Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T09:45:35-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Além de Ilan

Os 5 possíveis nomes para o Banco Central no governo Bolsonaro

Equipe de presidente eleito vem tentando aprovar autonomia do BC, o que abriria oportunidade para Ilan ficar no cargo até 2020

9 de novembro de 2018
7:11 - atualizado às 9:45
Ilan Goldfajn
Presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn - Imagem: Wilson Dias/ Agência Brasil

Apesar da possibilidade de Ilan Goldfajn permanecer no comando do Banco Central no novo governo, outros nomes já vêm sendo estudados pela equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Ao todo, cinco nomes despontam como possíveis substitutos de Ilan: o ex-diretor de Política Econômica do BC Afonso Bevilaqua; o atual diretor de Política Econômica, Carlos Viana de Carvalho; o também ex-diretor do BC e atual economista-chefe do Itaú Unibanco, Mário Mesquita; o ex-diretor do BC e sócio da gestora SPX Capital, Benny Parnes; e Roberto Campos Neto, diretor do Santander.

'Solução caseira'

Entre esses nomes, Viana seria a “solução caseira”. Além de fazer parte do atual comando do BC, ele foi levado à autarquia por Ilan e boa parte dos aperfeiçoamentos institucionais realizados nos últimos anos tem a sua participação. Bevilaqua, Mesquita e Parnes, por sua vez, estiveram no BC em outros momentos - assim como Ilan, que foi diretor de Política Econômica de 2000 a 2003, antes de voltar como presidente, em 2016.

O BC e a equipe de transição têm articulado o andamento do projeto relatado por Maldaner. Após reuniões nas últimas semanas com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com o presidente Michel Temer e com o próprio Maldaner,

Ilan foi pessoalmente à Câmara na quarta-feira para participar de uma reunião de líderes partidários. No encontro, no gabinete de Maia, ele fez um apelo pelo projeto de autonomia - uma das bandeiras mais antigas do BC. O objetivo é aprovar a proposta ainda este ano, antes mesmo da posse de Bolsonaro.

Com a aprovação da autonomia do BC, especula-se que Ilan poderia ficar no cargo até 1.º de março de 2020, e não durante todo o governo Bolsonaro. Ele seria, portanto, o presidente da transição até o início dos mandatos fixos.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Nada de penny stock

Na Saraiva (SLED3 e SLED4), uma medida para aliviar a pressão da CVM — mas que não tira a corda do pescoço

A Saraiva (SLED3 e SLED4) quer fazer um grupamento de ações na proporção de 35 para 1, saindo da casa dos centavos — mas perdendo liquidez

Seu Dinheiro no sábado

O que esperar para os seus investimentos até 2024?

Como parte das comemorações de três anos do Seu Dinheiro, montamos um conteúdo especial para discutir o cenário de investimentos até 2024

PAPO CRIPTO #004

Bitcoin (BTC) pode chegar aos US$ 100 mil ainda este ano, tudo depende dos EUA, afirma André Franco ao Papo Cripto

As gamecoins como o Axie Infinity devem movimentar ainda mais o mercado até o final do ano

ATENÇÃO, ACIONISTA

Hapvida (HAPV3) vai recomprar até 100 milhões de ações; papéis acumulam queda de 17% no ano

A operadora de saúde anunciou hoje que dará início a um programa de recompra de papéis com duração de até 18 meses

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies