Menu
2019-06-14T16:57:04+00:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Será o futuro das transações online?

Crédito, débito ou criptomoeda? Facebook se une a Visa, Mastercard, Paypal e Uber em plano para lançar criptomoeda própria

Quando estiver em funcionamento, a Libra, governada por um consórcio independente, servirá para que os usuários façam compras e transações tanto no Facebook, como também no Instagram, Messenger, WhatsApp

14 de junho de 2019
13:23 - atualizado às 16:57
facebook-bitcoin
Facebook e Bitcoin - Imagem: Shutterstock

Você já ouviu falar da Libra? Não, não estamos falando da libra esterlina, a moeda corrente do Reino Unido. Estamos falando sobre uma nova criptomoeda que deve surgir em breve no mercado e que promete movimentar as redes sociais.

O Facebook tem planos de lançar uma criptomoeda própria para impulsionar as transações onlines. E a empresa não está sozinha nessa. Segundo o The Wall Street Journal, a rede social de Mark Zuckerberg tem apoiadores de peso do mundo da internet, telecomunicações, e-commerce e até mesmo meios de pagamento. De acordo com fontes do jornal, a empresa planejava arrecadar US$ 1 bilhão para o projeto que já está em andamento há mais de um ano.

Segundo a publicação, Visa, Mastercard, Paypal, Uber, Booking.com, entre outras dezenas de nomes, irão investir cerca de US$ 10 milhões cada na (provisoriamente) chamada Libra Association, um consórcio independente que deve ficar responsável por estudar, desenvolver e governar a nova moeda. Buscando solucionar um problema presente em outras criptomoedas, a instabilidade, a Libra deve estar vinculada a a uma série de outras moedas já emitidas pelo governo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A administração do consórcio acontecerá de forma independente do Facebook e do poder controlador de qualquer uma das empresas envolvidas no projeto. As companhias devem atuar verificando transações e registrando o seu histórico, criando uma nova rede pagamentos.

Manter a Libra Association independente do Facebook pode ser uma forma da empresa de Zuckerberg evitar novas dores de cabeça e se proteger de eventuais problemas com usuários e órgãos regulatórios, mas mesmo assim ainda deve exercer alguma influência no negócio. É bom lembrar que a rede social já enfrenta diversas encrencas jurídicas relacionada ao uso de dados pessoais de seus usuários.

O envolvimento de empresas de pagamento chama a atenção. Segundo o The Wall Street Journal, uma das razões para que as companhias tenham decidido se envolver na implementação da Libra é que participar do projeto possibilitaria estudar as ambições da gigante da internet e se beneficiar de um possível sucesso.

Procurado pelo jornal, um porta-voz do Facebook não se pronunciou sobre o caso.

Crédito, débito ou criptomoeda?

Segundo o portal TechCruch, a previsão é de que a moeda deve ser anunciada no próximo dia 18, mas só deve entrar em operação total em 2020.

Embora as criptomoedas já estejam no mercado a cerca de 10 anos, e contem com diversos exemplos famosos, é raro quem as utilize em transações cotidianas. Para o Facebook, os seus mais de 2,4 bilhões de usuários podem ajudar a mudar o quadro e popularizar a iniciativa.

Quando estiver em funcionamento, a Libra servirá para que os usuários façam compras e transações tanto no Facebook, como também no Instagram, Messenger, WhatsApp e, por que não, outros lugares da internet.

Ainda não há informações claras de como o projeto deve funcionar, mas assim como já ocorre com as outras criptomoedas, a Libra Association deverá esbarrar em diversas regras regulatórias e enfrentar problemas como a sua possível utilização para lavagem de dinheiro ou financiamento de redes terroristas.

De acordo com o TWJ, o Facebook já participou de encontros com Banco da Inglaterra, Tesouro Americano e Western Union para discutir os riscos e oportunidades do projeto.

 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

avanços no diálogo

G-7: EUA e Japão fecham acordo; Japão vai comprar excedente de milho americano

No entanto, segundo Trump, tarifas de automóveis dos EUA, que as autoridades japonesas queriam ver reduzidas, permanecerão onde estão

libra

Projeto de criptomoeda do Facebook pode sofrer baixa com parceiros

Segundo o Financial Times, são dois os parceiros da empreitada de criptomoeda que disseram ao jornal estar considerando abandonar a moeda digital

crise do clima

G7 quer ajudar o mais rápido possível nos incêndios da Amazônia, diz Macron

Segundo o presidente da França, “tudo depende dos países da Amazônia”, que compreensivelmente defendem sua soberania

roupa remendada

Tasso terá de dar parecer para 130 emendas à reforma

Cabe ao senador, que deve entregar seu relatório na semana que vem, decidir se acata ou não as sugestões de alterações

economia que patina

País deve andar em passo lento, mesmo com reformas

Destruição provocada pela recessão, com empresas indo à falência e milhões de trabalhadores saindo do mercado, forma cenário adverso para o Brasil

seu dinheiro no domingo

Rota do Bilhão: 9 semelhanças dos 10 mais ricos do mundo

Apesar de histórias de vida e negócios diferentes, há pontos em comum entre os maiores bilionários do mundo – são pistas do que pode ter feito a diferença

clima tenso

Europeus se dividem sobre risco ao Mercosul

Decisão do presidente francês, Emmanuel Macron, de obstruir um acordo comercial entre a União Europeia e o grupo Mercosul divide opiniões entre líderes mundiais

no g7

Acordo comercial com os EUA não será fácil, diz primeiro-ministro britânico

Boris Johnson citou carnes bovina e de cordeiro, travesseiros e fitas métricas como alguns dos produtos britânicos que têm entrada dificultada nos mercados dos EUA

um unicórnio entre os jovens

Tiktok: o app que faz sucesso entre a geração Z e fez da sua dona a startup mais valiosa do mundo

ByteDance é considerada a startup com o maior valor de mercado do mundo – são US$ 75 bilhões; estratégia se divide em diversas frentes, incluindo um app que ganha cada vez mais força entre jovens nascidos em meados dos anos 90 para cá

guerra comercial não para

Trump ameaça usar autoridade de emergência contra a China

Anúncio chinês de elevar as tarifas sobre US$ 75 bilhões em importações norte-americanas deixou o presidente dos EUA enfurecido

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements