Menu
2019-08-09T14:52:21-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Balanço

Onde os brasileiros investiram no primeiro semestre de 2019

Investidores pessoas físicas ultrapassaram a marca de R$ 3 trilhões em investimentos pela primeira vez; apesar de poupança ainda ser forte, volume investido em renda variável e debêntures aumentou bastante

9 de agosto de 2019
14:52
Pessoa conta notas de dinheiro de 100 reais
Participação da renda variável nas carteiras aumentou em grande parte pela valorização desses ativos no semestre. - Imagem: Shutterstock

Os investidores pessoas físicas brasileiros ultrapassaram, pela primeira vez, a marca dos R$ 3 trilhões investidos no primeiro semestre de 2019.

E os sinais da Selic baixa já se fazem sentir no perfil das suas carteiras: embora a poupança ainda seja forte, sobretudo entre os investidores de menor volume (varejo), a renda variável e as debêntures cresceram bastante na primeira metade do ano.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Levantamento feito pela Anbima, a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, mostrou que, no primeiro semestre, o volume investido pelas pessoas físicas dos segmentos de varejo, varejo alta renda e private subiu 5% em relação ao segundo semestre de 2018.

O varejo tradicional, no entanto, viu perdas de 4,8% no volume investido nessa comparação semestral. O segmento private, dos endinheirados, viu um crescimento de 8,8% no período.

De acordo com José Rocha, presidente do fórum de distribuição da Anbima, essa redução no varejo tradicional tem a ver com sazonalidade, dado que esse segmento costuma investir mais no segundo semestre, em razão do recebimento de rendas extras, como o 13º salário.

O maior crescimento, de 11%, se deu no varejo alta renda, segmento que geralmente engloba os investidores com renda superior a R$ 5 mil ou R$ 10 mil, dependendo da classificação da instituição financeira.

Somando varejo e varejo alta renda, as aplicações na poupança perderam espaço. O volume diminuiu 0,1% em relação ao semestre anterior, enquanto as aplicações em títulos e valores mobiliários e fundos ganharam participação, com altas de 4,2% e 5,1% em relação ao segundo semestre de 2018.

Onde os investidores de varejo investiram

E onde essa galera investiu? Os gráficos a seguir mostram a distribuição dos tipos de investimento em volume no varejo tradicional e no varejo alta renda no primeiro semestre:

Onde os brasileiros investiram no primeiro semestre de 2019 - varejo

No varejo tradicional, a poupança ainda tem um papel muito importante e inclusive aumentou sua participação no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os investidores de menor renda tendem a valorizar mais a solidez do investimento que o retorno, disse José Rocha. Mas mesmo eles viram um aumento na participação das ações na carteira.

Já a distribuição dos recursos do varejo alta renda evidenciam a busca desses investidores por aplicações mais rentáveis.

Menos poupança e mais ações, multimercados e investimentos como debêntures, CRI, CRA, fundos imobiliários, fundos de ações, títulos públicos (alguns se valorizaram com a queda dos juros), entre outras aplicações que se beneficiam do cenário de juro baixo ou em queda.

No varejo como um todo, os tipos de ativos que tiveram maior crescimento no volume investido no primeiro semestre de 2019 frente ao mesmo período de 2018 foram os fundos de ações (+38,6%), fundos imobiliários (+36,5%), ações (+28,1%) e debêntures (+19,1%). A poupança foi a única aplicação com redução de volume nesta base de comparação.

Onde os clientes private investiram

E os endinheirados, onde puseram seu dinheiro no primeiro semestre?

Onde os brasileiros investiram no primeiro semestre - private

Os fundos multimercados são o principal investimento dos clientes private, seguidos das ações e das LCI e LCA. Porém, os multimercados e LCI e LCA perderam espaço em relação ao primeiro semestre do ano passado.

No segmento private, os ativos que mais cresceram em volume no primeiro semestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado foram os fundos de ações (+19,8%), as ações (+17,4%) e as debêntures (+13,6%).

Segundo José Rocha, o grande crescimento da renda variável tem muito a ver não só com novos aportes nesses ativos, mas também com a sua valorização ao longo do primeiro semestre, o que fez sua participação relativa nas carteiras crescer.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

MAIS MAGRINHA

Venda de 51% da Gaspetro com 20 distribuidoras deverá ser por IPO, diz Petrobras

“As conversas continuam com a Mitsui e a nossa expectativa é realizar a transação no mercado de capitais. Em 2015 a Petrobras vendeu 49% da empresa para a Mitsui e agora vamos vender nossa parte em bolsa”, disse Castello Branco

APROVADO

Cade aprova compra da Nextel pela Claro sem restrições

O negócio já havia sido aprovado pela Superintendência Geral do Cade em setembro, mas, após recurso apresentado pela concorrente TIM no mês seguinte, foi reavaliado pelos conselheiros do tribunal

Entre 1,50% e 1,75% ao ano

Fed mantém juros dos EUA estáveis e confirma a expectativa dos mercados

O ciclo de corte de juros nos EUA foi interrompido. Após três reduções consecutivas de 0,25 ponto, O Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manteve a taxa básica inalterada na faixa entre 1,50% e 1,75% ao ano. A decisão foi unânime. Era uma decisão amplamente esperada pelo mercado, dados os recentes sinais de aquecimento […]

situação complicada

Paralisação da OMC tira do Brasil via para questionar taxas americanas sobre o aço

Tribunal da OMC é o órgão máximo de apelação para questionamentos de condutas comerciais entre países e perdeu o quórum mínimo necessário para que continue funcionando

altas do dia

Ações de Kroton e Estácio sobem forte após MEC ampliar ensino a distância no País

Medida tende a reduzir os custos de ambas as empresas; segundo um analista, entra na conta dos investidores a perspectiva de melhora da economia

fala presidente

Em dia de decisão do BC, Bolsonaro diz que torce por juro menor

Nesta data, o Comitê de Política Monetária (Copom) anuncia decisão. A expectativa do mercado é de corte para 4,5%.

Direto da Nasdaq

‘Nossa jornada está só começando’, diz Benchimol, no lançamento do IPO da XP

Existe uma oportunidade enorme no Brasil, afirmou Benchimol, durante a cerimônia que marcou o início da negociação das ações da XP na Nasdaq. Os papéis disparam mais de 20% nesta tarde, já na faixa de US$ 32

Novidade na bancada

Joice Hasselmann é a nova líder da bancada do PSL na Câmara

Disputa entre os dois grupos criados no PSL, os “bolsonaristas”, ligados a Jair Bolsonaro, e os “bivaristas”, do presidente do partido, Luciano Bivar (PE), tem como pano de fundo o controle dos recursos recebidos pelo PSL

Mercados agora

Ibovespa segue perto da estabilidade após decisão do Fed; dólar cai a R$ 4,12

Fed e Copom anunciam hoje suas decisões de juros. Em meio à expectativa, o Ibovespa opera em ligeira alta, em linha com os mercados globais

De olho no futuro

Depois de ano desafiador, lucro das aéreas em 2020 deve crescer 13,1%, diz Iata

Com o menor preço do petróleo, a conta de combustível das aéreas em 2020 deverá ser de US$ 182 bilhões, 22,1% das despesas, contra US$ 188 bilhões em 2019, o que correspondeu a 23,7% das despesas no ano.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements