Menu
2019-01-11T15:14:33-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Pontos importantes para a economia

Controle da inflação é processo contínuo e reformas são essenciais

Em evento no Rio, Ilan disse que IPCA de 2018 ficou “em torno da meta”, mas que o mais importante são as expectativas orbitando as metas até 2020

11 de janeiro de 2019
15:14
Ilan-Goldfajn-BC-Nov 2018
Presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn. - Imagem: Beto Nociti/BCB

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, afirmou que o controle da inflação é um processo contínuo e que os ajustes e reformas “são essenciais” para manter os preços baixos no médio e longo prazos, para a queda do juro estrutural e para a recuperação sustentada da economia.

Ilan discursa na abertura do evento que marca o lançamento da coleção digital “História Contada do Banco Central do Brasil”. Estão presentes 13 ex-presidentes da instituição.

O presidente também fez um breve comentário sobre o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2018, que fechou em 3,75% ao ano “em torno da meta”, que era de 4,5% com banda de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Mais importante que o resultado de 2018, segundo Ilan, é que as expectativas para os próximos anos encontram-se, também, ao redor das metas de 4,25% para 2019, 4% para 2020, e 3,75% para 2021.

“No regime de metas para a inflação, a confiança de que a política monetária será ajustada quando houver desvios relevantes da inflação com relação à meta é que gera a ancoragem das expectativas, com é o caso hoje em dia”, disse Ilan.

Os ex-presidente Alexandre Tombini também discursou na abertura do evento, lembrando da história do BC desde a criação em 1965. Segundo Tombini, o sistema de metas de inflação se consolidou como ancora nominal da economia brasileira, com o câmbio tomando conta do balanço de pagamentos e a política monetária cuidando da inflação.

Estão presentes Ernane Galvêas, Carlos Geraldo Langoni, Fernão Bracher, Fernando Milliet, Wadico Bucchi, Pedro Malan, Persio Arida, Gustavo Loyola,  Gustavo Franco, Francisco Lopes, Arminio Fraga, Henrique Meirelles e Alexandre Tombini.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Os três mosqueteiros do varejo e outros destaques da noite

Na bolsa e no setor de varejo, a máxima do “um por todos e todos por um” não se aplica. Empresas competem umas com as outras e investidores buscam as melhores aplicações — o “cada um por si” tem bem mais adeptos. Mas, quem diria, três mosqueteiros juntaram suas espadas para comemorar os bons resultados […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sobe puxado pelo minério de ferro e encosta nos 123 mil; NY fecha o dia no vermelho

Com a economia chinesa aquecida, a demanda por commodities segue em alta e sustenta bons níveis para o Ibovespa.

Seleção Empiricus

🔴 AO VIVO: Quais são os investimentos para o segundo semestre? | Seleção Empiricus

Caminhando para o fim do primeiro semestre, nosso time do Seleção Empiricus de hoje discute o que podemos esperar da Bolsa para os próximos meses. A escalação do jogo de hoje conta com Max Bohm, Matheus Spiess, Cris Fensterseifer e Marcos Queiroz.

Segure seus bitcoins

Golpistas se passam por Elon Musk e roubam dinheiro de investidores de criptomoedas

Os criminosos usaram perfis falsos do CEO da Tesla para levar ao menos US$ 2 milhões de entusiastas do bitcoin e outras moedas digitais

Orçamento apertado

Segmentos mais impactados de comércio e serviços tiveram perdas de R$ 225,7 bi em 2020

Montante é maior que o total produzido por países como Sérvia e Tunísia. Varejo de roupas perdeu 10% do seu tamanho no ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies