O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-26T17:52:33-03:00
Carolina Gama
NUVEM E SOFTWARE

Microsoft (MSFT34) não decepciona com lucro bilionário no trimestre, mas tem desafio pela frente; saiba qual

Mais uma vez, a gigante do software consegue um desempenho forte entre janeiro e março, mas a partir de agora deve encarar barreiras que podem mexer com sua performance

26 de abril de 2022
17:14 - atualizado às 17:52
microsoft (2)

A Microsoft (MSFT34) resistiu à pandemia de covid-19 excepcionalmente bem, gerando fortes ganhos e crescimento de receita durante os últimos dois anos fiscais. As vendas de serviços em nuvem e software foram dois fatores-chave para esse desempenho. 

E não foi diferente dessa vez. No terceiro trimestre fiscal de 2022, encerrado em 31 de março, a Microsoft registrou lucro líquido de US$ 16,7 bilhões, o que representa um crescimento de 8% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Considerando a mesma base de comparação, a receita no período foi de US$ 49,3 bilhões, um aumento de 18%. Já o lucro por ação foi de US$ 2,22 ante US$ 2,03.

O resultado correspondeu às expectativas dos analistas ouvidos pela FactSet, que projetam lucro líquido de US$ 16 bilhões, o que representaria uma alta de 6,2%, e uma receita de US$ 49 bilhões, um aumento de 18% em relação ao mesmo período do ano fiscal anterior. 

"No geral, o resultado veio em linha com as expectativas do mercado, e não deve ser motivo para oscilações no papel. A empresa fará um conferencia com os analistas em breve, para dar mais detalhes do resultado e o que espera para o próximo trimestre", disse Natan Epstein, sócio da Catarina Capital.

A Microsoft alertou que a receita e os resultados diluídos por ação incluem US$ 302 milhões e US$ 0,03 de impacto adicional do movimento desfavorável do câmbio no trimestre e US$ 111 milhões e US$ 0,01 da Nuance.

A Nuance é uma empresa de Inteligência Artificial (IA) cuja aquisição foi anunciada pela Microsoft em abril de 2021. O negócio foi concluído no último dia de 4 de março.

Desempenho por segmento

A receita da divisão de Produtividade e Processos de Negócios foi de US$ 15,8 bilhões no trimestre, o que representa um aumento 17% em base anual, com os seguintes destaques de negócios:

  • A receita de produtos comerciais e serviços em nuvem do Office aumentou 12%;
  • A receita de produtos Office Consumer e serviços em nuvem aumentou 11%;
  • A receita do LinkedIn aumentou 34%;
  • A receita de produtos e serviços em nuvem do Dynamics aumentou 22%.

A receita com a divisão de Intelligent Cloud foi de US$ 19,1 bilhões, um crescimento de 26% em base anual, com os seguintes destaques de negócios:

  • A receita de produtos de servidor e serviços em nuvem aumentou 29% impulsionada pelo crescimento de receita do Azure e outros serviços em nuvem (+46%)

A receita em Computação Mais Pessoal foi de US$ 14,5 bilhões, alta de 11% em base anual, com os seguintes destaques de negócios:

  • A receita de OEM do Windows aumentou 11%
  • A receita de produtos comerciais e serviços em nuvem do Windows aumentou 14%
  • A receita de conteúdo e serviços do Xbox aumentou 4%
  • A receita de publicidade de pesquisa e notícias, excluindo os custos de aquisição de tráfego, aumentou 23%
  • Receita de superfície aumentou 13%

As ações da Microsoft (MSFT34)

As ações da Microsoft ficaram acima da média do mercado mais amplo no ano passado. Os papéis da empresa começaram a apresentar desempenho superior em junho de 2021, com destaque para os meses novembro e dezembro daquele ano. 

Desde então, as ações vêm caindo e 'perdendo a gordura' em comparação com o mercado. Em 24 de abril, os papéis da Microsoft tinham retornos de 7,4% em um ano — um acumulado ainda superior ao retorno total de 3,3% do S&P 500 no mesmo período.

Os papéis da Microsoft oscilaram bastante desde a divulgação dos resultados. Assim que os números saíram, as ações chegaram a cair quase 2%, depois subiram mais de 1% e seguem nessa montanha-russa no after market em Nova York. 

O que vem pela frente

Embora, as  vendas de serviços em nuvem e software tenham sido fatores-chave para o desempenho da Microsoft (MSFT34), as sementes do crescimento futuro da empresa podem estar em uma habilidade muito diferente: seu sucesso em navegar em um ambiente regulatório hostil

Enquanto outras grandes empresas de tecnologia se tornaram alvos de investigações antitruste agressivas, a Microsoft driblou esses conflitos. E isso pode ser fundamental para a proposta de aquisição de US$ 69 bilhões da desenvolvedora de videogames Activision Blizzard

O acordo, a maior tentativa de aquisição da Microsoft, ainda deve ser aprovado pelos reguladores.

Se a aquisição pendente da Activision Blizzard for aprovada pelos reguladores, a Microsoft se tornará uma das maiores empresas de videogame do mundo. 

Mas sem a aquisição, espera-se que a receita de conteúdo e serviços do Xbox no primeiro trimestre cresça a uma taxa muito mais lenta do que no trimestre do ano anterior.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

DISTRIBUINDO MAIS DO QUE COMBUSTÍVEIS

Dividendos e JPC: Vibra Energia (VBBR3) anuncia o pagamento de R$ 131 milhões em proventos; confira prazos

Ao todo, a distribuidora de combustíveis já pagou R$ 663 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio no exercício de 2021

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CSNA3) vão recomprar até 164 milhões de ações; veja o que muda para os acionistas

As duas companhias aproveitam o momento descontado na B3 para encerrar os programas atuais e iniciar novas operações com duração de um ano

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação derruba bolsas, Hapvida vai às compras e a varejista que ameaça o Magalu; confira os destaques do dia

Depois de um dia de animação, preocupações com o movimento dos preços e a atividade econômica pelo mundo estragaram o humor dos investidores

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana come margem de grandes empresas e derruba bolsas globais; Ibovespa cai mais de 2% e dólar cola em R$ 5

Com inflação pressionando e China voltando a fechar cidades, o Ibovespa caiu menos que as bolsas em Wall Street, mas ainda assim amargou fortes perdas

BR Properties (BRPR3) vende 80% do portfólio para fundo canadense, em transação de quase R$ 6 bilhões

Além de representar um movimento importante no atual cenário macroeconômico brasileiro, a transação marca a saída de boa parte do capital do fundo soberano de Abu Dhabi (ADIA) da empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies