Menu
2019-12-03T18:54:09-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.

MRV, Banco do Brasil e Smiles: os destaques do Ibovespa nesta terça-feira

As ações da MRV sobem forte após o resultado do PIB mostrar uma expansão firme da construção civil; Já a Smiles tem a maior queda do Ibovespa

3 de dezembro de 2019
16:50 - atualizado às 18:54
Fachada do edifício sede do Banco do Brasil em Brasília.
Fachada do edifício sede do Banco do Brasil em Brasília. - Imagem: Fernando Bizerra/Agência Senado

As ações do setor de construção civil apareceram entre os destaques positivos da bolsa brasileira nesta terça-feira (3), especialmente os ativos da MRV. O mercado mostrou entusiasmo com o segmento, em meio à forte contribuição da indústria para a expansão de 0,6% no PIB do país no terceiro trimestre deste ano.

De acordo com o IBGE, a construção civil cresceu 4,4% em relação ao mesmo período do ano passado — o melhor resultado para o setor desde 2014. E, com esse dado em mente, os investidores apostaram suas fichas nos ativos das construtoras e incorporadoras.

É o caso de MRV ON (MRVE3), que disparou 7,16% e liderou os ganhos do Ibovespa, e de Cyrela ON (CYRE3), com ganho de 2,33%. Fora do índice, EZTec ON (EZTC3) teve alta de 5,43%, Direcional ON (DIRR3) avançou 4,08% e Tenda ON (TEND3) valorizou 5,58%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Vai vender?

Outro destaque desta terça-feira foi Banco do Brasil ON (BBAS3), em alta de 2,02%. O mercado mostrou animação com a notícia de que a equipe econômica liderada pelo ministro Paulo Guedes estaria analisando a privatização da empresa — a missão, agora, seria convencer o presidente Jair Bolsonaro.

O desempenho dos papéis do Banco do Brasil chamou a atenção porque as demais ações do setor bancário tiveram performances bem mais discretas. É o caso de Itaú Unibanco PN (ITUB4), em alta de 0,03%; Bradesco PN (BBDC4), com ganho de 0,36%; e Santander Brasil units (SANB11), com perda de 0,34%.

Perda de confiança

Na ponta oposta do Ibovespa, atenção para Smiles ON (SMLS3), que despencou 8,85% e teve o pior desempenho do índice. A empresa divulgou projeções bastante fracas para 2019 e 2020, o que desagradou o mercado e gerou desconfiança em relação ao futuro da companhia.

Em relatório, o analista Vitor Mizusaki, do Bradesco BBI, cortou o preço-alvo dos papéis do Smiles ao fim de 2020, de R$ 44,00 para R$ 35,00, mantendo a recomendação neutra para os ativos.

Queda das siderúrgicas

Os papéis de mineradoras e siderúrgicas também tiveram um dia ruim, em meio às tensões no front da guerra comercial — mais cedo, o presidente americano, Donald Trump, disse que um acerto com a China pode ficar para depois das eleições de 2020.

Considerando a importância do mercado chinês para o setor, o atraso no fechamento do acordo comercial entre as potências pode implicar numa desaceleração econômica mais intensa do gigante asiático — o que, consequentemente, afetaria a demanda por aço e minério de ferro.

Obedecendo a essa lógica, CSN ON (CSNA3) caiu 3,77%, Gerdau PN (GGBR4) recuou 2,29%, Usiminas PNA (USIM5) teve perda de 0,92% e Vale ON (VALE3) fechou em queda de 1,79%.

Top 5

Veja as cinco ações de melhor desempenho do Ibovespa nesta terça-feira:

  • MRV ON (MRVE3): +7,16%
  • Gol PN (GOLL4): +4,01%
  • BB Seguridade ON (BBSE3): +3,88%
  • Marfrig ON (MRFG3): +3,87%
  • Via Varejo ON (VVAR3): +3,60%

Confira também as cinco maiores perdas do índice:

  • Smiles ON (SMLS3): -8,85%
  • CSN ON (CSNA3): -3,77%
  • Metalúrgica Gerdau PN (GOAU4): -2,48%
  • Gerdau PN (GGBR4): -2,29%
  • Hypera ON (HYPE3): -2,05%
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mais decisão de BC

BCE mantém política monetária inalterada em estreia de Lagarde na presidência

BCE disse ainda que manterá o programa de relaxamento quantitativo, através do qual vem comprando 20 bilhões de euros em ativos mensalmente desde novembro

Exile on Wall Street

Nota triste — a XP quer mesmo democratizar os investimentos no Brasil?

A XP seguiu os mesmos passos da Vitreo e lançou, depois, dois fundos próprios para investir em suas ações, com direito a matéria no InfoMoney. Matéria da XP, sobre fundos da XP, para comprar ações da XP.

Injeção de otimismo

Ibovespa abre em alta e dólar cai; mercados reagem bem ao Copom e à S&P

O Ibovespa sobe e recupera os 111 mil pontos, impulsionado pelos sinais do BC em relação à Selic e à visão positiva da S&P Global quanto ao Brasil

Mercado de capitais

IPO de empresas brasileiras no exterior deixa gosto amargo, diz presidente da B3

Com o avanço da tecnologia, o Brasil precisa ter uma regulação flexível senão corre o risco de perder o bonde, segundo Gilson Finkelsztain

sem negócio fechado?

Venda de ativos de dona da Ambev na Austrália é questionada por regulador

Órgão avaliou de maneira preliminar que a venda vai reduzir a concorrência no mercado de cidra e, possivelmente, no de cerveja

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

em busca de recursos

Eneva emite R$ 650 milhões em debêntures

Os recursos obtidos pela empresa vão ser usados para investimento, pagamento futuro ou reembolso relacionados ao projeto Parque dos Gaviões

arrumando as contas

País paga dívida com ONU e banco do Brics

Não pagamento à ONU poderia fazer com que o Brasil, pela primeira vez, perdesse o direito a voto no órgão a partir de 1.º de janeiro

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Selic a 4,5%: como ficam seus investimentos?

O Banco Central derrubou a taxa básica de juros brasileira para 4,5% ao ano, a nova mínima histórica. Isso mexe com a rentabilidade de aplicações da renda fixa e favorece os investimentos em ações, imóveis e fundos imobiliários. O que você precisa saber hoje: Mercados • A taxa básica de juro brasileiro renovou sua mínima histórica […]

fim do impasse?

Câmara aprova MP que transfere Coaf para o BC; texto segue para Senado

Outra mudança foi a retirada, com a aprovação de um destaque, da atribuição do Coaf de produzir informação para combate ao financiamento do terrorismo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements