2022-03-22T13:49:11-03:00
Carolina Gama
PRAZER, ESG

Elon Musk tem sede. Bilionário consegue aval para fábrica da Tesla que pode deixar parte da Alemanha sem água

A autorização condicional para a produção de veículos elétricos na planta inaugurada nesta terça-feira (22) aconteceu apenas no dia 4 de março; entenda por que a unidade é vital para os negócios do empresário

22 de março de 2022
13:49
Elon Musk SpaceX
O empresário Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX. - Imagem: Shutterstock

Bebeu água? Não é novidade que Elon Musk tem um apetite insaciável tanto por inovação como pela expansão dos seus negócios. Por isso, o dono da Tesla comemorou — finalmente — a inauguração de sua fábrica na Alemanha. Mas os planos do bilionário podem esbarrar em um elemento fundamental para qualquer pessoa: a água

Tá com sede? Ao que tudo indica, a fábrica da Tesla nas proximidades de Berlim está sedenta. A unidade demanda a utilização de muita água e pode deixar a região de Brandenberg sem reserva hídrica. 

Para se ter uma ideia, a Tesla usa cerca de 3.000 litros de água para cada carro que produz, enquanto a Volkswagen consome 3.700 litros por veículo e a Mercedes-Benz bebe 4.700 litros por unidade, de acordo com a Bloomberg. 

Apesar de usar menos água do que outras fabricantes de automóveis, a empresa de Elon Musk poderia esgotar completamente a reserva hídrica da região com a primeira fase da implementação da unidade e precisará de licenças adicionais para expandir a capacidade no futuro, segundo analistas do Deutsche Bank. 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

A Tesla esperou muito pela luz verde

Giga Berlim está em construção há vários anos. É extremamente importante para os planos da Tesla de expansão global após a abertura de sua fábrica Gigafactory 3 em Xangai no final de 2019. A empresa também abriu outra fábrica em Austin, Texas, recentemente.

Em novembro de 2019, quando Musk anunciou planos de construir uma fábrica de automóveis na Alemanha, ele elogiou a engenharia alemã.

“Todo mundo sabe que a engenharia alemã é excelente, com certeza. Essa é parte da razão pela qual estamos localizando nossa Gigafactory Europe na Alemanha”, afirmou. 

  • IMPORTANTE: liberamos um guia gratuito com tudo que você precisa para declarar o Imposto de Renda 2022; acesse pelo link da bio do nosso Instagram e aproveite para nos seguir. Basta clicar aqui 

Apesar dos elogios, foi só em 4 de março que as autoridades alemãs deram aprovação condicional à Tesla para iniciar a produção, após meses de atrasos. 

A empresa pretendia iniciar a produção de veículos no início do verão de 2021, mas a pandemia, as complicações na cadeia de suprimentos e os confrontos com ambientalistas retardaram o processo. 

Por que Musk insistiu nessa unidade

Elon Musk parece aliviado que a extensa fábrica da Tesla perto de Berlim, construída em 165 hectares de terras anteriormente florestadas, está finalmente começando a produção dos veículos elétricos Modelo Y para a Europa.

“Empolgado para entregar os primeiros carros de produção feitos pela Giga Berlin-Brandenburg amanhã!”, disse ele no Twitter na segunda-feira (21). 

Além da questão hídrica, o bilionário ainda enfrenta um momento complicado, já que a invasão da Ucrânia pela Rússia aumenta os custos de materiais para as baterias da Tesla e a escassez global de chips continua.

Apesar dos ventos contrários, a fábrica alemã deve se tornar um ativo fundamental para a Tesla na Europa e ajudar a cumprir a meta de Musk de aumentar seu volume de vendas em 50% ao ano. 

A expectativa é que a Tesla fabrique a fábrica em Brandenberg 500.000 veículos elétricos por ano, além de baterias. 

Logo após cortar a fita vermelha na cerimônia de inauguração da unidade, Musk agradeceu aos alemães. 

Se livrando da China

A nova unidade na Alemanha também modera a crescente dependência da China, que no ano passado se tornou a maior fonte de produção e lucro da companhia.

O maior mercado de veículos elétricos do mundo oferece custos de mão de obra e peças mais baixos para a fábrica da Tesla em Xangai, mas o governo chinês e as relações cada vez mais tensas com os Estados Unidos também são fontes potenciais de risco para os negócios de Musk.

Nos últimos trimestres, a Tesla tem exportado carros da China para clientes na Europa. A demanda por EVs continua muito alta na Europa, e agora a Tesla pode contar com alguma produção no continente, não apenas para ser enviada da China.

Vale lembrar ainda que, na semana passada, a Tesla teve que interromper temporariamente a produção na fábrica de Xangai devido ao ressurgimento de casos de covid-19 na China. Essa produção limitada de veículos Modelo 3 e Modelo Y fabricados na China por pelo menos dois dias.

*Com informações da CNBC

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

NOVO MODELO DE NEGÓCIOS

Varejo adota ‘loja-contêiner’ para fugir dos custos de shoppings e aluguéis; conheça o que são os estabelecimentos modulares

A estreante no formato é a Chilli Beans, de óculos de sol. “Acho que não teria uma Eco Chilli se não houvesse pandemia”, afirma o CEO, Caito Maia

NÃO MEXE NO MEU QUEIJO

Membros do mercado financeiro defendem Lei das Estatais em documento enviado ao ao Congresso; revogação seria ‘retrocesso’

O texto também cita o relatório de 2020 em que a OCDE afirma que a Lei das Estatais deixou os conselhos de empresas públicas mais independentes de interferências

NESTA SEGUNDA-FEIRA

Governador de São Paulo fará coletiva nesta segunda-feira após Bolsonaro aprovar isenção do ICMS sem garantia de compensação aos estados

O presidente da República vetou o fundo de ajuda aos estados após sancionar o teto do imposto estadual

SEU DOMINGO EM CRIPTO

‘Compre na baixa’ anima e bitcoin (BTC) busca os US$ 22 mil; criptomoedas aguardam semana de olho no Fed

Entre os destaques da próxima semana estão o avanço dos juros nos Estados Unidos e um possível default da Rússia

DE OLHO NO FUTURO

Goldman Sachs quer entrar no mundo da ‘renda fixa’ em criptomoedas e lidera grupo para comprar a Celsius por US$ 2 bilhões

O staking vem crescendo nos últimos meses e é motivo de certa preocupação após o caso da Celsius — e o banco de Wall Street quer um pedaço dele