista da inflação e de juros baixos depende de avançar nesse processo", afirmou.

Goldfajn lembrou também que em 2018 os emergentes tiveram que enfrentar aversão ao risco e fuga de capital, em razão do aumento das taxas de juros nos Estados Unidos. Disse ainda que a realocação do portfólio do investidor global depreciou moedas e elevou o prêmio de risco. "Os prêmios de risco se estabilizaram, mas em níveis aquém dos vigentes no início do ano", declarou.

"Não obstante às incertezas, Brasil mostrou que tem amortecedores robustos para enfrentar choques", disse.

Guardia quer Previdência no Top 1

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, resolveu transformar seu discurso no evento da Febraban em um apelo para que o próximo governo comece o ajuste fiscal com a reforma da Previdência. "É o cerne do problema".

Na visão do ministro, o Brasil ainda tem a chance de fazer um ajuste fiscal gradual e, sabendo de suas vulnerabilidades, precisa enfrentá-las antes que o cenário externo "fique ainda mais adverso".

"Outras economias não conseguiram realizar um ajuste fiscal, e isso leva a medidas urgentes de curto prazo, que no Brasil acabariam reforçando as distorções que temos", disse Guardia, que ressaltou que, na reunião do G-20, o tom era de preocupação com 2019.

Guardia também disse que seria um erro revogar o teto de gasto, que se tornou uma espécie de garantia aos investidores internacionais de que haverá algum controle de despesas. E, para que o teto seja respeitado, é necessário realizar a reforma da Previdência. "A manutenção do teto é crível pelos próximos quatro anos, pelo menos até o próximo governo", disse.

Para o ministro, a continuidade do processo de reformas vai exigir um diálogo entre os poderes Judiciário e Legislativo. Também afirmou que os governos estaduais precisam controlar os gastos, que ainda crescem mais que a inflação.

*Com Estadão Conteúdo 

Compartilhe

E o teto de gastos?

‘Responsabilidade social não significa irresponsabilidade fiscal’, diz Goldfajn, ex-presidente do BC

1 de novembro de 2021 - 7:06

Atual presidente do conselho do Credit Suisse no país, Ilan Goldfajn vê com preocupação os recentes movimentos do governo no front fiscal

Abafando rumores

CEO Global do Credit Suisse nega suposta venda da filial brasileira em vídeo

27 de maio de 2021 - 15:08

As expectativas para a eventual negociação cresceram após a notícia de que José Olympio deixaria a presidência do banco após 10 anos no cargo

Plano pró-Brasil pegou mal

Brasil pode perder uma segunda década consecutiva de crescimento com medidas atuais, diz ex-BC

27 de abril de 2020 - 7:47

O ex-presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo que o governo deve assegurar que os recursos estão chegando aos mais necessitados e que não é o momento de grandes obras públicas

ECONOMIA

Ilan Goldfajn: ‘O mais importante hoje é a persistência nas reformas’

15 de dezembro de 2019 - 15:54

O economista, hoje presidente do conselho do Credit Suisse, afirma estar otimista, pois vários obstáculos, como a taxa de juros elevada, já foram retirados do caminho

O mundo do juro baixo

Queda de juro torna a vida do poupador mais difícil, mas é bem-vinda, diz Ilan Goldfajn

4 de dezembro de 2019 - 11:25

Para o ex-presidente do Banco Central, não haverá recuperação global forte, os EUA vão desacelerar e juro ficará baixo por um bom tempo, com dólar alto. E não adianta esperar o dinheiro gringo: nós mesmos vamos ter que investir na economia real, e isso vai ser bom

cara nova no banco suíço

Ex-presidente do BC, Ilan Goldfajn vai para o Credit Suisse

5 de setembro de 2019 - 10:52

Economista atuará com clientes corporativos e pessoas físicas de alta e altíssima renda da instituição; ele assume o cargo no próximo dia 16

Análise

E não é que a inflação sumiu do discurso do Banco Central?

15 de março de 2019 - 5:17

Roberto Campos Neto usou o termo “inflação” apenas sete vezes no seu discurso. Ilan, quando chegou ao BC, falou em “inflação” 17 vezes e os contextos são bem diferentes. Isso mostra que embate CDI x Ibovespa morreu faz tempo

Política Monetária

Será que Campos Neto tira do bolso alguma indicação sobre a Selic?

13 de março de 2019 - 8:21

Presidente do Banco Central discursa em cerimônia de transmissão de cargo e mercado, ou parte dele, espera algum aceno sobre taxa básica de juros

Política Monetária

Roberto Campos Neto toma posse como presidente do Banco Central

28 de fevereiro de 2019 - 9:47

Em cerimônia reservada, Bolsonaro empossa novo presidente. Transmissão de cargo será no dia 13 de março

Reformas

Para presidente do BC, reforma da Previdência é “abrangente” e injustiças “estão sendo tratadas”

21 de fevereiro de 2019 - 13:30

Ilan Goldfajn reforçou que na visão do BC, quanto maior a economia da reforma, melhor será para administrar a inflação

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar