2022-03-30T08:56:46-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Tão perto, mas tão longe

Na Oi (OIBR3), o processo de recuperação judicial vai se estender um pouco mais que o previsto; veja a nova previsão de término

Ajustes na lista de credores da Oi (OIBR3) farão com que a recuperação judicial da companhia continue em andamento por mais algum tempo

29 de março de 2022
20:06 - atualizado às 8:56
Imagem: Divulgação

A recuperação judicial da Oi (OIBR3), o maior da história do país, tinha data certa para terminar: segundo o cronograma definido pela Justiça, o processo seria formalmente encerrado na próxima quinta-feira (31). Mas quem já comemorava a volta à normalidade da tele precisará esperar mais um pouco — até 60 dias, para ser exato.

Tudo isso porque o juiz responsável pelo processo determinou a atualização no quadro geral de credores da companhia, trazendo novas orientações ao escritório Wald Advogados, o administrador judicial do caso. O Seu Dinheiro teve acesso à íntegra do documento, arquivado ontem no Tribunal de Justiça do Rio.

"Diante mais uma vez do gigantismo desta recuperação judicial, é preciso inovar com a formatação de regramento administrativo", escreve Fernando Cesar Viana, juiz da 7ª Vara Empresarial do RJ. Assim, de modo a não desfavorecer os credores que ainda tentam habilitar os seus créditos, ele determinou a mudança no cronograma oficial.

As instruções são bastante diretas — o despacho tem apenas quatro páginas. O administrador judicial tem até 60 dias para fazer o levantamento de eventuais credores da Oi que não estavam no quadro geral; portanto, falamos agora no fim de maio como data limite para o término da recuperação judicial.

Ou seja: essa prorrogação não tem relação com as atividades da Oi em si ou o andamento do programa de venda de ativos; trata-se mais de um trâmite judicial para aumentar a amplitude do processo, de modo a contemplar o maior número de credores possível.

"O processo ainda apresenta números nunca antes vistos em feitos dessa natureza, o que representou, e ainda representa, verdadeiro desafio para todos os envolvidos", escreveu o juiz, destacando as cerca de 560 mil páginas dos autos e os mais de 60 mil incidentes de impugnação e habilitação de crédito.

Oi (OIBR3): e as ações?

Na B3, as ações ON da Oi (OIBR3) fecharam o pregão desta terça-feira (29) em alta de 1,18%, a R$ 0,86, acumulando ganhos de quase 15% desde o começo do ano. Ainda assim, os papéis estão distantes da máxima de 2022: no fim de janeiro, chegaram a ser negociados acima de R$ 1,05.

Em linhas gerais, o mercado como um todo segue atento ao noticiário envolvendo os desinvestimentos da companhia. O Cade aprovou a venda da Oi Móvel para TIM, Vivo e Claro em fevereiro; a operação foi alvo de recurso por parte de outras empresas do setor de telefonia, mas o órgão concorrencial desconsiderou as alegações e manteve seu aval à transação.

Ainda assim, os investidores seguem buscando outros gatilhos que possam dar ânimo às ações, como o desempenho da unidade de fibra ótica — o BTG Pactual comprou 57,9% dessa unidade, por R$ 12,9 bilhões, formando uma joint-venture para o desenvolvimento das atividades.

E, falando em postergação, o adiamento do balanço da Oi no quarto trimestre de 2021 não foi exatamente comemorado: a companhia até apresentou números não-auditados, mas a notícia trouxe turbulência aos papéis; agora, os resultados devem ser publicados em 27 de abril.

Desempenho das ações da Oi (OIBR3) em 2022. Fonte: B3
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

NOVO MODELO DE NEGÓCIOS

Varejo adota ‘loja-contêiner’ para fugir dos custos de shoppings e aluguéis; conheça o que são os estabelecimentos modulares

A estreante no formato é a Chilli Beans, de óculos de sol. “Acho que não teria uma Eco Chilli se não houvesse pandemia”, afirma o CEO, Caito Maia

NÃO MEXE NO MEU QUEIJO

Membros do mercado financeiro defendem Lei das Estatais em documento enviado ao ao Congresso; revogação seria ‘retrocesso’

O texto também cita o relatório de 2020 em que a OCDE afirma que a Lei das Estatais deixou os conselhos de empresas públicas mais independentes de interferências

NESTA SEGUNDA-FEIRA

Governador de São Paulo fará coletiva nesta segunda-feira após Bolsonaro aprovar isenção do ICMS sem garantia de compensação aos estados

O presidente da República vetou o fundo de ajuda aos estados após sancionar o teto do imposto estadual

SEU DOMINGO EM CRIPTO

‘Compre na baixa’ anima e bitcoin (BTC) busca os US$ 22 mil; criptomoedas aguardam semana de olho no Fed

Entre os destaques da próxima semana estão o avanço dos juros nos Estados Unidos e um possível default da Rússia

DE OLHO NO FUTURO

Goldman Sachs quer entrar no mundo da ‘renda fixa’ em criptomoedas e lidera grupo para comprar a Celsius por US$ 2 bilhões

O staking vem crescendo nos últimos meses e é motivo de certa preocupação após o caso da Celsius — e o banco de Wall Street quer um pedaço dele