Menu
2019-07-31T18:34:44-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Não era como ele esperava

Trump não poupa FED mesmo com corte de juros e diz que “como de costume, Powell nos decepcionou”

A frustração do presidente norte-americano ocorre porque Powell deixou claro que o ciclo de cortes não será longo, pois não enxerga risco de recessão ou severa crise econômica

31 de julho de 2019
18:20 - atualizado às 18:34
Donald Trump, presidente americano
Donald Trump - Imagem: shutterstock

Depois que o Federal Reserve (FED), o banco central americano, optou por cortar hoje (31) a taxa de juros em 0,25 ponto percentual para o intervalo entre 2% e 2,25% ao ano, ante o range anteriro de 2,25% e 2,5%, a notícia não foi recebida pelo presidente americano Donald Trump.

Mesmo com a redução estando dentro do que o mercado esperava, Trump fez duras críticas à postura de Powell e do banco como um todo.

"O que o mercado queria ouvir de Jay Powell e do FED é que esse seria o início de um longo e agressivo ciclo de corte de juros para acompanhar o ritmo de China, União Europeia e outros países ao redor do mundo", disse Trump.

E ainda finalizou dizendo que "assim como de costume, Powell nos decepcionou, mas pelo menos ele está terminando o aperto monetário, - que por sinal não deveria nem ter começado -  sem inflação [sic]. Nós somos vencedores, de qualquer forma, mas certamente não estamos recebendo muita ajuda do Federal Reserve".

A decisão

As críticas de Trump ocorrem porque, no comunicado, o colegiado presidido por Jerome Powell fala que decidiu cortar os juros em função das implicações do cenário global sobre a economia americana em um ambiente sem pressões inflacionárias.

A redução é a primeira desde a grande crise financeira de 2007/2008. Mas a frustração do presidente norte-americano ocorre porque Powell deixou claro que o ciclo de cortes não será longo, pois não enxerga risco de recessão ou severa crise econômica.

Ao ser questionado por jornalistas, Powell disse que “não é o começo de uma longa série de cortes. Também não disse que é apenas um corte ou qualquer coisa assim. Eu disse que quando pensamos em ciclos de corte, eles duram muito tempo. O comitê não está vendo isso. Você faria isso se visse uma fraqueza econômica real e pensasse que o juro teria de ser cortado muito. Não é isso que estamos vendo. O que estamos vendo é que é apropriado ajustar a política para uma postura mais acomodativa ao longo do tempo. E é assim que estamos olhando para a questão. O que eu disse foi que não é um longo ciclo de corte, referindo-se ao que fazemos quando há uma recessão ou uma crise muito severa. E isso é o que realmente estou descartando”.

Mas não foi só Trump que reagiu mal. A primeira reação nas bolsas foi negativa. Antes da decisão, os índices operavam próximos da estabilidade, caíram um pouco após a divulgação e aprofundaram queda depois que Powell deixou claro que não se trata de um longo ciclo de cortes de juros.

No fim do pregão, o Dow Jones caiu 1,23%, enquanto o Nasdaq  recuou 1,19% e o S&P 500 perdeu 1,09%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

A bolsa sobe mais?

Será que a bolsa sobe mais, sobe mais um pouquinho hoje? Se depender do cenário externo, o caminho está livre (mas o dia só está começando). A conferir. O otimismo permanece aqui no Brasil. Já tem gestor falando em Ibovespa a 250 mil pontos em 2022. Se for isso mesmo, é mais que o dobro […]

olho no indicador

Disparada no preço da carne faz inflação acelerar para 0,51% em novembro

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,51% no mês de novembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta sexta-feira (6). Segundo o IBGE, o avanço registrado — maior para o mês desde 2015 — tem a disparada nos preços das carnes como principal razão. […]

China decide isentar parte da soja e da carne de porco dos EUA de tarifas

Em comunicado, o ministério chinês não indicou os volumes desses produtos americanos que ficarão isentos de tarifação

impasse em brasília

Congresso trava R$ 23 bilhões de ministérios

Para garantir o recurso extra, parlamentares precisam aprovar uma lista de 24 projetos que estão no meio de um impasse entre deputados e senadores

De mala cheia

Brasil dobra para US$ 1 mil limite de compra no exterior

Limite valerá para todas as compras feitas em viagens ao exterior por meio aéreo ou marítimo. O pedido para aumento foi feito pelo próprio governo brasileiro

atenção acionista

Copel paga R$ 643 milhões em juros sobre capital próprio

Data do pagamento será definida em assembleia até abril de 2020. Recebem os benefícios acionistas com posição em 23 de dezembro

De olho neles

CPI pede indiciamento de Itaú e Safra por suposta fraude fiscal

Integrantes da CPI também pediram o indiciamento de 13 diretores e membros do conselho do Safra. Todos são acusados por suposta prática de crime contra a ordem tributária e organização criminosa

Follow on

Aliansce Sonae levanta R$ 1,19 bi em oferta de ações com papéis a R$ 43

As ações da administradora de shoppings começam ser negociadas na B3 no próximo dia 9, com liquidação no dia seguinte.

dinheiro na mão

Nascidos em setembro e outubro sem conta na Caixa podem sacar FGTS

Saques podem resultar em uma liberação de cerca de R$ 40 bilhões na economia até o fim do ano

Novos recordes à vista?

Gestores de fundos falam em Ibovespa em até 250 mil pontos em 2022

Desde o início do atual ciclo de alta, a bolsa brasileira praticamente triplicou de valor. Mas o movimento ainda pode estar longe do fim, segundo os gestores

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements