Menu
2019-12-05T14:03:25-03:00
Estadão Conteúdo
OLHA O RECORDE

Captação em mercado das empresas atinge recorde de R$440 bilhões, diz Anbima

A renda variável foi destaque, com R$ 78,3 bilhões em captações realizadas por meio de follow on e IPOs, de janeiro a novembro, contra R$ 11,3 bilhões no mesmo período de 2018

5 de dezembro de 2019
14:03
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

As empresas captaram R$ 440,8 bilhões entre janeiro e novembro deste ano no mercado de capitais, no mercado doméstico e externo, volume que é o maior da série histórica da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), disse o vice-presidente da associação, José Eduardo Laloni. Em relação ao mesmo período do ano passado, o número representa aumento de 60,6%.

A renda variável foi destaque, com R$ 78,3 bilhões em captações realizadas por meio de follow on e IPOs, de janeiro a novembro, contra R$ 11,3 bilhões no mesmo período de 2018. Laloni lembrou que este é o maior volume registrado nos últimos anos, superando inclusive o ano de 2007 (R$ 75,5 bilhões) "Passamos esse valor e ainda temos três semanas para termos boas notícias, com quatro ofertas em andamento ou a caminho que podem levar 2019 para um número ainda maior", observou.

Laloni citou ainda que as iniciativas do governo de desestatização e desinvestimentos influenciaram esse número, concentrando a maior parte das ofertas secundárias de ações, as quais somaram R$ 48,9 bilhões até novembro, contra R$ 6,5 bilhões no mesmo intervalo de 2018.

Na renda fixa, as debêntures somaram R$ 153,5 bilhões, um aumento de 12% em relação a janeiro e novembro do ano passado.

O executivo comentou ainda sobre os números do mercado secundário, onde o volume negociado foi de R$ 18 bilhões em novembro, contra cerca de R$ 5 bilhões em novembro do ano passado. "É impressionante e veremos crescer mais", observou, lembrando que esse evento é relevante para a indústria de fundos, ao dar liquidez e previsibilidade aos gestores.

A indústria de híbridos também mostrou crescimento importante, atingindo R$ 114,3 bilhões, com destaque aos fundos imobiliários, que passou de R$ 141 bilhões de janeiro a novembro do ano passado para R$ 32,5 bilhões no acumulado deste ano.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São tantas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies