Menu
2020-05-05T17:04:49-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
Queda nas aplicações

Investidores locais têm perda de R$ 170 bilhões em março em meio à pandemia

A maior queda no volume financeiro dos investidores do varejo tradicional ocorreu nos fundos de investimento, passando de R$ 151,1 bilhões para R$ 143,4 bilhões

5 de maio de 2020
16:54 - atualizado às 17:04
Mercados juros bolsa coronavírus
Imagem: Shutterstock

O volume aplicado por investidores brasileiros em produtos financeiros teve queda de quase R$ 170 bilhões no mês de março, em meio aos efeitos do novo coronavírus, se comparado a fevereiro, informou a Anbima, em relatório.

A maior queda no volume financeiro dos investidores do varejo tradicional ocorreu nos fundos de investimento, passando de R$ 151,1 bilhões para R$ 143,4 bilhões. Também houve retração no volume para ações, que somavam R$ 11,8 bilhões em março e eram R$ 12,4 bilhões no mês anterior.

Percentualmente, no patrimônio líquido do varejo alta renda, a queda foi maior em ações. Aqui, o volume aplicado passou de R$ 68,8 bilhões, em fevereiro, para R$ 52,7 bilhões, em março.

"A redução em fundos foi a segunda maior – esses produtos foram de R$ 500,2 bilhões para R$ 454,9 bilhões, na mesma base de comparação", diz a Anbima.

O mesmo movimento foi observado também no patrimônio líquido dos investidores do private — os clientes com o mínimo de R$ 3 milhões aplicados em ativos financeiros.

Para essa categoria, o total aplicado em ações caiu de R$ 227,4 bilhões para R$ 164,5 bilhões.

"Na sequência, os fundos de investimento tiveram redução de R$ 670,6 bilhões para R$ 608,1 bilhões, e a previdência aberta foi de R$ 140,0 bilhões para R$ 134,5 bilhões, nos mesmos períodos", diz o relatório.

Distribuição na carteira

Dos produtos com maior patrimônio líquido, o CDB (Certificado de Depósito Bancário) teve o maior crescimento na carteira dos investidores do varejo em março. Ele correspondeu a 9,3% do estoque de aplicações no varejo tradicional, contra 8,9%, tanto em fevereiro deste ano como em dezembro de 2019.

Os certificados também foram 13,8% do estoque do segmento de alta renda, frente a 11,5% em fevereiro e 11,0% no consolidado de 2019.

Enquanto isso, fundos multimercados correspondem à maioria da carteira do private, com 33,6% do volume total.

No segmento, ações e ofundos de ações tiveram redução na participação do volume financeiro aplicado neste ano: foram 13,8% e 6,4% dos investimentos, respectivamente.

"As ações representavam 17,2% em fevereiro e 17,1% em dezembro de 2019, enquanto os fundos de ações eram responsáveis por 7,9% em fevereiro e 8,0% em 2019", diz o documento.

No total, investimentos dos brasileiros em produtos financeiros somaram R$ 3,09 trilhões ao final do primeiro trimestre deste ano. O segmento de varejo é responsável por R$ 1,89 trilhão, enquanto o private, por R$ 1,19 trilhão.

Os números eram maiores em fevereiro, quando o varejo detinha R$ 1,94 trilhão e o private, R$ 1,32 trilhão.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

debandada

Mais um conselheiro pede para deixar a Petrobras

Leonardo Antonelli é o quinto membro do colegiado a solicitar para que não seja reconduzido como indicado pela União, acionista controlador da empresa

libera o auxílio emergencial

Senado aprova texto-base da PEC Emergencial em 1º turno

Votação foi destravada após o governo ceder e o relator retirar o fim da obrigatoriedade de gastos mínimos com saúde e educação

Comprar ou vender, eis a questão

Brasil vira mercado “inoperável” com “risco Bolsonaro” e ameaças ao teto de gastos, dizem gestores de fundos

O cenário piorou com a intervenção nas estatais e o risco fiscal, mas nos patamares atuais fica muito arriscado apostar contra o país, segundo gestores de fundos

O melhor do seu dinheiro

Alguém chame os bombeiros

Hoje tivemos mais um dia de grande volatilidade nos mercados brasileiros, que entraram em parafuso com o temor de que o teto de gastos poderia vir a ser furado. Os investidores aguardam com grande ansiedade a votação da PEC Emergencial, aquela que permitirá o retorno do auxílio emergencial. E rumores de que ela seria desidratada […]

FECHAMENTO

Em dia de alta volatilidade, Lira salva Ibovespa de um fiasco e segura o dólar em R$ 5,66

A volatilidade reinou absoluta nesta quarta-feira (03) e mais uma vez Brasília foi responsável por movimentar os negócios no Brasil. Lá fora, o dia foi de cautela com a alta dos juros futuros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies