🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Em meio ao terremoto

Apesar dos resgates, fundos multimercados conseguem fechar o 1º semestre no azul; emissões de renda variável desabam 75% no período

Período difícil para ativos de risco beneficiou a renda fixa e levou investidores a fugirem de fundos de ações e multimercados

Homem respira com alívio a href='httpsbr.freepik.comfotos-vetores-gratismodelo-homem'Modelo homem foto criado por cookie_studio - br.freepik.coma
A maioria das subclasses de multimercados conseguiu escapar da sangria generalizada da renda variável, apesar dos resgates líquidos. Imagem: Freepik

Você já deve estar careca de ler aqui no Seu Dinheiro que um dos poucos destaques positivos do mundo dos investimentos no primeiro semestre de 2022 foi a renda fixa.

Com a escalada global dos juros e as incertezas no cenário macroeconômico, essa classe de ativos foi a única que viu alta nas emissões de ativos, e uma das poucas em que os fundos terminaram o período com captação líquida.

Os ativos de risco, por sua vez, sofreram na primeira metade do ano: as emissões de ativos de renda variável despencaram 75,1% ante o mesmo período de 2021, para apenas R$ 19 bilhões, segundo o balanço semestral divulgado nesta semana pela Anbima - Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.

Fundos de ações e multimercados terminaram o semestre com resgates líquidos, com a debandada dos investidores para ativos mais seguros, sobretudo os fundos de renda fixa e ativos isentos de imposto de renda.

Mas mesmo sendo a classe de fundos com maior volume de resgates líquidos, a maioria das subclasses dos multimercados conseguiu fechar o primeiro semestre no azul.

Esses fundos, que podem investir em diversos tipos de ativos e se proteger de quedas no mercado, foram capazes de aproveitar os ativos e operações que se saíram bem no período.

Os fundos de ações, por sua vez, terminaram o semestre majoritariamente em baixa.

Emissões de ativos no primeiro semestre

Em comparação ao primeiro semestre do ano passado, o total de emissões de ativos caiu 12,1% nos primeiros seis meses de 2022. A renda fixa foi a classe de ativos com maior volume emitido e a única a ver crescimento. A renda variável teve uma queda brusca nas emissões.

Total de emissõesRenda fixaRenda variávelHíbridos
VolumeR$ 233 bilhõesR$ 202 bilhõesR$ 19 bilhõesR$ 12 bilhões
Variação ante o 1º semestre de 2021-12,1%+25,0%-75,1%-56,1%
Fonte: Anbima

Os únicos ativos a verem crescimento nas emissões em relação ao primeiro semestre do ano passado foram os Certificados de Recebíveis do Agronegócio - CRA (+53,9%), as debêntures (+35,3%) e os Certificados de Recebíveis Imobiliários - CRI (+13,4%), todos títulos de renda fixa.

Na renda variável, os IPOs - ofertas iniciais de ações, quando uma empresa abre capital na bolsa - praticamente desapareceram. Enquanto no primeiro semestre de 2021 eles movimentaram R$ 35,7 bilhões, de janeiro a junho deste ano o volume de IPOs foi de apenas R$ 400 milhões.

O restante das emissões se referiu a ofertas subsequentes (follow ons), que totalizaram R$ 18,5 bilhões no primeiro semestre de 2022, contra R$ 40,0 bilhões no mesmo período do ano passado.

Apesar do volume baixo, a maioria das emissões deste ano, diz a Anbima, foi primária: 95,2% se referiram a recursos que foram para o caixa da empresa.

VEJA TAMBÉM: RISCOS PARA A ECONOMIA NO 2° SEMESTRE: Lula x Bolsonaro, inflação e JUROS I RECESSÃO NOS EUA?

Captações e resgates líquidos nos fundos de investimento

A indústria de fundos teve uma captação líquida de apenas R$ 8 bilhões no primeiro semestre de 2022, bem abaixo do registrado no mesmo período nos últimos cinco anos.

Captacao liquida acumulada da industria de fundos.png
Fonte: Anbima

Os fundos de renda fixa apresentaram a maior captação líquida, seguidos dos FIDCs (que também são ativos de crédito) e dos fundos cambiais. Todas as demais grandes classes de fundos viram resgates líquidos. Os fundos de ações tiveram uma saída de quase R$ 50 bilhões, enquanto os multimercados perderam quase R$ 62 bilhões.

Classe de fundosCaptação/Resgate líquido
Renda fixaR$ 88,8 bilhões
Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC)R$ 31,6 bilhões
CambialR$ 1,2 bilhão
Fundos de Investimento em Participações (FIP)-R$ 554,7 milhões
ETF-R$ 667,2 milhões
Previdência-R$ 1,1 bilhão
Ações-R$ 49,5 bilhões
Multimercados-R$ 61,8 bilhões
TotalR$ 8 bilhões
Fonte: Anbima

Rentabilidade dos fundos por tipo

Renda fixa

Tipo de fundoRetorno no primeiro semestre
Renda Fixa Duração Alta Grau de Investimento8,22%
Renda Fixa Duração Livre Grau de Investimento6,09%
Renda Fixa Duração Baixa Crédito Livre6,07%
Renda Fixa Duração Média Crédito Livre5,76%
Renda Fixa Duração Alta Crédito Livre5,72%
Renda Fixa Duração Livre Soberano5,69%
Renda Fixa Duração Baixa Grau de Investimento5,68%
Renda Fixa Duração Média Grau de Investimento5,61%
Renda Fixa Duração Livre Crédito Livre5,39%
Renda Fixa Indexados5,37%
Renda Fixa Duração Média Soberano5,25%
Renda Fixa Simples5,07%
Renda Fixa Duração Baixa Soberano4,82%
Renda Fixa Duração Alta Soberano4,61%
Renda Fixa Investimento no Exterior-8,65%
Renda Fixa Dívida Externa-12,75%
Fonte: Anbima

Multimercados

Tipo de fundoRetorno no primeiro semestre
Multimercados Long and Short Neutro8,73%
Multimercados Balanceados6,18%
Multimercados Dinâmico6,07%
Multimercados Trading5,56%
Multimercados Juros e Moedas5,53%
Multimercados Livre4,75%
Multimercados Capital Protegido3,01%
Multimercados Long and Short Direcional2,46%
Multimercados Macro11,21%
Multimercados Estratégia Específica-1,00%
Multimercados Investimento no Exterior-0,58%
Fonte: Anbima

Ações

Tipo de fundoRetorno no primeiro semestre
Ações FMP-FGTS8,82%
Fundo Mono Ação11,51%
Ações Índice Ativo-9,73%
Ações Sustentabilidade / Governança-9,56%
Ações Indexados-6,64%
Fechados de Ações-6,33%
Ações Setoriais-30,35%
Ações Investimento no Exterior-17,07%
Ações Small Caps-15,56%
Ações Valor / Crescimento-15,52%
Ações Livre-13,35%
Ações Dividendos-1,78%
Fonte: Anbima

Cambiais

Tipo de fundoRetorno no primeiro semestre
Cambial-6,29%
Fonte: Anbima

Compartilhe

MERCADO FINANCEIRO

Itaú oferece 1.000 bolsas de treinamento para certificações no mercado financeiro; saiba como concorrer

22 de agosto de 2022 - 17:00

A iniciativa é voltada para negros e pardos e pessoas com deficiência que desejam ter as certificações CPA-10 e CPA-20, da Anbima; os aprovados e contratados pelo banco receberão reembolso do valor da prova

Balanço do ano

Mesmo com bolsa em queda, fundos de ações fecham 2021 com captação positiva; veja os fundos que se saíram melhor em retorno e captação no ano

6 de janeiro de 2022 - 17:42

Fundos de renda fixa foram os campeões de captação e rentabilidade, com migração de recursos da renda variável e alta dos juros

Radiocash

Selic em alta mais bolsa em baixa é igual à fuga para a renda fixa? Para presidente da Anbima, diversificação veio para ficar

30 de novembro de 2021 - 12:38

As alocações em renda variável podem até diminuir, mas Carlos Ambrósio não acredita que voltaremos para a realidade de ‘poupança, renda fixa e nada mais’

A carteira dos ricos

Volume de investimentos dos milionários cresce 8,8% no semestre; saiba onde eles aplicam

11 de agosto de 2021 - 14:19

O volume de investimentos do segmento private, que reúne os clientes milionários, alcançou R$ 1,76 trilhão, de acordo com dados da Anbima

De volta aos trilhos

Fundos de investimento têm captação líquida recorde no 1º semestre, no valor de R$ 206 bilhões

7 de julho de 2021 - 18:17

Desempenho da indústria de fundos no primeiro semestre de 2021 mostra que crise do coronavírus ficou para trás no setor; fundos de renda fixa e multimercados lideram a captação

Indústria em expansão

Brasil vive ‘boom’ de gestoras de recursos

15 de maio de 2021 - 14:25

De janeiro a março, Anbima registrou 27 novas gestoras

Diversificação

Ainda tímido, investimento no exterior ganha espaço nas carteiras dos fundos no 1º tri

9 de abril de 2021 - 14:00

Alta do dólar levou investimentos no exterior a crescerem 45% nas carteiras dos fundos até fevereiro; multimercados investimento no exterior tiveram, no trimestre, melhor retorno dos últimos dois anos

as escolhas de 2020

Brasileiro arriscou e diversificou mais os investimentos em 2020

4 de fevereiro de 2021 - 12:54

Poupança seguiu soberana no ano passado, mas ganhou impulso por causa do auxílio emergencial, segundo dados da Anbima

Pessoas físicas

Aplicações de pequenos investidores têm alta recorde no acumulado do ano

12 de novembro de 2020 - 14:57

Volume investido pelo segmento de varejo tradicional viu crescimento de quase 16% em 2020 até o final de setembro; valor aplicado pelas pessoas físicas chegou a R$ 1,12 trilhão

Crescimento

Volume de IPOs em outubro é o maior do ano em termos absolutos, diz Anbima

10 de novembro de 2020 - 17:31

Ao todo, 16 companhias abriram o capital no período, além de cinco com ofertas precificadas mas não encerradas até o mês passado.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar