Menu
2019-07-15T09:21:41+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Pibinho

Atividade ensaia reação, mas nada que mude o quadro de estagnação

Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) tem primeira leitura positiva do ano em maio

15 de julho de 2019
9:19 - atualizado às 9:21
Atividade fraca
Imagem: Shutterstock

Depois de quatro leituras negativas, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou alta na passagem de abril para maio. O indicador subiu 0,54% ficando pouco acima da mediana de 0,5% estimada pela “Broadcast Projeções”. O intervalo de projeções variava de queda de 0,6% a alta de 1,2%.

A leitura positiva, no entanto, não muda a avaliação do mercado e do próprio BC de que houve uma interrupção no processo de recuperação da economia. O indicador de maio captou um recuo de 0,2% da produção industrial, uma baixa de 0,1% no varejo e estabilidade nos serviços.

Considerando a variação em 12 meses, que é menos volátil em função das revisões constantes da base de dados, o avanço é de 1,31%. No acumulado do ano, a variação é positiva em 0,94%, na série sem ajuste sazonal.

Na sexta-feira, o ministério da Economia revisou sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) pela metade de 1,6% para 0,81%, alinhando o prognóstico à mediana do mercado e ao número do próprio BC, que também trabalha com 0,8% de crescimento.

O boletim Focus desta semana marcou a 20ª revisão consecutiva para baixo nas projeções de crescimento, que estão em 0,81% contra 0,82% na semana passada.

Essa interrupção do crescimento está sendo enfatizada pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto, em seus discursos como algo relevante dentro do balanço de riscos da instituição.

Essa debilidade da atividade e expectativas de inflação abaixo ou ao redor das metas fomenta as expectativas de corte da Selic já na reunião do dia 31 de julho. Cenário que foi reforçado, na avaliação do mercado, pela aprovação em primeiro turno da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados.

O BC vinha falando que precisava ver avanços concretos na agenda de reformas e em entrevista na semana passada, Campos Neto disse que “obviamente um avanço nas reformas faz com que o cenário fique mais benigno para a inflação no futuro”, disse. A dúvida é se o BC faria corte de 0,25 ponto ou 0,5 ponto percentual na Selic, que está em 6,5% desde março do ano passado.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Entrevista

Criador da CVM diz que mercado brasileiro não precisa de mais regulação

Para Roberto Teixeira da Costa, momento é de libertar a capacidade criativa das pessoas; em entrevista ao Seu Dinheiro, ele fala sobre mercado de capitais, economia brasileira e a figura do analista de investimentos

Seu Dinheiro na sua noite

Lucro, pra que te quero?

Podem me chamar de antiquado ou de romântico, mas sou do tempo em que empresa boa é empresa que dá lucro. Mas reconheço que, diante das mudanças abruptas na forma como consumimos produtos e serviços, olhar para a chamada última linha do balanço das companhias ficou meio fora de moda. No lugar do lucro, o […]

Xiiii...

Oi avisa Anatel que pode ficar sem dinheiro para operar a partir de fevereiro

Diagnóstico da situação da empresa indicou que o dinheiro em caixa da operadora chegou ao “mínimo necessário”

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: O furacão das eleições na Argentina e o fantasma da recessão mundial

Seu Dinheiro traz um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Gás na economia

FGTS deve ter impacto positivo sobre o PIB em 0,20 ponto percentual em 2019, diz consultoria

Considerando saques de R$ 36,5 bilhões no total até março de 2020, 4E Consultoria também projeta impacto de 0,08 ponto percentual no PIB do ano que vem

Tango (ainda mais) triste

Fitch rebaixa rating da Argentina de ‘B’ para ‘CCC’

Agência de classificação de risco afirma que rebaixamento reflete “elevada incerteza de políticas” após os resultados das eleições primárias

Balanço dos balanços

Petrobras lidera ranking de maiores lucros no 2º trimestre entre empresas de capital aberto; Oi é lanterninha

Resultado líquido positivo de R$ 18,8 bilhões registrado pela estatal foi quase três vezes maior do que o segundo colocado no ranking

estratégia que dá certo

‘Meu pai me ensinou a comprar com desconto’, diz Klein sobre Via Varejo

Comprar quando o setor ou o vendedor está em crise é estratégia de Michael Klein, a mesma usada para arrematar, em junho, 1,6% das ações da Via Varejo

Líder da negociação

Maia diz saber onde está ‘problema político’ de cada reforma tributária

Presidente da Câmara também disse não saber qual das reformas que estão na mesa é tecnicamente melhor

tá difícil

Economia opera abaixo da capacidade em todas as regiões do País, diz BC

Avaliação consta no Boletim Regional divulgado pelo Banco Central nesta sexta-feira, 16. Confira os detalhes por região

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements