Menu
2019-06-14T16:57:04+00:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Será o futuro das transações online?

Crédito, débito ou criptomoeda? Facebook se une a Visa, Mastercard, Paypal e Uber em plano para lançar criptomoeda própria

Quando estiver em funcionamento, a Libra, governada por um consórcio independente, servirá para que os usuários façam compras e transações tanto no Facebook, como também no Instagram, Messenger, WhatsApp

14 de junho de 2019
13:23 - atualizado às 16:57
facebook-bitcoin
Facebook e Bitcoin - Imagem: Shutterstock

Você já ouviu falar da Libra? Não, não estamos falando da libra esterlina, a moeda corrente do Reino Unido. Estamos falando sobre uma nova criptomoeda que deve surgir em breve no mercado e que promete movimentar as redes sociais.

O Facebook tem planos de lançar uma criptomoeda própria para impulsionar as transações onlines. E a empresa não está sozinha nessa. Segundo o The Wall Street Journal, a rede social de Mark Zuckerberg tem apoiadores de peso do mundo da internet, telecomunicações, e-commerce e até mesmo meios de pagamento. De acordo com fontes do jornal, a empresa planejava arrecadar US$ 1 bilhão para o projeto que já está em andamento há mais de um ano.

Segundo a publicação, Visa, Mastercard, Paypal, Uber, Booking.com, entre outras dezenas de nomes, irão investir cerca de US$ 10 milhões cada na (provisoriamente) chamada Libra Association, um consórcio independente que deve ficar responsável por estudar, desenvolver e governar a nova moeda. Buscando solucionar um problema presente em outras criptomoedas, a instabilidade, a Libra deve estar vinculada a a uma série de outras moedas já emitidas pelo governo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A administração do consórcio acontecerá de forma independente do Facebook e do poder controlador de qualquer uma das empresas envolvidas no projeto. As companhias devem atuar verificando transações e registrando o seu histórico, criando uma nova rede pagamentos.

Manter a Libra Association independente do Facebook pode ser uma forma da empresa de Zuckerberg evitar novas dores de cabeça e se proteger de eventuais problemas com usuários e órgãos regulatórios, mas mesmo assim ainda deve exercer alguma influência no negócio. É bom lembrar que a rede social já enfrenta diversas encrencas jurídicas relacionada ao uso de dados pessoais de seus usuários.

O envolvimento de empresas de pagamento chama a atenção. Segundo o The Wall Street Journal, uma das razões para que as companhias tenham decidido se envolver na implementação da Libra é que participar do projeto possibilitaria estudar as ambições da gigante da internet e se beneficiar de um possível sucesso.

Procurado pelo jornal, um porta-voz do Facebook não se pronunciou sobre o caso.

Crédito, débito ou criptomoeda?

Segundo o portal TechCruch, a previsão é de que a moeda deve ser anunciada no próximo dia 18, mas só deve entrar em operação total em 2020.

Embora as criptomoedas já estejam no mercado a cerca de 10 anos, e contem com diversos exemplos famosos, é raro quem as utilize em transações cotidianas. Para o Facebook, os seus mais de 2,4 bilhões de usuários podem ajudar a mudar o quadro e popularizar a iniciativa.

Quando estiver em funcionamento, a Libra servirá para que os usuários façam compras e transações tanto no Facebook, como também no Instagram, Messenger, WhatsApp e, por que não, outros lugares da internet.

Ainda não há informações claras de como o projeto deve funcionar, mas assim como já ocorre com as outras criptomoedas, a Libra Association deverá esbarrar em diversas regras regulatórias e enfrentar problemas como a sua possível utilização para lavagem de dinheiro ou financiamento de redes terroristas.

De acordo com o TWJ, o Facebook já participou de encontros com Banco da Inglaterra, Tesouro Americano e Western Union para discutir os riscos e oportunidades do projeto.

 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Aquecendo o mercado imobiliário

Novo programa habitacional pode ter verba de R$ 450 milhões em 2020

Governo quer substituir o atual programa habitacional por um sistema de “voucher”, um vale que assegurará um crédito às famílias para a casa própria

Destinos no Brasil e América do Sul

Latam Brasil amplia acordo de codeshare com a Qatar Airways

Agora bilateral, a parceria proporcionará aos clientes da Qatar Airways conexões para destinos em todo o Brasil e América do Sul

Seu Dinheiro na sua noite

Não é só a Previdência

Quando Paulo Guedes assumiu o comando da economia no governo Bolsonaro, formou-se no mercado um misto de grande expectativa e curiosidade. Afinal, era a primeira vez que o Brasil teria uma diretriz liberal “puro sangue”. Parte dos investidores esperava que as primeiras medidas de abertura comercial fossem tomadas logo em janeiro, já que não dependiam […]

Mercado paralelo

Unick Forex é alvo de operação da PF por esquema de pirâmide financeira

A empresa vinha sendo investigada por atuar no mercado financeiro paralelo com a captação ilegal de recursos de cerca de um milhão de clientes

Caged saindo do forno

Saldo líquido de emprego formal foi positivo em 157.213 vagas em setembro

Saldo de setembro do Caged decorre de 1,341 milhão de admissões e 1,184 milhão de demissões

Não está sendo fácil

Campos Neto destaca nos EUA choques internacionais que afetaram PIB em 2019

Apresentação do presidente do BC mostra que a projeção do mercado financeiro para o crescimento do Produto Interno Bruto em 2019 é de 0,87%

Crise profunda no PSL

Bolsonaro tenta derrubar líder na Câmara, sofre derrota e destitui Joice Hasselmann da liderança no Congresso

Presidente atuou pessoalmente para tentar derrubar Delegado Waldir, mas movimento foi falho e apenas aprofundou a crise no partido

falam os analistas

UBS eleva preço-alvo da Via Varejo, mas diz que ainda não é hora de comprar a ação da companhia

Analistas do banco suíço avaliam que mudanças promovidas na varejista após a retomada do controle acionário pelo bloco da família Klein ainda não são suficientes para recomendar a compra dos papeis, que ontem fecharam cotados a R$ 7,82

Tá bem na fita

Santander recomenda compra das ações do Banco Pan, chama ativo de “melhor dos dois mundos” e papéis disparam na bolsa

Setor de investimentos do banco espanhol iniciou sua cobertura das ações com um preço-alvo de R$ 14

Balanço SPE

Queda do juro no Brasil é estrutural, diz Ministério da Economia

Entre 2011 e 2013, queda de juros foi feita “na marra” e se tornou insustentável. Agora, Selic menor é vista como sustentável

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements