Menu
2018-11-08T18:19:17-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Banco Central

Um erro básico de diplomacia no (não) convite a Ilan Goldfajn

Você não fala que está “namorando” alguém antes de saber se aquela pessoa “te namora”

8 de novembro de 2018
18:19
Ilan-GoldfajnBCB – RTI SET2018
Imagem: Luciano Freire/BCB

Todo esse ruído em torno na permanência ou não de Ilan Goldfajn na presidência do Banco Central (BC) decorre de um erro básico da equipe do novo governo, notadamente do futuro ministro Paulo Guedes.

Faz parte da etiqueta diplomática não falar aos quatro cantos que está se convidando alguém para um cargo de tamanha relevância ANTES de saber a resposta dessa pessoa.

Sabendo do “sim” ou do “não”, fica mais fácil trabalhar a eventual transição e, principalmente, comunicar isso de forma menos traumática. De fato, os ruídos sobre a permanência de Ilan começaram antes mesmo de qualquer convite formal ou informal, sempre com reflexos no preço da bolsa, do câmbio e dos juros.

Agora, por qualquer motivo que seja, se Ilan disser que prefere sair, a versão que vai prevalecer é de que um profissional respeitado dentro e fora do mercado disse “não” ao novo governo.

Segundo a “Agência Estado”, a permanência de Ilan dependeria mais dele do que do time de Bolsonaro. Já o portal “G1”, que encontrou com Ilan no aeroporto de Brasília, nos diz que o presidente falou “tem que perguntar a eles”, quando questionado sobre o tema.

Já que houve falha na largada do processo seria de bom tom encerrar essa questão de uma vez e de forma coordenada. Que se anuncie a permanência ou substituição o quanto antes. O mercado, como sempre, "coloca no preço" a permanência ou o novo nome e segue o jogo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

RECUPERAÇÃO EM RISCO

Economistas alertam para efeitos de volta da covid-19

Por enquanto, economistas descartam reversão da retomada, mas esperam desaceleração no ritmo, postergando retorno da atividade ao nível pré-pandemia

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

9 notícias para começar o dia bem informado

Um dos fenômenos dos processos de evolução é abalar os mercados ineficientes. Os mais velhos certamente se lembram do tempo em que comprar uma linha telefônica era um “investimento”. O sistema de telefonia brasileiro era tão ruim que a escassez de oferta gerava um mercado paralelo. Você pode até xingar a Vivo, Claro, TIM e […]

DINHEIRO NO BOLSO

Construtora Tenda vai pagar R$ 13,7 milhões em dividendos

Montante equivale a R$ 0,13952 por ação e será repassado a partir de 16 de outubro

condição para investimentos

Audi pode deixar de produzir carros no Brasil se governo não pagar dívida

Desde o ano passado há boatos de que a empresa deixaria de produzir automóveis no País porque os investimentos para fabricar as novas versões de A3 e Q3 seriam elevados

esquenta dos mercados

Preocupação com segunda onda da covid-19 segue azedando os mercados em dia de agenda esvaziada

Na falta de novidades locais, o mau humor dos investidores estrangeiros deve impactar a bolsa brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements