Menu
2019-10-28T18:01:11+00:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Hora de comprar

As ações da Sinqia já subiram mais de 150% no ano. Para o BTG, há espaço para mais

O BTG Pactual iniciou a cobertura para as ações da Sinqia com recomendação de compra e preço-alvo em 12 meses de R$ 22,00, citando o potencial de crescimento da empresa

28 de outubro de 2019
11:30 - atualizado às 18:01
sinqia
Reunião da Sinqia com clientes. - Imagem: Divulgação / Instagram da empresa

A Sinqia, companhia provedora de tecnologia para o sistema financeiro, tem tido um ano bastante agitado. Somente em 2019, os papéis ON da empresa (SQIA3) já acumulam ganhos de mais de 150%, aparecendo entre os destaques da bolsa — somente como comparação, o Ibovespa sobe "apenas" 23% de janeiro para cá.

Mas não é só isso. Em setembro, a empresa concluiu uma oferta subsequente de ações, levantando mais de R$ 360 milhões; no início de outubro, os ativos da Sinqia foram desdobrados na proporção de um para quatro, de modo a ampliar a liquidez e facilitar o investimento — o interesse pelos papéis, afinal, cresceu muito de uns meses para cá.

E essa busca cada vez maior pelas ações da companhia devem aumentar ainda mais. Nesta segunda-feira (28), o BTG Pactual iniciou a cobertura para os papéis da Sinqia — e a visão do banco é bastante otimista. Logo na largada, a instituição recomenda a compra dos ativos da empresa, estabelecendo preço-alvo em 12 meses de R$ 22,00.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Considerando a cotação de fechamento das ações ON da Sinqia na última sexta-feira (25), de R$ 16,00, o preço-alvo fixado pelo BTG implica num potencial de valorização de 37,5%. Ou seja: mesmo após os ganhos expressivos vistos em 2019, o banco acredita que ainda há espaço para mais.

O mercado reagiu positivamente à visão do BTG: os papéis da companhia fecharam em alta de 3,12%, a R$ 16,50 — o Ibovespa avançou 0,77%, aos 108.187,06 pontos, chegando a um novo recorde de encerramento. Confira aqui a cobertura completa dos mercados nesta segunda-feira.

"Apesar de ser o maior player em seu segmento no Brasil, a companhia possui uma participação de mercado de apenas 3,6%", destacam os analistas Carlos Sequeira, Bernardo Teixeira, Thiago Kapulskis e Osni Carfi, em relatório. "Acreditamos que seu tamanho, expertise e capitalização a colocam numa posição única para se consolidar num ramo que está claramente muito fragmentado".

O parecer da equipe de análise do BTG fica em linha com o que o próprio presidente da Sinqia,  Bernardo Gomes, disse em entrevista exclusiva ao Seu Dinheiro, em outubro. Na ocasião, logo após concluir a oferta de ações, o executivo afirmou que a empresa estaria mirando 12 novas aquisições com os recursos levantados.

A Sinqia vem crescendo via fusões e aquisições desde 2005 — o banco afirma que, de lá para cá, a empresa já comprou 13 companhias e multiplicou suas vendas em 35 vezes. Assim, com os R$ 360 milhões recém obtidos, a expectativa é a de que entre num ciclo semelhante de expansão, "com potencial para dobrar as receitas em dois a três anos".

A provedora de tecnologia para o sistema financeiro divulgará seu balanço referente ao terceiro trimestre de 2019 em 13 de novembro — a teleconferência com analistas e investidores está marcada para o dia 14.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Diplomacia

Bolsonaro e líderes tentam vender o peixe dos Brics a empresários

Presidentes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul contam a empresários o que têm feito para melhorar o ambiente de negócios

Na ponta do lápis

Natura, brMalls, Qualicorp… os balanços que movimentam os mercados nesta quinta-feira

Resultados das companhias vieram mistos, com dados positivos e negativos para todos os lados. Confira cada um deles

Seu Dinheiro na sua noite

A quarta-feira 13 da Via Varejo

Assim como no cinema, as histórias das empresas com ações na bolsa podem ser divididas em vários gêneros, para todos os gostos. Existem as comédias, estreladas por aquelas companhias que vivem arrancando sorrisos de seus acionistas com crescimento das operações e do lucro. Temos também os faroestes, de empresas em setores que enfrentam forte competição. […]

Corrupção em SP

Lava Jato fecha acordo de leniência de R$ 214 milhões com Andrade Gutierrez

Documento refere-se a ilícitos cometidos pela companhia em obras do Metrô de São Paulo, Prefeitura de São Paulo, CPTM, DERSA, EMTU e CODESP nos governos do PSDB

Medidas do governo

Pesquisa mostra que 57% dos brasileiros reprovam congelamento de salários de servidores

Levantamento da XP mostra também que o conhecimento sobre o pacote de reformas estruturais apresentado no início deste mês é limitado

O Disney Plus vem aí

Te cuida, Netflix: o novo serviço de streaming da Disney já tem 10 milhões de usuários

As ações da Disney dispararam com a informação de que, em apenas um dia, o novo serviço de streaming da companhia já conta com 10 milhões de usuários. E agora, Netflix?

Próximos passos

Banco dos BRICS quer trabalhar com mais empréstimos em moedas locais

NDB tem como foco o financiamento de projetos no Brasil, na Rússia, na Índia, na China e na África do Sul

Trato feito

Grupo Prumo e Siemens AG assinam acordo de cooperação em projetos de energia

Assinatura ocorreu durante a reunião do BRICs, em cerimônia que contou com a presença dos principais executivos das companhias envolvidas

Ficou difícil

Negociação EUA-China trava por questão de compras agrícolas, dizem fontes

Impasse sobre agricultura cria outro obstáculo no caso, conforme Pequim e Washington tentam fechar a fase 1 do acordo

Mantendo relações

Bolsonaro confirma viagem à Índia em janeiro de 2020

Mais cedo, presidente teve reunião com o presidente da China, Xi Jinping, para a assinatura de acordos bilaterais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements